INSERÇÃO CURRICULAR DA TEMÁTICA SUSTENTABILIDADE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS PARANAENSES

Autores

  • Anne Carolina dos Santos Universidade Estadual de Maringá
  • Marguit Neumann Universidade Estadual de Maringá
  • Kerla Mattiello Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v32i3.6659

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Educação pública, Graduação, Ciências contábeis, Paraná

Resumo

O objetivo da pesquisa é analisar de quais formas os cursos de graduação em Ciências Contábeis de universidades públicas do Paraná inserem a temática sustentabilidade nos Projetos Pedagógicos, desde o ano de 2002. Utilizou-se da análise de conteúdo tendo como base Projetos Pedagógicos de seis cursos. Os resultados indicam que os cursos evoluíram ao incorporar a temática sustentabilidade, em razão do aumento da consideração de conteúdos nas disciplinas. A evolução foi detectada a partir de 2012, influenciados por documentos de avaliação e pelas diretrizes curriculares do curso. A forma de inserção Crossdisciplinar foi predominante com maior abrangência do social, indicando que há desconexão entre o socioambiental e o econômico. Logo, a adoção da temática sustentabilidade nos cursos investigados está em fase de amadurecimento, porém, mesmo que seja estabelecida por Lei, sua inserção nos Projetos Pedagógicos depende dos indivíduos. Diante disso, questiona-se a eficácia do caráter coercitivo, pois, pode induzir a adoção cerimonial. Neste caso, legislações específicas demonstraram ser eficazes, indicando a necessidade de atribuírem maior peso na temática sustentabilidade. Esta pesquisa contribui com a literatura, diante da carência de estudos. As contribuições práticas advêm de recomendações para o cumprimento das legislações pertinentes, além de contribuir para eliminar privações de liberdade no que se refere a ausência da temática sustentabilidade na educação do contador. E, ainda, para o bem-estar da sociedade, pois, organizações geram externalidades negativas.

Biografia do Autor

Anne Carolina dos Santos, Universidade Estadual de Maringá

Doutoranda em Administração pelo Programa de Pós Graduação em Administração da Universidade Estadual de Maringá (PPA-UEM).

Marguit Neumann, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Sciences Economiques pela Université Pierre Mendès France. Professora na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PCO-UEM).

Kerla Mattiello, Universidade Estadual de Maringá

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (CEAPG-EAESP-FGV). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PCO-UEM).

Referências

Akrivou, K., & Bradbury-Huang, H. (2015). Educating integrated catalysts: Transforming business schools toward ethics and sustainability. Academy of Management Learning & Education, 14(2), 222-240. https://doi.org/10.5465/amle.2012.0343

Araújo, M. P., Castro, P. E., Amaro, R. G., Ribeiro Filho, J. F., & Lagioia, U. C. T. (2008). Uma contribuição avaliação do ativo intangível 36 anos depois: uma reflexão em torno do pensamento do professor Eliseu Martins. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, 2(2), 95-100. https://doi.org/10.17524/repec.v2i2.30

Barbieri, J. C., & Silva, D. (2011). Desenvolvimento sustentável e Educação Ambiental: uma trajetória comum com muitos desafios. Revista de Administração Mackenzie, 12(3), 51-82. http://dx.doi.org/10.1590/S1678-69712011000300004.

Barbieri, J. C., Vasconcelos, I. F. G. D., Andreassi, T., & Vasconcelos, F. C. D. (2010). Inovação e Sustentabilidade: Novos Modelos e Proposições. Revista de Administração de Empresas, 50(2), 146-154. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902010000200002

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70.

Benn, S., & Dunphy, D. (2009). Action research as an approach to integrating sustainability into MBA programs: An exploratory study. Journal of Management Education, 33(3), 276-295. https://doi.org/10.1177/1052562908323189

Bennemann, G., & Grzebieluckas, C. (2016). Consciência ecológica dos discentes do Curso de Ciências Contábeis da UNEMAT: uma análise dos hábitos e práticas ambientais. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 33(2), 4-19. https://doi.org/10.14295/remea.v33i2.5199

Boyce, G., Greer, S., Blair, B., & Davids, C. (2012). Expanding the horizons of accounting education: Incorporating social and critical perspectives. Accounting Education, 21(1), 47-74. https://doi.org/10.1080/09639284.2011.586771

Brasil (1999). Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Recuperado de <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=321> em 09 maio de 2018.

Britto, A. L. N. P., Lima, S. C. R. B., Heller, L., & Cordeiro, B. S. (2012). Da fragmentação à articulação: a política nacional de saneamento e seu legado histórico. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, 14(1), 65-84. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2012v14n1p65

Dallabona, L. F., Cunha, P. R., & Rausch, R. B. (2012). Inserção da área ambiental na matriz curricular do curso de Ciências Contábeis: um estudo das IES da região Sul do Brasil. Enfoque: Reflexão Contábil, 31(3), 7-22. https://doi.org/10.4025/enfoque.v31i3.15302

Deegan, C. (2017). Twenty five years of social and environmental accounting research within critical perspectives of Accounting: hits, misses and ways forward. Critical Perspectives on Accounting, 43(1), 65–87. https://doi.org/10.1016/j.cpa.2016.06.005

Demajorovic, J., & Silva, H. C. O. (2012). Formação interdisciplinar e sustentabilidade em cursos de Administração: desafios e perspectivas. Revista de Administração Mackenzie, 13(5), 39-64. https://doi.org/10.1590/S1678-69712012000500003.

Doh, J. P., & Tashman, P. (2014). Half a world away: The integration and assimilation of corporate social responsibility, sustainability, and sustainable development in business school curricula. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 21(3), 131-142. https://doi.org/10.1002/csr.1315

Elkington, J. (1997). Cannibals with forks: the Triple Bottom Line of 21st Century Business. Capstone: Oxford.

EUROSTAT/UNESCO/OCDE (2009). Classificação Internacional EUROSTAT/UNESCO/OCDE: Áreas de Formação e Treinamento. Recuperado de <http://download.inep.gov.br/download/superior/2009/Tabela_OCDE_2009.pdf> em 30 de maio de 2018.

Figueiró, P. S., & Raufflet, E. (2015). Sustainability in higher education: a systematic review with focus on management education. Journal of Cleaner Production, 106, 22-33. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2015.04.118

Fisher, J., & Bonn, I. (2011). Business sustainability and undergraduate management education: An Australian study. Higher Education, 62(5), 563-571. https://doi.org/10.1007/s10734-010-9405-8

Fisher, P. B., & McAdams, E. (2015). Gaps in sustainability education: The impact of higher education coursework on perceptions of sustainability. International Journal of Sustainability in Higher Education, 16(4), 407-423. https://doi.org/10.1108/IJSHE-08-2013-0106

Gehlen, K. R. H. (2017). A Inserção do Tema Sustentabilidade no Curso de Ciências Contábeis da FEA/USP à Luz da Teoria Institucional. 158 f. Mestrado em Administração - Universidade Estadual de Londrina. http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UEL_3ad19f79c9865897dd683a220a079d74

Gomes, S. M. D. S., Sampaio, M. S., Azevedo, T. C., & Slomski, V. G. (2012). Proposta para o ensino da controladoria ambiental nos cursos de graduação de Ciências Contábeis nas IESs brasileiras. Revista de Gestão Social e Ambiental, 6(1), 177-189. https://doi.org/10.24857/rgsa.v6i1.403

Gonçalves-Dias, S. L. F., Teodósio, A. D. S., Carvalho, S., & Silva, H. M. R. (2009). Consciência ambiental: um estudo exploratório sobre suas implicações para o ensino de Administração. RAE-eletrônica, 8(1), art. 3. https://doi.org/10.1590/S1676-56482009000100004

Gray, R. (2010). Is accounting for sustainability actually accounting for sustainability… and how would we know? An exploration of narratives of organisations and the planet. Accounting, Organizations and Society, 35(1), 47-62. https://doi.org/10.1016/j.aos.2009.04.006

Gray, R., & Collison, D. (2002). Can’t see the wood for the trees, can’t see the trees for the numbers? Accounting education, sustainability and the public interest. Critical Perspectives on Accounting, 13(5-6), 797-836. https://doi.org/10.1006/cpac.2002.0554

Hart, S. L., & Milstein, M. (2004). Criando Valor Sustentável. Revista de Administração de Empresas, 3(7), 65-79. https://doi.org/10.12660/gvexec.v3n2.2004.34820

Hasselink, F.; Kempen, P., & Van; Wals, A. (2000). International debate on education for sustainable development (ESDebate). Gland: IUCN, CEC. Recuperado de: <https://portals.iucn.org/library/sites/library/files/documents/2000-034.pdf > em: 10 ago. 2019.

Holm, T., Sammalisto, K., Grindsted, T. S., & Vuorisalo, T. (2015). Process framework for identifying sustainability aspects in university curricula and integrating education for sustainable development. Journal of Cleaner Production, 106, 164-174. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2015.04.059

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP (2012). Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância. Recuperado de <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2012/instrumento_com_alteracoes_maio_12.pdf> em 12 de nov de 2018.

INEP (2015). Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância. Recuperado de <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2015/instrumento_cursos_graduacao_publicacao_agosto_2015.pdf> em 12 de nov de 2018.

INEP (2017a). Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância: renovação de reconhecimento. Recuperado de <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2017/curso_reconhecimento.pdf> em 12 de nov de 2018.

INEP (2017b). Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância: autorização. Recuperado de <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2017/curso_autorizacao.pdf> em 12 de nov de 2018.

INEP (2018). Censo da educação Superior 2017: Divulgação dos principais resultados. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/docman/setembro-2018-pdf/97041-apresentac-a-o-censo-superior-u-ltimo/file> em 30 de janeiro de 2019.

Jacobi, P. R., Raufflet, E., & Arruda, M. P. (2011). Educação para a sustentabilidade nos cursos de Administração: reflexão sobre paradigmas e práticas. Revista de Administração Mackenzie, 12(3), 21-50. https://doi.org/10.1590/S1678-69712011000300003.

Kuzma, E. L., Doliveira, S. L. D., Gonzaga, C. A. M., & Novak, M. A. L. (2016). A Inserção da Sustentabilidade na Formação de Administradores. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade-GeAS, 5(2), 146-165. http://www.revistageas.org.br/ojs/index.php/geas/article/view/430

Laffin, M. (2012). Currículo e trabalho docente no curso de Ciências Contábeis. Revista de Contabilidade da UFBA, 6(3), 66-77. https://periodicos.ufba.br/index.php/rcontabilidade/article/view/6979/4835

Lambrechts, W., Mulà, I., Ceulemans, K., Molderez, I., & Gaeremynck, V. (2013). The integration of competences for sustainable development in higher education: an analysis of bachelor programs in management. Journal of Cleaner Production, 48(1), 65-73. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2011.12.034

Larrán, M., & Andrades, J. (2015). Determining factors of environmental education in Spanish universities. International Journal of Sustainability in Higher Education, 16(2), 251-271. https://doi.org/10.1108/IJSHE-01-2013-0003

Leal Filho, W. L., Shiel, C., & Paço, A. D. (2015). Integrative approaches to environmental sustainability at universities: an overview of challenges and priorities. Journal of Integrative Environmental Sciences, 12(1), 1-14. https://doi.org/10.1080/1943815X.2014.988273

Lizote, S. A., Verdinelli, M. A., Terres, J. C., Camozzato, E. S., & Seemann, J. (2018). Satisfação dos alunos com o curso de Ciências Contábeis: Uma análise em diferentes instituições de ensino superior. Revista Ambiente Contábil, 10(1), 293-307. https://doi.org/10.21680/2176-9036.2018v10n1ID11663

Ministério da Educação – MEC (2002). Parecer CNE/CES nº 146/2002. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/2002/pces146_02.pdfhttp://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao13.pdf> em 09 maio de 2018.

MEC (2003). Parecer CNE/CES nº 289/2003. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/2003/pces289_03.pdf> em 09 maio de 2018.

MEC (2004a). Resolução CNE/CES nº 6, de 10 de março de 2004. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces06_04.pdf> em 09 maio de 2018.

MEC (2004b). Resolução CNE/CES 10, de 16 de dezembro de 2004. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces10_04.pdf> em 30 de junho de 2018.

MEC (2012). Resolução nº 2, de 15 de Junho de 2012: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Recuperado de <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10988-rcp002-12-pdf&category_slug=maio-2012-pdf&Itemid=30192> em 12 de abril de 2018.

MEC (2018). Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados. Recuperado de <http://emec.mec.gov.br/emec/nova> em 19 de Julho de 2018.

Natume, R. Y., & Sant’Anna, F. S. P. (2011). Resíduos eletroeletrônicos: um desafio para o Desenvolvimento Sustentável e a nova lei da política nacional de resíduos sólidos. 3rd International Workshop on Advances in Cleaner Production. Anais... São Paulo. http://www.advancesincleanerproduction.net/third/files/sessoes/5B/6/Natume_RY%20-%20Paper%20-%205B6.pdf

Peterson, M., Minton, E. A., Liu, R. L., & Bartholomew, D. E. (2021). Sustainable Marketing and Consumer Support for Sustainable Businsses. Sustainable Production and Consumption, 27, 157-168. https://doi.org/10.1016/j.spc.2020.10.018

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. Companhia das Letras: São Paulo.

Siqueira, M. M. (2005). O ensino superior e a universidade. RAE-eletrônica, 4(1), 1-11. https://doi.org/10.1590/S1676-56482005000100015

Sisaye, S. (2013). The development of sustainable practices in complex organizations: Implications and potentials for integration into the accounting curriculum. World Journal of Entrepreneurship, Management and Sustainable Development, 9(4), 223-245. https://doi.org/10.1108/WJEMSD-01-2013-0010

Slomski, V., Slomski, V. G., Kassai, J. R., & Megliorini, E. (2012). Sustentabilidade nas organizações: a internalização dos gastos com o descarte do produto e/ou embalagem aos custos de produção. Revista de Administração, 47(2), 275-289. https://doi.org/10.5700/rausp1039

Starosky Filho, L., & Rausch, R. B. (2012). A presença do tema responsabilidade social no currículo de formação do contador de instituições do Vale do Itajaí-SC. Revista de Estudos Contábeis, 2(3), 34-52. http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/rec/article/view/12376

Publicado

2021-12-10

Como Citar

DOS SANTOS, A. C. .; NEUMANN, M.; MATTIELLO, K. . INSERÇÃO CURRICULAR DA TEMÁTICA SUSTENTABILIDADE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS PARANAENSES. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 32, n. 3, p. 73-97, 2021. DOI: 10.22561/cvr.v32i3.6659. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/6659. Acesso em: 8 dez. 2022.