Determinantes do consumo cultural das famílias: evidências para as regiões metropolitanas brasileiras a partir de uma análise probit bivariada

Autores

Resumo

O presente artigo visa avaliar os fatores que estão associados ao consumo de bens e serviços culturais diretos fora do domicílio, considerando tal consumo como interligado ao consumo de outros bens e serviços culturais. A metodologia empregada engloba a aplicação de um modelo probit bivariado. Para tanto, são utilizados os dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2017-2018. No geral, os resultados obtidos para o modelo indicam que o consumo de bens e serviços culturais diretos fora do domicílio e o consumo de outros bens e serviços culturais são positivamente correlacionados, destacando a questão da desigualdade no consumo cultural devido a certas barreiras sociais (educação, renda, acesso a crédito, entre outros).

Biografia do Autor

Danyella Juliana Martins de Brito, Universidade Federal de Pernambuco

                     

Marcus Vinícius Amaral e Silva, Universidade Federal de Pernambuco

               

Downloads

Publicado

2024-03-12

Como Citar

PEREIRA, F. S.; BRITO, D. J. M. de; SILVA, M. V. A. e. Determinantes do consumo cultural das famílias: evidências para as regiões metropolitanas brasileiras a partir de uma análise probit bivariada. Nova Economia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 1–34, 2024. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/8073. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Números Regulares