Determinantes do rendimento das pessoas ocupadas em Minas Gerais em 2000: o limiar no efeito da escolaridade e as diferenças entre mesorregiões

Autores

  • Rodolfo Hoffmann
  • Rosycler Cristina Santos Simão

Palavras-chave:

equações de rendimento,

Resumo

Usando os dados do Censo Demográfico de 2000, são estimadas equações de rendimento para avaliar o efeito de vários fatores (idade, sexo, escolaridade, posição na ocupação, cor, tempo semanal de trabalho, etc.) sobre o rendimento das pessoas ocupadas em MinasGerais, levando em consideração as diferenças entre suas mesorregiões. Preliminarmente são discutidas as limitações dos dados sobre rendimento, procurando avaliar o seu grau de subdeclaração, e é analisada a composição do rendimento domiciliar. Na especificação das equações de rendimento, mostra-se que é inapropriado admitir que o efeito da escolaridade possa ser captado por uma função linear, uma vez que ocorre substancial aumento da taxa  e retorno da escolaridade a partir do limiar de 10 anos de estudo. São apontadas diferenças importantes quando são ajustadas equações separadas por setor, cabendo destacar que, no setor agrícola, a variável que mais contribui para explicar as variações no logaritmo do rendimento das pessoas ocupadas é a posição na ocupação, superando até mesmo a contribuição da escolaridade, que é a variável mais importante nos setores industrial e de serviços.

Downloads

Publicado

2009-06-03

Como Citar

HOFFMANN, R.; SIMÃO, R. C. S. Determinantes do rendimento das pessoas ocupadas em Minas Gerais em 2000: o limiar no efeito da escolaridade e as diferenças entre mesorregiões. Nova Economia, [S. l.], v. 15, n. 2, 2009. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/450. Acesso em: 24 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares