Determinantes e dependência espacial da inovação nas regiões brasileiras: evidências a partir de um Modelo Tobit Espacial

Resumo

Este artigo busca analisar os determinantes da inovação, os padrões espaciais e a dependência espacial da inovação nas microrregiões brasileiras. Em concreto, ele avalia como o P&D das empresas locais, a pesquisa acadêmica regional, o nível de aglomeração e a especialização ou diversificação industrial da localidade afetam a inovação regional. Para analisar esses fatores, foi estimado um modelo empírico baseado na Função de Produção do Conhecimento (FPC) com dados de patente no Brasil por um Tobit Espacial Autoregressivo (SAR-Tobit). Os resultados indicam que níveis mais elevados de P&D Industrial Regional implicam em maior inovação e que maiores níveis de pesquisa universitária impactam positivamente a inovação na região. Além disso, regiões mais aglomeradas e diversificadas apresentam melhor desempenho inovador. Em relação à dinâmica espacial, a proximidade das microrregiões mais inovadoras afeta positivamente a inovação local, o que mostra a existência de spillovers de conhecimento inter-regionais associados inovação medida por patentes.

Palavras-chave inovação regional; patentes; Brasil; tobit espacial

Publicado
2019-10-11
Como Citar
ARAUJO, V. DE C.; GARCIA, R. Determinantes e dependência espacial da inovação nas regiões brasileiras: evidências a partir de um Modelo Tobit Espacial. Nova Economia, v. 29, n. 2, p. 375-400, 11 out. 2019.
Seção
Números Regulares