Efeito dose resposta do fundo constitucional de financiamento do centro-oeste (FCO) no estado de Goiás

Resumo

O estudo avalia o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) no Estado de Goiás entre os anos de 2004 e 2011 por meio dos microdados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), e dos empréstimos do Programa Empresarial do FCO. Os impactos dos financiamentos no crescimento do emprego e salários das empresas instaladas no Estado foram estatisticamente significantes e positivos. Os métodos utilizados foram o propensity score matching (PSM) e o propensity score generalizado (PSG), que trata a variável tratamento como contínua, portanto, verifica os efeitos heterogêneos ao invés do impacto médio. Ademais, o efeito dose indica que o valor do empréstimo influencia na quantidade de empregos gerados, assim como na variação dos salários. As evidências apresentadas sugerem novos padrões de heterogeneidade no efeito do programa e complementam os resultados previamente encontrados na literatura.

Biografia do Autor

Guilherme Resende Oliveira, UniAlfa

Doutor (2016) em Economia pela Universidade de Brasília. Mestre (2011) e graduado em Economia pela Universidade de Brasília (2008). É pesquisador em Economia do Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão do Governo do Estado de Goiás, e professor do IPOG. Foi professor substituto da Universidade de Brasília, professor-tutor da UAB (Universidade Aberta do Brasil) e da ENAP (Escola Nacional de Administração Pública).

Rafael Terra Menezes, Universidade de Brasília - UnB

Professor Adjunto na Universidade de Brasilia. Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo (2003), mestrado em Economia Aplicada/PPGE/FEARP/USP pela Universidade de São Paulo (2006) e Doutorado em Economia pela EESP-FGV com período sanduíche na University of Illinois no perído de agosto de 2010 a julho de 2011. Desenvolve trabalhos de Econometria aplicada em Economia do Setor Público, Economia da Educação e Avaliação de Políticas públicas.

Guilherme Mendes Resende, Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE)

Economista-chefe do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), Brasília, DF, Brasil. É PhD em economia regional pela London School of Economics and Political Science (LSE-University of London) (2011), economista, advogado, e possui mestrado em economia pela Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG (2005). É pesquisador concursado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) desde 2004. Atualmente, é Diretor-adjunto da Diretoria de Estudos Regionais, Urbanos e Ambientais (DIRUR/IPEA). Foi Coordenador de Estudos Regionais da DIRUR/IPEA entre 2013-2014. Tem experiência na área de planejamento e desenvolvimento regional e urbano e avaliação de políticas públicas, tendo vários trabalhos publicados em revistas acadêmicas nacionais e internacionais. Foi ganhador de vários prêmios nacionais e internacionais, entre eles o Prêmio BNB de Economia Regional 2015, o Prêmio SBE Finanças 2015 (2º lugar), o Prêmio Paulo Haddad 2011 da Associação Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos e o Prêmio Epainos 2009 da Associação Européia de Ciência Regional (ERSA). É membro do Conselho Editorial da Revista Econômica do Nordeste-REN. Possui mais de 70 trabalhos publicados no Brasil e no exterior.

Publicado
2017-06-20
Como Citar
OLIVEIRA, G. R.; MENEZES, R. T.; RESENDE, G. M. Efeito dose resposta do fundo constitucional de financiamento do centro-oeste (FCO) no estado de Goiás. Nova Economia, v. 28, n. 3, 20 jun. 2017.
Seção
Números Regulares