Relacionalidade em rede: Cama e Café

  • Beatriz Gondim Matos Universidade Federal do Cariri
  • Lénia C. Marques Erasmus University Rotterdam
Palavras-chave: hospitalidade em rede, relacionalidade, cama e café Olinda.

Resumo

A forma como anfitriões e hóspedes interagem entre si são abordadas neste trabalho pela hospitalidade em rede que, a partir dos resultados, pode ser apresentada uma relacionalidade. O objetivo do artigo foi compreender quais os aspectos fundamentais que embasam a relação entre hóspede e anfitrião em um Cama e Café da cidade de Olinda. Para a realização da pesquisa foram feitas análise temática a partir das revisões elaboradas pelos hóspedes no tripadvisor e da entrevista com os anfitriões proprietários do Cama e Café Olinda. Os resultados indicam a constituição de uma relação baseada em princípios de pertencimento temporário; estabelecimento de critérios pré-relação; associação entre trabalho e lazer por parte dos anfitriões; a construção de espaço relacional; a tecnologia como uma condição para propiciadora e mantenedora.

Biografia do Autor

Beatriz Gondim Matos, Universidade Federal do Cariri
Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (2007), mestrado em Administração e Controladoria (2010) pela Universidade Federal do Ceará e Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco (2017). Tem experiência em Administração, com interesse de pesquisa na área de Marketing de Serviços e Comportamento do Consumidor. Temas correlatos: consumo colaborativo; compartilhamento; metodologia qualitativa; metodologias ativas de ensino (p. ex. casos de ensino).  Atualmente professora da Universidade Federal do Cariri
Lénia C. Marques, Erasmus University Rotterdam
Possui Doutorado em Literatura pela Universidade de Aveiro. Atualmente é Professora Assistente de gestão e organizações culturais da Erasmus University Rotterdam. Tem interesses de pesquisa em:  Criatividade e Inovação em Lazer, Turismo e Eventos, incluindo Indústrias Criativas, Estudos de Eventos e Co-criação.

Referências

Baek, J. S., Manzini, E., & Rizzo, F. (2010). Sustainable collaborative services on the digital platform: Definition and application, 123–131. Retrieved from http://www.designresearchsociety.org/docs-procs/DRS2010/PDF/005.pdf

Bardin, L. (2004). Análise de Conteúdo. Revista Educação. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004

Bauer, M. W., & Gaskell, G. (2004). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. (12th ed.). Petrópolis: Vozes.

Bawens, M. (2010). Peer-to-Peer Relationality: the city and anonymity. Retrieved January 24, 2014, from http://w2.bcn.cat/bcnmetropolis/arxiu/en/pagea8ed.html?id=23&ui=424

Beni, M. C. (2003). Globalização do turismo: megatendências do setor e a realidade brasileira (2nd ed.). São Paulo: Aleph. Retrieved from https://books.google.com/books?id=_a_2cQAACAAJ&pgis=1

Bialski, P. (2012). Technologies of hospitality: How planned encounters develop between strangers. Hospitality & Society, 1(3), 245–260. https://doi.org/10.1386/hosp.1.3.245_1

Castells, M. (1996). The rise of the network society: volume i: the information age: economy, society, and culture. Recherche (Vol. 61). Malden Mass: Blackwell. https://doi.org/10.2307/1252090

Cho, E. J., & Baek, J. S. (2009). Enrichment of social relations in collaborative service : Social networks and Sociability, 1–14.

Eckhardt, G. M., & Bardhi, F. (2016). The Relationship between Access Practices and Economic Systems. JACR, 1(2), 2010–2225.

Giaretta, M. J. (2003). Turismo da juventude (1st ed.). Barueri: Editora Manole Ltda. Retrieved from https://books.google.com/books?id=5NN_BAAAQBAJ&pgis=1

Grit, A., & Lynch, P. (2011). An analysis of the development of home exchange organizations. . . Research in Hospitality Management, 1(1), 19–24. https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004

Matos, B. G., Barbosa, M. D. L. D. A., & Matos, M. B. de A. (2016). Consumo colaborativo e relacional no contexto do turismo: a proposição de um modelo entre a sociabilidade e a hospitalidade em rede. Revista Hospitalidade, 13(1), 218–241.

Ministério do Turismo. (2010). Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem. Cartilha de orientação básica (Vol. 2). https://doi.org/10.1017/CBO9781107415324.004

Molz, J. G. (2012). CouchSurfing and network hospitality: “It’s not just about the furniture.” Hospitality & Society, 1(3), 215–225. https://doi.org/10.1386/hosp.1.3.215_2

Molz, J. G. (2013). Social networking technologies and the moral economy of alternative tourism: The case of couchsurfing.org. Annals of Tourism Research, 43, 210–230. https://doi.org/10.1016/j.annals.2013.08.001

Molz, J. G. (2014). Toward a network hospitality. First Monday, 19(3). https://doi.org/10.5210/fm.v19i3.4824

Pecheux, M., Fuchs, C., Henry, P., & Gresillon, A. (1975). Discourse Analysis: Language and Ideology. Langages.

Pimentel, A. B. (2007). Hospedagem domiciliar na cidade do Rio de Janeiro: o espaço de encontro entre turistas e anfitriões. Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Prefeitura de Olinda - Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. (2014). Retrieved December 8, 2015, from http://www.olinda.pe.gov.br/a-cidade/titulos#.VmcwTfmrRnw

Richards, G. (2013). Creating relational tourism through exchange Greg Richards Paper presented at the ATLAS Annual Conference, Malta, November 2013.

Scaraboto, D. (2015). Selling, sharing, and everything in between: The hybrid economies of collaborative networks. Journal of Consumer Research, 42(1), 152–176. https://doi.org/10.1093/jcr/ucv004

Smith, A., & Smith, B. (2002). The Guide to Colorado Wineries (2nd ed.). Colorado: Fulcrum. Retrieved from https://books.google.com/books?hl=pt-PT&lr=&id=LaNbrDqPsrIC&pgis=1

Urry, J. (2003). Social networks, travel and talk 1. British Journal of Sociology, 2(54), 155–175. https://doi.org/10.1080/0007131032000080186

Vázquez, F. J. C., & Ruggieri, G. (2011). Turismo relacional: desafios y potencialidades. Turydes. Revista de Investigación En Turismo y Desarrollo Local, 4(9), 1–14. Retrieved from http://www.eumed.net/rev/turydes/09/cvr.htm

Wittel, a. (2001). Toward a Network Sociality. Theory, Culture & Society, 18(6), 51–76. https://doi.org/10.1177/02632760122052048

Wittel, A. (2011). Qualities of Sharing and their Transformations in the Digital Age. International Review of Information Ethics, 15, 3–8. Retrieved from http://www.i-r-i-e.net/inhalt/015/015-Wittel.pdf

Publicado
2018-12-21
Seção
Artigos