RACISMO NAS EMPRESAS: ATÉ QUANDO?

  • Elisangela de Jesus Furtado da Silva
Palavras-chave: Racismo, Diversidade, Diferenças, Executivos

Resumo

As diferenças no Brasil possuem reflexos no modo de ser e viver das pessoas, sendo o racismo um dos mecanismos estruturais e constitutivos da sociedade brasileira. Como consequência das hierarquias, tem-se um modelo societal que produz a desigualdade social e econômica historicamente. Neste cenário, Pedro Jaime descreve e analisa a trajetória profissional de duas gerações de executivos negros de São Paulo. Trata-se de uma reflexão socioantropológica sobre a questão do racismo e da diversidade no mundo empresarial, por meio de narrativas biográficas e etnografia. Embora os executivos nem sempre identificaram experiências racistas, foi possível observar que desenvolveram estratégias defensivas. Jaime toca em diversas tensões ainda latentes, como o ideal essencialista, os limites das tecnologias gerenciais e a interseccionalidade, vistos como diferenciais entre a efetiva promoção da equidade ou sua simples simulação no interior das organizações.

Referências

Borges, Felipe A. & Paes, Ketlle D. Seres do subterrâneo: os invisíveis do mundo moderno. Farol – Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, 5(13), 846-907.

Bourdieu, Pierre (1989). O poder simbólico. São Paulo: Saraiva.

Hooks, Bell (1995). Intelectuais negras. Revista Estudos Feministas, 3(2), 464-xxx.

Jaime, P. (2016). Executivos negros: racismo e diversidade no mundo empresarial. São Paulo: EDUSP/FAPESP.

McAdam, Doug & Scott, W. Richard (2005). Organizations and movements. In Gerald Davis, Doug McAdam, William Richard, Scott Mayer & Nathan Zald (Eds.). Social movements and organization theory (pp. 4-40). Cambridge: Cambridge University Press, p. 4-40, 2005.

Pacheco, Ana C. L. (2008). Branca para casar, mulata para f..., negra para trabalhar: escolhas afetivas e significados de solidão entre mulheres negras em Salvador, Bahia. Tese de doutorado, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Silva, Elisângela J. F. (2017). Enfrentando uma dívida histórica: a UFMG aprova cotas na pós-graduação. Farol – Revista de Estudos Organizacionais e Sociedade, 4(9), 428-456.
Publicado
2019-05-27
Seção
Resenhas