OS REFLEXOS DA GAMIFICAÇÃO NO ENGAJAMENTO DE ALUNOS DE CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Autores

  • Edegar Luiz Del Sent Universidade do Oeste do Estado do Paraná - Unioeste
  • Nelinho de Jesus Vieira Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Eduardo Guedes Villar Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)
  • Silvana Anita Walter Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste
  • Sidnei Celerino da Silva Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v34i2.7505

Palavras-chave:

GAMIFICAÇÃO, TEORIA CRÍTICO SOCIAL, ENGAJAMENTO, ENSINO DE CONTABILIDADE

Resumo

Este estudo tem como objetivo compreender como os reflexos da gamificação atuam no engajamento de discentes de cursos de graduação em Ciências Contábeis. As transformações tecnológicas ocorridas nas últimas décadas estão se refletindo no comportamento da sociedade e, com isso, observam-se modificações no perfil dos estudantes de Ciências Contábeis. A utilização de metodologias ativas apresenta-se como alternativa para um ensino inovador e dinâmico, rompendo o paradigma da educação tradicional centrada no professor, na qual o discente é um espectador. Elaborou-se um jogo de tabuleiro e, na sequência se procedeu a coleta de dados por meio de grupos de foco, com acadêmicos do segundo ano de Ciências Contábeis de três instituições privadas de ensino superior. Para análise dos dados, utilizou-se a análise de conteúdo temática, a partir das categorias de análise. Em relação aos resultados emergiram subdimensões do engajamento, as quais se configuram como contribuições teóricas. Na dimensão engajamento comportamental, emergiram as subdimensões colaboração, interação, desempenho e competição. Já na dimensão cognitiva: curiosidade, desafio e busca ativa. E, por fim, no engajamento emocional emergiram as subdimensões diálogo, posicionamento e interação. Conclui-se que o jogo estimulou os alunos a um aprendizado crítico e reflexivo, possibilitando construir e reconstruir o saber proposto. 

Biografia do Autor

Edegar Luiz Del Sent, Universidade do Oeste do Estado do Paraná - Unioeste

Mestre em Contabilidade pelo Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (PPGC/UNIOESTE), Professor do curso de Ciências Contábeis no Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP). Endereço: Centro Universitário de Pato Branco, Rua Benjamin Borges dos Santos, 1100, Bairro Fraron, CEP 85503-350 – Pato Branco/PR. Telefone: (46) 3220-3000.  E-mail: edegardelsent@gmail.com.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-3610-1407

Nelinho de Jesus Vieira , Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Mestre em Contabilidade pelo Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (PPGC/UNIOESTE), professor do curso de Ciências Contábeis da União Educacional do Médio Oeste Paranaense (UNIMEO). Endereço: União Educacional do Médio Oeste Paranaense, Avenida Brasil, 1441, Bairro Jd. Paraná. CEP 85935-000 - Assis Chateaubriand/PR. Telefone: (44) 3528-2337. E-mail: nelinhoprofessor@gmail.com.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7409-0585

Eduardo Guedes Villar , Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC)

Doutor em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Paraná (PPGADM-UFPR), professor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) – Campus Caçador. Endereço: Avenida Fahdo Thomé, 3000, Bairro Champagnat. CEP 89503-550 – Caçador/SC. Telefone: (49) 3561-5700. E-mail: Eduardo.villar@ifsc.edu.br.

ORCID: https://orcid.org/0000-0001-5005-4099

Silvana Anita Walter, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Doutora em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifica Universidade Católica do Paraná (PPAD-PUCPR), professora do curso de Administração da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus Marechal Cândido Rondon. Endereço: Rua Pernambuco, 1777, Centro. CEP: 85960-000 – Marechal Cândido Rondon/PR. Telefone: (45) 3284-7878. E-mail: silvanaanita.walter@gmail.com  

ORCID https://orcid.org/0000-0003-1684-5465

Sidnei Celerino da Silva , Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste

Doutor em Contabilidade e Controladoria pela Faculdade Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP), professor do curso de Ciências Contábeis e do Programa de Pós-graduação em Contabilidade da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Campus Cascavel. Endereço: Rua Universitária, 2069, Jardim Universitário. CEP: 85819-110 – Cascavel/PR. Telefone: (45) 3220-3000. E-mail: sidneicelerino@yahoo.com.br.

ORCID: http://orcid.org/0000-0002-0944-6231

Referências

Alves, L. R., Minho, M. R., & Diniz, M. V. (2014). Gamificação: diálogos com a educação. Gamificação na educação. In L. M. Fadel, V. R. Ulbricht, C. R. Batista & T. Vanzin (Org.), Gamificação na Educação (p. 74-97) São Paulo: Pimenta Cultural.

Alves, S. S. (2019) Jogo De Tabuleiro Para Apoiar O Ensino De Contabilidade De Custos. (Dissertação de Mestrado). Curitiba, PR.

Andrade, M. M. D. (2002). Como preparar trabalhos para curso de pós-graduação: noções práticas. 5º ed. São Paulo: Atlas.

Areed, M. F., Amasha, M. A., Abougalala, R. A., Alkhalaf, S., & Khairy, D. (2021). Developing gamification e-quizzes based on an android app: the impact of asynchronous form. Education and Information Technologies, 1-22. https://doi.org/10.1007/s10639-021-10469-4

Auler, D. (2002). Interações entre ciência-tecnologia-sociedade no contexto da formação de professores de ciências.

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 1977. 226 p. Rev. Latino-Americana. Enfermagem, 1161-8.

Buckley, P., & Doyle, E. (2016). Gamification and student motivation. Interactive learning environments, 24(6), 1162-1175. https://doi.org/10.1080/10494820.2014.964263

Byers, P. Y., & Wilcox, J. R. (1991). Focus groups: A qualitative opportunity for researchers. The Journal of Business Communication (1973), 28(1), 63-78. https://doi.org/10.1177/002194369102800105

Brigham, T. J. (2015). An introduction to gamification: adding game elements for engagement. Medical reference services quarterly, 34(4), 471-480. https://doi.org/10.1080/02763869.2015.1082385

Coates, H. (2005). The value of student engagement for higher education quality assurance. Quality in higher education, 11(1), 25-36. https://doi.org/10.1080/13538320500074915

Deterding, S., Dixon, D., Khaled, R., & Nacke, L. (2011, September). From game design elements to gamefulness: defining" gamification". In Proceedings of the 15th international academic MindTrek conference: Envisioning future media environments (pp. 9-15). https://doi.org/10.1145/2181037.2181040

Dellaportas, S., & Hassall, T. (2013). Experiential learning in accounting education: A prison visit. The British Accounting Review, 45(1), 24-36. https://doi.org/10.1016/j.bar.2012.12.005

Díez-Pascual, A. M., & García Díaz, M. P. (2020). Audience Response Software as a Learning Tool in University Courses. Education Sciences, 10(12), 350. https://doi.org/10.3390/educsci10120350

Durso, S, O., Reginato, L., & Cornacchione, E. (2019). Gamification In Accounting and Students ‘skillset. Advances in Scientific & Applied Accounting, 12(3). http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2019120305

Fredricks, J. A., Blumenfeld, P. C., & Paris, A. H. (2004). School engagement: Potential of the concept, state of the evidence. Review of educational research, 74(1), 59-109. https://doi.org/10.3102/00346543074001059

Freire, P. (2004). Pedagogia da Autonomia. Paz e Terra.

Freire, P. (1987). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

Gainor, M., Bline, D., & Zheng, X. (2014). Teaching internal control through active learning. Journal of Accounting Education, 32(2), 200-221. https://doi.org/10.1016/j.jaccedu.2014.03.003

Gómez Contreras, J. L. (2020). Gamificación en contextos educativos: análisis de aplicación en un programa de contaduría pública a distancia. Revista Universidad y Empresa, 22(38), 8-39. https://doi.org/10.12804/revistas.urosario.edu.co/empresa7a.6939

Harris, L. R. (2008). A phenomenographic investigation of teacher conceptions of student engagement in learning. The Australian Educational Researcher, 35(1), 57-79. https://doi.org/10.1007/BF03216875

Kuh, G. D. (2009). What student affairs professionals need to know about student engagement. Journal of college student development, 50(6), 683-706. https://doi.org/10.1353/csd.0.0099

Lee, J. J., & Hammer, J. (2011). Gamification in education: What, how, why bother? Academic exchange quarterly, 15(2), 146.

Martins, L. M. D., & Ribeiro, J. L. D. (2017). Engajamento do estudante no ensino superior como indicador de avaliação. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 22, 223-247. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772017000100012

Merriam, S. B., & Tisdell, E. J. (2015). Qualitative research: A guide to design and implementation. John Wiley & Sons.

Mizukami, M. D. G. N. (1986). Ensino: as abordagens do processo.

Moran, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, Sulina. v. II, pp. 15-33.

Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 02-25.

Nasu, V. H. (2020). Gamificação e Jogos para Educação. In D. R. Nogueira (Orgs.). Revolucionando a Sala de Aula: novas metodologias ainda mais ativas, (V. 2, 1 ed). São Paulo: Atlas.

Nogueira, D. R., Leal, E. A, Miranda, G. J., Casa Nova, S. P. C. (2020). E agora, José? Metodologias em tempo de crise: ventos da mudança ou tsunami on-line. In D. R. Nogueira (Orgs.). Revolucionando a Sala de Aula: novas metodologias ainda mais ativas, (V. 2, 1 ed). São Paulo: Atlas.

Pereira, T. L. (2017). Teoria Histórico-Cultural e a Pedagogia Histórico-Crítica no Ensino Superior: uma Articulação Teórico-Metodológica entre Ensino e Aprendizagem (Doctoral dissertation, Tese de Doutorado. Maringá: UEM, 2015. 271 f. http://www. ppe. uem. br/teses/2015% 20-% 20Terezinha% 20Lima% 20Pereira. pdf. Acesso em: fev. de).

Price, M., Handley, K., & Millar, J. (2011). Feedback: Focusing attention on engagement. Studies in higher education, 36(8), 879-896. https://doi.org/10.1080/03075079.2010.483513

Rambo, R. A. (2018). Emancipação na perspectiva de Paulo Freire. Revista IBC. Recuperado de http://docplayer. com. br/30983183-Emancipacao-na-perspectiva-de-paulo-freire. html.

Reeve, J. (2012). A self-determination theory perspective on student engagement. In Handbook of research on student engagement (pp. 149-172). Springer, Boston, MA. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-2018-7_7

Rosli, K., Khairudin, N., & Saat, R. M. (2019). Gamification in entrepreneurship and accounting education. Academy of Entrepreneurship Journal, 25(3), 1-6.

Saviani, D. (2013). Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Autores associados.

Soares, G. F. (2018). O Uso De Gamificação No Ensino E Aprendizado. Jornada Brasileira De Educação e Linguagem/Encontro do Profeduc e Profletras/Jornada de Educação de Mato Grosso Do Sul, 1(1).

Siqueira, L. M. R. D. C. (2021). Tecnologias digitais e o desenvolvimento da tomada de decisão na contabilidade: a importância das metodologias ativas na aprendizagem da Administração Financeira.

Souza, A. N. M., Meurer, A. M., Costa, F., & Musial, N. T. K. (2020). Utilização de metodologias ativas e elementos de gamificação no processo de ensino-aprendizagem da contabilidade: experiência com alunos da graduação. Desafio Online, 8(3).

Song, D., Ju, P., & Xu, H. (2017). Engaged cohorts: can gamification engage all college students in class? Eurasia Journal of Mathematics, Science and Technology Education, 13(7), 3723-3734. https://doi.org/10.12973/eurasia.2017.00755a

Tolomei, B. V. (2017). A Gamificação como Estratégia de Engajamento e Motivação na Educação. EaD Em Foco, 7(2): 145-156. https://doi.org/10.18264/eadf.v7i2.440

Vitória, M. I. C., Casartelli, A., Rigo, R. M., & Costa, P. T. (2018). Engajamento acadêmico: desafios para a permanência do estudante na Educação Superior. Educação, 41(2), 262-269. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.27960

Viter, L. N. (2013). Interação e engajamento em ambiente virtual de aprendizagem: um estudo de caso (Doctoral dissertation, Dissertação de mestrado em Linguística Aplicada. Rio de Janeiro. UFRJ).

Zani, A. V., & Nogueira, M. S. (2006). Critical incidents in the teaching-learning process of a nursing course through the perception of students and faculty. Revista latino-americana de enfermagem, 14(5), 742-748. https://doi.org/10.1590/S0104-11692006000500016

Publicado

2023-11-30

Como Citar

DEL SENT, E. L.; VIEIRA , N. de J.; VILLAR , E. G.; WALTER, S. A.; SILVA , S. C. da. OS REFLEXOS DA GAMIFICAÇÃO NO ENGAJAMENTO DE ALUNOS DE CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 77–100, 2023. DOI: 10.22561/cvr.v34i2.7505. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/7505. Acesso em: 15 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)