REFLEXOS DA IMPRECISÃO DAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS NOS GOVERNOS LOCAIS BRASILEIROS

Autores

  • Otávio Gomes Cabello Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (FCA/Unicamp)
  • Ricardo Rocha Azevedo Universidade Federal de Uberlândia

Palavras-chave:

Previsão Orçamentária;, Endividamento Público, Orçamento Público, Administração Financeira Pública, Imprecisão Orçamentária

Resumo

Esta pesquisa objetivou analisar se municípios que apresentam maior acurácia de previsão orçamentária das receitas possuem menor endividamento e maior liquidez. Para tanto foram utilizados os dados orçamentários e financeiros dos municípios brasileiros de 2015 a 2019, cujos testes foram realizados pela estimação de regressão quantílica com dados em painel. Sendo assim, trata-se de uma pesquisa com finalidade aplicada, profundidade descritiva, caráter transversal e natureza quantitativa. Os resultados indicam que a superestimação da receita sugere um aumento do endividamento e a subestimação sugere uma redução do endividamento e aumento da liquidez nos municípios brasileiros. Os resultados contribuem para preenchimento de uma lacuna na literatura de finanças públicas, uma vez que se observou uma ausência em pesquisas que testassem empiricamente nos municípios brasileiros os reflexos da imprecisão orçamentária no endividamento e liquidez. Os resultados também contribuem para os gestores públicos municipais e aos órgãos de controle, como indicativo de que é necessária uma atenção aos modelos de previsão orçamentária das receitas, pois melhores estimações podem resultar em menor endividamento e maior liquidez.

Biografia do Autor

Otávio Gomes Cabello, Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (FCA/Unicamp)

Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade da Faculdade de Administração, Economia e Contabilidade – FEA-USP. Professor da Faculdade de Ciências Aplicadas, Universidade Estadual de Campinas (FCA/Unicamp). Rua Pedro Zaccaria, 1300, Jardim Santa Luiza, Limeira - SP, CEP 13484-350. E-mail: ocabello@unicamp.br

https://orcid.org/0000-0003-4933-512X

Ricardo Rocha Azevedo, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela FEARP-USP, Professor do Departamento de Contabilidade da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Uberlândia (PPGCC/UFU). Avenida Bandeirantes, 3900, Monte Alegre - Ribeirão Preto – SP. CEP 14040-905. E-mail: ricardo.azevedo@usp.br

https://orcid.org/0000-0001-6302-0760

Referências

Albuquerque, C. M., Medeiros, M. B., da Silva, P. H. F. (2008). Gestão de finanças públicas: fundamentos e práticas de planejamento, orçamento e administração financeira com responsabilidade fiscal (2a ed.). Brasília: Ed. Gestão Pública.

Almeida-Santos, P. S., Pires, J., & Matias-Pereira, J. (2018). Evidencias de manipulación de resultados presupuestarios en el sector público: análisis cross-subnational para el Brasil. Cuadernos de Contabilidad, 19(48), 14. https://doi.org/10.11144/Javeriana.cc18- 48.emrp

Alston, L. J., Melo, M. A., Mueller, B., & Pereira, C. (2005). Who Decides on Public Expenditures?: A Political Economy Analysis of the Budget Process: The Case of Brazil. In Economic and Social Study Series (p. 90). Inter-American Development Bank.

Anessi-pessina, E., Sicilia, M., & Steccolini, I. (2012). Budgeting and Rebudgeting in Local Governments: Siamese Twins? Public Administration Review, 72(6), 875–884. https://doi.org/10.1111/j.1540-6210.2012.02590.x

Anessi-Pessina, E., & Sicilia, M. (2015). Biased Budgeting in the Public Sector: Evidence from Italian Local Governments. Local Government Studies, 41(6), 819-840. https://doi.org/10.1080/03003930.2015.1012194

Anessi-Pessina, E., & Sicilia, M. (2020). Do Top Managers’ Individual Characteristics Affect Accounting Manipulation in the Public Sector? Journal of Public Administration Research and Theory, 30(3), 465–484. https://doi.org/10.1093/jopart/muz038

Anthony, R. N., & Govindarajan, V. (2002). Sistemas de controle gerencial. São Paulo: Atlas.

Aquino, A. C. B. de, & Azevedo, R. R. de. (2015). O “ir”realismo orçamentário nos municípios brasileiros. In: XV Congresso USP de Contabilidade e Controladoria. São Paulo, 2015.

Aquino, A. C. B. de, & Azevedo, R. R. de. (2017). Restos a pagar e a perda da credibilidade orçamentária. Revista de Administração Pública, 51(4), 580-595. https://doi.org/10.1590/0034-7612163584

Assaf Neto, A. (2020). Estrutura e Análise de Balanços: um enfoque econômico-financeiro. São Paulo: Atlas. 2001

Atkinson, A. A., & du Chenoy Castro, A. O. M. (2000). Contabilidade gerencial. São Paulo: Atlas.

Araújo, R. J. R., & Paulo, E. (2019). Determinantes da Qualidade da Informação Contábil em Governos Municipais Brasileiros. Congresso Anpcont, São Paulo, SP, Brasil, XIII.

Azevedo, R. R. de. (2014). Imprecisão na estimação orçamentária dos municípios brasileiros. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, SP, Brasil. https://doi.org/10.11606/D.96.2014.tde-17032014-110156

Azevedo, R. R. de, Leroy, R. S. D., & Pigatto, J. A. M. (2020). Efeitos das vinculações orçamentárias na acumulação de gastos ao final do exercício em prefeituras do Estado de São Paulo. XX USP International Conference in Accounting.

Azevedo, R. R. de, Silva, J. M. da, & Gatsios, R. C. (2017). Análise Crítica dos Modelos de Previsão de Série Temporal com Base no ICMS Estadual. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 7(1), 164–184. https://doi.org/10.18028/rgfc.v7i1.2563

Baldissera, J. F., Costa, R. F. da S., Dall’Asta, D., & Fiirst, C. (2019). Influência das Características Políticas e Eleitorais Sobre a Abertura de Créditos Adicionais. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 22(1), 101-117. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2019v22n1a6

Beckett-Camarata, J. (2004). Identifying and coping with fiscal emergencies in Ohio local governments. International Journal of Public Administration, 27(8-9), 615-630. https://doi.org/10.1081/PAD-120030258

Beckett-Camarata, J. (2006). Revenue forecasting accuracy in Ohio local governments. Journal of Public Budgeting, Accounting & Financial Management, 18(1), 77-99. https://doi.org/10.1108/JPBAFM-18-01-2006-B004

Bretschneider, S., Bunch, B., & Gorr, W. (1992). Revenue Forecast Errors in Pennsylvania Local Government Budgeting: Sources and Remedies. Public Budgeting and Financial Management, 4(3), 721-743.

Blaine, B. E. (2018). Winsorizing. The SAGE Encyclopedia of Educational Research, Measurement, and Evaluation, 1817.

Boukari, M., & Veiga, F. J. (2018). Disentangling political and institutional determinants of budget forecast errors: A comparative approach. Journal of Comparative Economics, 46(4), 1030–1045. https://doi.org/10.1016/j.jce.2018.03.002

Carneiro, L. M., & Costa, M. C. (2021). Fatores associados ao erro de previsão de despesa orçamentária nos municípios brasileiros. Caderno de Finanças Públicas, 21(2), 1–41. https://doi.org/10.55532/1806-8944.2021.121

Cassimiro, F. I., do Nascimento, R. S., & Viotto, R. (2021). Avaliação dos determinantes de endividamento público dos Entes Subnacionais Brasileiros. Revista Controle-Doutrina e Artigos, 19(1), 236-274.

Chatagny, F., & Soguel, N. C. (2012). The effect of tax revenue budgeting errors on fiscal balance: evidence from the Swiss cantons. International Tax and Public Finance, 19(3), 319-337. https://doi.org/10.1007/s10797-011-9189-5

Cirincione, C., Gurrieri, G.A., & van de Sande, B. (1999). Municipal Government Revenue Forecasting: Issues of Methods and Data. Public Budgeting and Financial Management, 19(1), 230-261. https://doi.org/10.1046/j.0275-1100.1999.01155.x

CONOF/CONORF. (2020). Nota Técnica Conjunta no 4/2020. Subsídios à apreciação do Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) para 2021. Disponível em https://www.camara.leg.br/internet/comissao/index/mista/orca/orcamento/OR2021/nt c_04_20_LOA-2021.pdf.

Cruz, C. F. da, & Afonso, L. E. (2018). Gestão fiscal e pilares da Lei de Responsabilidade Fiscal: evidências em grandes municípios. Revista de Administração Pública, 52(1), 126–148. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7612165847

Domingos, F. D., & Aquino, A. C. B. de. (2019). Competências (não exercidas) das comissões de orçamento e finanças nas câmaras municipais. Revista de Administração Pública, 53(6), 1161–1178. https://doi.org/10.1590/0034-761220180441

Domingos, F. D., Aquino, A. C. B. de, & Lima, D. V. (2021). The credibility of finance committees and information usage: trustworthy to whom? Public Money & Management, 42(3), 169-177. https://doi.org/10.1080/09540962.2021.1996691

Farrar, D.E. and Glauber, R.R. (1967). Multicollinearity in regression analysis: the problem revisited. Review of Economics and Statistics, 49(1), 92-107. https://doi.org/10.2307/1937887

Fiirst, C., Pamplona, E., Hein, N., & Zonatto, V. C. da S. (2017). Eficiência de previsibilidade orçamentária da receita pública: um estudo em municípios do estado do Paraná entre os exercícios 2002 e 2013. Race: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 16(3), 983-1008. https://doi.org/10.18593/race.v16i3.11537

Gerigk, W., Ribeiro, F., & dos Santos, L. M. (2014). O padrão de endividamento dos estados da região sul e a sua dinâmica após a edição da lei de responsabilidade fiscal por meio de índices-padrão. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 13(39), 34-48. http://dx.doi.org/10.16930/2237-7662/rccc.v13n39p34-48

Goeminne, S., Geys, B., & Smolders, C. (2008). Political fragmentation and projected tax revenues: Evidence from Flemish municipalities. International Tax and Public Finance, 15(3), 297–315. https://doi.org/10.1007/s10797-007-9021-4

Guess, G. M., & Leloup, L. T. (2010). Comparative Public Budgeting: Global perspectives on taxing and spending. Suny Press.

IBP. (2018). Making and Keeping Promises: Why Budget Credibility Matters. Recuperado de <https://www.internationalbudget.org/2018/07/why-budget-credibility-matters>.

Jonung, L., & Larch, M. (2006). Fiscal policy in the EU: are official output forecasts biased? Economic Policy, 21(47), 491–534.

Jorge, S., Cerqueira, P., & Furtado, S. (2022). Municipal revenue over-budgeting: A dynamic analysis of its determinants. Local Government Studies, 49(3), 644-675. https://doi.org/10.1080/03003930.2021.2025359

Lanis, G. P., & Bueno, N. P. (2020). Fatores que influenciam a eficiência da gestão orçamentária anual. Gestão & Planejamento - G&P, 21, 298–316. https://doi.org/10.21714/2178-8030gep.v.21.5318

Lei Complementar n. 101, de 04 de maio de 2000 (2000). Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Lei n. 4.320, de 17 de março de 1964 (1964). Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e contrôle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Diário Oficial da União. Brasília, DF: Exército Brasileiro.

Marioni, L. da S., Vale, V. de A., Perobelli, F. S., & Freguglia, R. da S. (2016). Uma Aplicação de Regressão Quantílica para Dados em Painel do PIB e do Pronaf. Revista de Economia e Sociologia Rural, 54(2), 221-242. https://doi.org/10.1590/1234.56781806-947900540202

McQuestin, D., Noguchi, M., & Drew, J. (2021). The association between budget inaccuracy and technical efficiency in Australian local government. Public Money and Management, 42(4), 251-261. https://doi.org/10.1080/09540962.2021.1893464

Mendonça, M. J., & Medrano, L. A. (2016). Um modelo de combinação de previsões para arrecadação de receita tributária no Brasil. IPEA - Textos Para Discussão 2186.

Oliveira, F. H. (2014). Os determinantes do endividamento público dos municípios do estado do Ceará: Uma análise econométrica. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Ceará, Ceará, CE, Brasil. PEFA. (2021). Public Expenditure and Financial Accountability (PEFA) program. Recuperado de https://www.pefa.org/about

Queiroz, D. B., de; Santos, D. D. T. dos; Morais, L. M. F., & Sousa, R. G. de (2018). Determinantes do endividamento público: um estudo nos estados brasileiros. USP International Conference in Accounting, São Paulo, SP, Brasil, XVIII.

Rezende, F. (2011). Planejamento no Brasil: auge, declínio e caminhos para a reconstrução. In: Cardoso Jr (ed). A Reinvenção do Planejamento Governamental no Brasil, 4, 177- 238. IPEA.

Rezende, F. & Cunha, A. (2013) A reforma esquecida: Orçamento, Gestão Pública e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

Rezende, F. (2013). O estado partido: comportamento das despesas públicas e da dinâmica socioeconômica na nova república. In: Rezende, F. & Cunha, A. (eds). A reforma esquecida: Orçamento, Gestão Pública e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. FGV.

Ríos, A.-M., Guillamón, M.D., Benito, B., & Bastida, F. (2018). The influence of transparency on budget forecast deviations in municipal governments. Journal of Forecasting, 37(4), 457–474. https://doi.org/10.1002/for.2513

Robbins, Lionel. (2012). Um ensaio sobre a natureza e a importância da Ciência Econômica. Saraiva.

Rubin, I. S. (2014). Past and Future Budget Classics: A Research Agenda. Public Administration Review, 75(1), 25–35. https://doi.org/10.1111/puar.12289

Souza, L. C., Azevedo, R. R. de, & Crozatti, J. (2021). Dicotomias fiscais e distributivas dos ciclos político-orçamentários: análise da reserva de contingência nos municípios brasileiros. Revista Do Serviço Público, 72(1), 232–261. https://doi.org/10.21874/rsp.v72.i1.4587

Speeden, A., & Perez, O. C. (2020). Fatores que impactam na qualidade do planejamento orçamentário dos municípios do estado de São Paulo. Administração Pública e Gestão Social, 12(1). https://doi.org/10.21118/apgs.v12i1.5517

STN (2021). Manual de Demonstrativos Fiscais, 11ª edição. Disponível em <https://sisweb.tesouro.gov.br/apex/f?p=2501:9::::9:P9_ID_PUBLICACAO:33576>

Sun, J. (2005), The dynamics of government revenue forecasting from an organizational perspective: a review of the literature. Journal of Public Budgeting, Accounting & Financial Management, 17(4), 527-556. https://doi.org/10.1108/JPBAFM-17-04- 2005-B006

Zonatto, V. C. da S., & Hein, N. (2013). Eficácia da previsão de receitas no orçamento dos municípios gaúchos: uma investigação empírica dos exercícios de 2005 a 2009 utilizando a análise de clusters. Estudos do CEPE, 102-131. https://doi.org/10.17058/cepe.v0i0.3434

Publicado

2023-11-30

Como Citar

CABELLO, O. G.; AZEVEDO, R. R. REFLEXOS DA IMPRECISÃO DAS RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS NOS GOVERNOS LOCAIS BRASILEIROS. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 52–76, 2023. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/7478. Acesso em: 2 mar. 2024.