INFLUÊNCIA DO CAPITAL PSICOLÓGICO NA MOTIVAÇÃO PARA APRENDIZAGEM E AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS

Autores

  • Vinícius Costa da Silva Zonatto Universidade Regional de Blumenau (FURB), Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)
  • Júlia Ziliotto Zanotto Universidade Federal de Santa Maria
  • Priscila Rodrigues da Silva Universidade Federal de Santa Maria
  • Larissa Degenhart Universidade Federal de Santa Maria
  • Luiz Henrique Figueira Marquezan Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v31i2.6116

Palavras-chave:

Capital psicológico, Motivação para aprender, Aquisição de conhecimentos

Resumo

A pesquisa analisa a influência do capital psicológico na motivação para aprendizagem e aquisição de conhecimentos de alunos de um curso de graduação presencial em Ciências Contábeis. Pesquisa descritiva foi realizada mediante levantamento com 235 alunos de uma IES e abordagem quantitativa, com modelagem de equações estruturais. Investigou-se três hipóteses, que versam sobre a influência direta do capital psicológico na motivação para aprendizagem (H1) e na aquisição de conhecimentos (H2) e os efeitos mediadores da motivação para aprendizagem na relação entre capital psicológico e aquisição de conhecimentos (H3). Os resultados revelaram que o capital psicológico influencia positivamente a motivação para aprendizagem e também exerce influência direta e significativa sobre a aquisição de conhecimentos. Essas evidências mostram que, quando os alunos desenvolvem seu capital psicológico, que é conceituado por Luthans et al. (2015) como o estado psicológico positivo do desenvolvimento de um indivíduo e é composto por quatro capacidades: autoeficácia, esperança, otimismo e resiliência, seu comportamento para aprendizagem é potencializado e, nessas condições, sua capacidade para aquisição de novos conhecimentos também é elevada. A motivação para aprendizagem também apresentou influência positiva na aquisição de conhecimentos, o que indica que atua como mediadora da relação entre capital psicológico e aquisição de conhecimentos. Essa mediação é complementar, em que os efeitos do capital psicológico são diretos e indiretos na aquisição de conhecimentos. Conclui-se que alunos com maior nível de capital psicológico são mais motivados para aprender e tendem a apresentar maiores níveis de conhecimentos adquiridos no curso de Ciências Contábeis. Estes achados contribuem com a gestão do curso, pois podem auxiliar no desenvolvimento de ações, no intuito de potencializar o capital psicológico dos alunos e sua motivação para aprendizagem, que refletirão positivamente na aquisição de conhecimentos.

Biografia do Autor

Vinícius Costa da Silva Zonatto, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)

Pós Doutor em Ciências Contábeis (UNISINOS), Doutor em Ciências Contábeis e Administração (FURB), Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Maria (PPGCC/UFSM)

Júlia Ziliotto Zanotto, Universidade Federal de Santa Maria

Bacharel em Ciências Contábeis (UFSM). Membro do Grupo de Pesquisa em Controladoria, Contabilidade Comportamental e Sistemas de Controle Gerencial.

 

Priscila Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Santa Maria

Bacharel em Ciências Contábeis (UFSM). Membro do Grupo de Pesquisa em Controladoria, Contabilidade Comportamental e Sistemas de Controle Gerencial.

Larissa Degenhart, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Ciências Contábeis e Administração (FURB), Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Maria (PPGCC/UFSM).

Luiz Henrique Figueira Marquezan, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Ciências Contábeis (UNISINOS), Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Maria (PPGCC/UFSM).

Referências

Baldvinsdottir, G., Mitchell, F., & Norreklit, H. (2010). Issues in the relationship between theory and practice in management accounting. Management Accounting Research, 21(2), 79-82. https://doi.org/10.1016/j.mar.2010.02.006

Bandura, A. (1986). Social foundations of thought and action: A social cognitive theory. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice-Hall.

Bandura, A. (1989). Human agency in social cognitive theory. American Psychologist, 44(9), 1175-1184. https://doi.org/10.1037/0003-066X.44.9.1175

Bandura, A. (2008). A evolução da teoria social cognitiva. In: Bandura, A., Azzi, R. G., & Polydoro, S. Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed.

Bagozzi, R. P., & Phillips, L. W. (1982). Representing and testing organizational theories: A holistic construal. Administrative Science Quarterly, 27, 459-489. 10.2307/2392322

Bender, S., & Fish, A. (2000). The transfer of knowledge and the retention of expertise: the continuing need for global assignments. Journal of Knowledge Management, 4(2), 125-137. https://doi.org/10.1108/13673270010372251

Birnberg, J. G., Luft, J., & Shields, M. D. (2007). Psychology theory in management accounting research. In. Chapman, C. S., Hopwood, A. G., & Shields, M. D. Handbook of Management Accounting Research, 1(4), 113-135. https://doi.org/10.1016/S1751-3243(06)01004-2

Blumenfeld, P. C., Kempler, T. M., & Krajcik, J. S. (2006). Chapter 28: motivation and cognitive engagement in learning environment. In Sawyer, R. K. (Ed.). The Cambridge Handbook of the Learning Sciences, Cambridge University Press, Cambridge, 475‐488.

Chang, Y.-Y., Gong, Y., & Peng, M. W. (2012). Expatriate knowledge transfer, subsidiary absorptive capacity and subsidiary performance. Academy of Management Journal, 55(4), 927-948. https://doi.org/10.5465/amj.2010.0985

Cohen, W. M., & Levinthal, D. A. (1990). Absorptive capacity: A new perspective on learning and innovation. Administrative Science Quarterly, 35(1), 128-152. 10.2307/2393553

Cole, M. S., Field, H. S., & Harris, S. G. (2004). Student learning motivation and psychological hardiness: Interactive effects on students’ reactions to a management class. Academy of Management Learning and Education, 3(1), 64-85. https://doi.org/10.5465/amle.2004.12436819

Comin, F. S., Inocente, D. F., & Miura, I. K. (2011). Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento: Pautas para a gestão de pessoas. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 12(2), 227-239.

Diseth, A., Pallesen, S., Brunborg, G. S., & Larsen, S. (2010). Academic achievement among first semester undergraduate psychology students: the role of course experience, effort, motives and learning strategies. Higher Education, 59(3), 335-352. 10.1007/s10734-009-9251-8

Ersanlı, C. Y. (2015). The relationship between students’ academic self-efficacy and language learning motivation: A study of 8th graders. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 199, 472-478. 10.1016/j.sbspro.2015.07.534

Hair Jr., J. F., Babin, B. J., Money, A. H., & Samouel, P. (2009). Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman.

Hamjah, S. H., Ismail, Z., Rasit, R. M., & Rozali, E. A. (2011). Methods of increasing learning motivation among students. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 18, 138-147. 10.1016/j.sbspro.2011.05.021

Luthans, F., Luthans, K. W., & Luthans, B. C. (2004). Positive psychological capital: Beyond human and social capital. Business Horizons, 47(1), 45-50. 10.1016/j.bushor.2003.11.007

Luthans, F., Youssef, C. M., & Avolio, B. J. (2007). Psychological Capital: Developing the Human Competitive Edge. New York: Oxford University Press, 2007.

Luthans, F., Youssef, C. M., & Avolio, B. J. (2015). Psychological capital and beyond. Oxford University, Press: New York.

Nguyen, T. T. M., & Nguyen, T. D. (2010). Determinants of learning performance of business students in a transitional Market. Quality Assurance in Education, 18(4), 304-316. https://doi.org/10.1108/09684881011079152

Nunes, A. I. B., & Silveira, R. N. (2015). Psicologia da aprendizagem. 3. ed. Ceará: EdUECE.

Pan, P., & Perera, H. (2012). Market relevance of university accounting programs: Evidence from Australia. Accounting Forum, 36(2), 91-108. https://doi.org/10.1016/j.accfor.2011.11.001

Pletsch, C. S., & Zonatto, V. C. da S. (2018). Evidence of the effects of psychological capital on the transfer of knowledge from accounting students to business organizations. Journal of Knowledge Management, 22(8), 1826-1843. https://doi.org/10.1108/JKM-04-2018-0270

Poots, A., & Cassidy, T. (2020). Academic expectation, self-compassion, psychological capital, social support and student wellbeing. International Journal of Educational Research, 99, 1-9. https://doi.org/10.1016/j.ijer.2019.101506

Riolli, L., Savicki, V., & Richards, J. (2012). Psychological capital as a buffer to student stress. Psychology, 3(12), 1202-1207.

Siqueira, M. M. M. (2014). Novas medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed.

Venkatesh, R., & Blaskovich, J. (2012). The mediating effect of psychological capital on the budget participation-job performance relationship. Journal of Management Accounting Research, 24(1), 159-175. https://doi.org/10.2308/jmar-50202

Tamer, C. M. V. S., Viana, C. C., Soares, L. A. C. F., & Lima, M. S. (2013). Perfil do profissional contábil demandado pelo mercado de trabalho: um estudo no norte do Brasil. Revista Universo Contábil, 9(3), 143-162. 10.4270/RUC.2013326

Tho, N. D. (2017). Knowledge transfer from business schools to business organizations: the roles absorptive capacity, learning motivation, acquired knowledge and job autonomy. Journal of Knowledge Management, 21(5), 1240-1253. https://doi.org/10.1108/JKM-08-2016-0349

Thompson, K. R., Lemmon, G., & Walter, T. J. (2015). Employee engagement and positive psychological capital. Organizational Dynamics, 44(3), 185-195. 10.1016/j.orgdyn.2015.05.004

Wong-On-Wing, B., Guo, L., & Lui, G. (2010). Intrinsic and extrinsic motivation and participation in budgeting: Antecedents and consequences. Behavioral Research in Accounting, 22(2), 133-153. 10.2308/bria.2010.22.2.133

You, J. W. (2016). The relationship among college students' psychological capital, learning empowerment, and engagement. Learning and Individual Differences, 49, 17-24. https://doi.org/10.1016/j.lindif.2016.05.001

Zonatto, V. C. S., Silva, A., & Gonçalves, M. (2018). Influência da motivação para o trabalho no comprometimento organizacional. Revista de Administração IMED, 8(1), 169-190. https://doi.org/10.18256/2237-7956.2018.v8i1.2180

Zonatto, V. C. da S., Weber, A., & Nascimento, J. C. (2019). Efeitos da participação orçamentária na assimetria informacional, estresse ocupacional e desempenho gerencial. Revista de Administração Contemporânea, 23(1), 67-91. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2019170327

Downloads

Publicado

2020-12-05

Como Citar

ZONATTO, V. C. da S.; ZANOTTO, J. Z.; SILVA, P. R. da; DEGENHART, L.; MARQUEZAN, L. H. F. INFLUÊNCIA DO CAPITAL PSICOLÓGICO NA MOTIVAÇÃO PARA APRENDIZAGEM E AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTOS. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 31, n. 3, p. 193-224, 2020. DOI: 10.22561/cvr.v31i2.6116. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/6116. Acesso em: 19 jan. 2021.