Comparação entre as Classificações de Risco de Crédito Estimadas pelos Modelos Estruturais e Não Estruturais: um Estudo com Empresas Brasileiras

Autores

  • Vanessa Martins Pires Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • João Zani Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Francisco Antonio Mesquita Zanini Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Palavras-chave:

Risco de Crédito, Modelos Estruturais, Modelos Não Estruturais

Resumo

Duas metodologias têm sido utilizadas para estimar o risco de crédito das empresas: os modelos estruturais e os modelos não estruturais. Os modelos estruturais são conhecidos também como modelos teóricos, pois apresentam uma teoria em sua construção. Os modelos não estruturais, por sua vez, são construídos por meio do teste de variáveis exploratórias, com a finalidade de inferir quais delas influenciam mais o grupo de observações presentes em uma amostra. Esta pesquisa contempla o modelo estrutural KMV e os modelos não estruturais de Kanitz (1976), Altman, Baidya e Dias (1979), Minussi (2008) e Brito e Assaf Neto (2008), com o objetivo de verificar o nível de convergência entre os resultados estimados pelas referidas metodologias. O estudo, realizado por meio de uma pesquisa empírico-analítica, abrange o período de 2006 a 2009. Estimaram-se regressões lineares simples e múltiplas, a fim de verificar a convergência entre os modelos. Concluiu-se, através de regressões lineares simples, que os resultados estimados pelo modelos de Kantiz (1976) e Altman, Baidya e Dias (1979) não são convergentes com os resultados obtidos pelo modelo KMV. Os resultados estimados pelo modelo de Minussi (2008) e Brito e Assaf Neto (2008) apresentaram significância estatística em relação ao modelo KMV, contudo evidenciaram uma relação inversa. O modelo de Brito e Assaf Neto (2008) ainda apresentou significância estatística em relação ao modelo KMV na regressão múltipla, mantendo o sinal negativo em seu coeficiente.

Biografia do Autor

Vanessa Martins Pires, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutoranda em Administração de Empresas pela Unisinos. Mestre em Ciências Contábeis pela Unisinos. Temas de interesse: risco de crédito, gestão de liquidez, estrutura de capital, custo de capital, estratégia e desempenho.

João Zani, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutor em Administração pela UFRGS. Pró-Reitor Acadêmico da Unisinos. Temas de interesse: Market timing; Estrutura de capital; Decisões de Investimentol; Custo de Capital; Restrição financeira e de crédito; Liquidez e decisões de investimento; Juros sobre o capital próprio e estrutura de capital e/ou política de dividendos; governança corporativa.

Francisco Antonio Mesquita Zanini, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Doutor em Contabilidade e Organização de Empresas pela Universidade Autônoma de Madrid - Espanha. Diretor da Unidade Acadêmica de Educação Continuada da Unisinos. Temas de interesse: Estrutura de Capital; Abertura de Capital; Ativos Intangíveis e Capital Intelectual; Precificação de ativos a partir de indicadores contábeis; Avaliação de empresas.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2014-12-10

Como Citar

PIRES, V. M.; ZANI, J.; ZANINI, F. A. M. Comparação entre as Classificações de Risco de Crédito Estimadas pelos Modelos Estruturais e Não Estruturais: um Estudo com Empresas Brasileiras. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 24, n. 3, p. 35-53, 2014. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/1305. Acesso em: 27 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)