O desenvolvimento financeiro afeta a degradação ambiental? Evidências para o Brasil no período 1978-2020

Autores

Resumo

Muitas pesquisas têm se debruçado sobre as possíveis correlações entre desenvolvimento do setor financeiro e crescimento econômico. Entretanto, observa-se que essas pesquisas recorrentemente ignoram os aspectos ambientais da questão, de modo que o objetivo aqui é preencher essa lacuna. Para tanto, o estudo especifica modelos ARDL para o período 1978-2020, objetivando averiguar a relação entre o desenvolvimento do setor financeiro e a degradação ambiental no Brasil. Construiu-se um índice de desenvolvimento financeiro para, em seguida, incorporá-lo como variável explicativa aos modelos. Como resultados encontra-se que o desenvolvimento do setor financeiro nacional piora a qualidade ambiental no Brasil, aumentando as emissões de dióxido de carbono e reduzindo o estoque de capital natural do país. Esses resultados podem estar ligados a uma ainda baixa participação do crédito verde no total de crédito alocado na economia brasileira e a um possível viés pró-carbono do setor financeiro nacional.

Biografia do Autor

Luiz Henrique Bispo Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Programa de Pós-Graduação em Economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Daniel Caixeta Andrade, Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Downloads

Publicado

2024-05-24

Como Citar

SANTOS, L. H. B.; ANDRADE, D. C. O desenvolvimento financeiro afeta a degradação ambiental? Evidências para o Brasil no período 1978-2020. Nova Economia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 1–35, 2024. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/8169. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Números Regulares

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)