Consequências macroeconômicas do consumo conspícuo: efeito demonstração, mimetismo cultural; efeito dependência e os limites sociais para o crescimento econômico

Autores

Resumo

Este artigo busca analisar os efeitos macroeconômicos do consumo conspícuo. Para tanto serão apresentados os conceitos de: efeito demonstração de Duesenberry; efeito demonstração internacional de Nurkse; mimetismo cultural de Furtado; efeito dependência de Galbraith; e do paradoxo da afluência de Hirsch. Foi possível concluir que o comportamento demonstrativo pode trazer consequências danosas às economias tanto dos países periféricos quanto dos países desenvolvidos. Essas estão relacionadas: à redução da poupança e do investimento; ao endividamento; à pressão sobre o câmbio e balança de pagamentos; ao incentivo à concentração de renda; à insatisfação crônica; ao desequilíbrio na alocação entre bens privados e bens públicos; ao monopólio dos bens posicionais; à frustração permanente das expectativas dos setores de menor renda. Busca-se, ainda, apontar as sugestões dos autores supracitados para remediar tais efeitos.

Biografia do Autor

Rafael Barbieri Camatta, Universidade Federal do Espírito Santo

Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil.

Alexandre Ottoni Teatini Salles, Universidade Federal do Espírito Santo

Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil.

Downloads

Publicado

2024-05-24

Como Citar

CAMATTA, R. B.; SALLES, A. O. T. Consequências macroeconômicas do consumo conspícuo: efeito demonstração, mimetismo cultural; efeito dependência e os limites sociais para o crescimento econômico. Nova Economia, [S. l.], v. 34, n. 1, p. 1–31, 2024. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/7897. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Números Regulares