Crescimento liderado pela demanda e a distribuição funcional da renda no Brasil de 1952 a 2017

Autores

Resumo

Este trabalho investiga o efeito de mudanças na distribuição funcional da renda sobre o crescimento no Brasil de 1952 a 2017. Seguindo as teorias de crescimento neo-Kaleckiana e do Supermultiplicador, é possível obter dois tipos de efeitos. Em primeiro lugar, um efeito nível, previsto por ambos os modelos, estabelece uma relação direta entre participação dos salários e o produto por meio de mudanças nos componentes da demanda agregada. Em segundo lugar, um efeito crescimento ocorre apenas nos modelos neo-kaleckianos e é a relação causal entre a parcela dos salários e o crescimento do produto por meio da taxa de acumulação de capital. Analisamos a presença desses dois efeitos na literatura empírica e não encontramos evidências de um regime de crescimento de longo prazo, como seria esperado no modelo neo-Kaleckiano. No entanto, encontramos evidências empíricas de que o investimento é um componente induzido da demanda, como é esperado no modelo Supermultiplicador.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

AVRITZER, J. D. .; FREITAS, F. N. P. de .; BRAGA, J. D. M. Crescimento liderado pela demanda e a distribuição funcional da renda no Brasil de 1952 a 2017. Nova Economia, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 07-38, 2021. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/5644. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Números Regulares