Integração espacial no mercado brasileiro de café arábica

Autores

  • Fernando Tadeu Pongelupe Nogueira
  • Danilo R. D. Aguiar
  • João Eustáquio de Lima

Palavras-chave:

integração de mercados, café,

Resumo

Este estudo analisa a integração espacial do mercado de café arábica nos dois principais estados produtores no Brasil. Os resultados do teste de raiz unitáriaDickey-Fuller Aumentado (ADF) mostram que todas as séries de preços são integradas de ordem 1, I(1). Os resultados do teste de co-integração de Johansen sugerem que todas as séries são co-integradas. Conclui-se, pois, que os mercados de café arábica das regiões produtoras de Minas Gerais e São Paulo são integrados espacialmente, ou seja, um choque de oferta ou demanda em um desses mercados afeta os preços de café arábica nos demais mercados. Outra constatação, decorrente da estimação de um modelo de correção de erros e da aplicação do Teste de Causalidade de Granger é que a região do Cerrado de Minas Gerais Granger-causa os preços das demais regiões. Tal constatação contraria a expectativa de que a região Sul de Minas, uma das maiores produtoras e exportadoras de café arábica do Brasil, iniciasse as variações de preços. Assim, os resultados da pesquisa sugerem que o mercado brasileiro de café é eficiente, uma vez que as informações têm fluído rapidamente entre os agentes desse mercado, permitindo que os mecanismos de arbitragem e a Lei do Preço Único funcionem a contento.

Downloads

Publicado

2009-06-03

Como Citar

NOGUEIRA, F. T. P.; AGUIAR, D. R. D.; LIMA, J. E. de. Integração espacial no mercado brasileiro de café arábica. Nova Economia, [S. l.], v. 15, n. 2, 2009. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/452. Acesso em: 29 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares