Uma análise preditiva para o uso do instrumento antidumping na Argentina

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Vinícius de Azevedo Couto Firme

Resumo

Este trabalho verificou o impacto de fatores macroeconômicos sobre a abertura de casos antidumping (AD) na Argentina e usou o modelo resultante para prever o uso do AD nesse país. Para tanto, considerou dados trimestrais de 1995 a 2010. Os modelos, estimados via Mínimos Quadrados Ordinários (MQO), Poisson e Binominal Negativo, revelaram que as variáveis defasadas causam maiores impactos sobre a abertura de casos AD que as variáveis contemporâneas. Além disso, uma piora nas transações correntes, uma desvalorização cambial ou um crescimento nas rendas da Argentina, do Brasil e do resto do mundo tenderiam a reduzir os casos AD. Quanto às previsões, verificou-se que o modelo de Poisson foi o que mais se aproximou do número real médio de medidas AD iniciadas pela Argentina. Contudo, o MQO produziu os menores resíduos. De modo geral, a boa capacidade preditiva de tais modelos revela um mau uso do AD por parte da Argentina.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Vinícius de Azevedo Couto Firme, Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Doutor em Economia Aplicada pelo PPGEA/UFJF e Professor Efetivo do Departamento de Economia da UFJF-GV.