Fecundidade e participação no mercado de trabalho brasileiro

Autores

  • Marina Silva Cunha Universidade Estadual de Maringá Departamento de Economia
  • Marcos Roberto Vasconcelos Universidade Estadual de Maringá, Departamento de economia

Palavras-chave:

participação da mulher, fecundidade, salários, renda

Resumo

Este trabalho analisa os determinantes da fecundidade e da participação das mulheres no mercado de trabalho brasileiro. São utilizadas as informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio do IBGE, de 1995 até 2009, e o modelo probit bivariado. Conforme o esperado, observou-se queda da fecundidade e aumento da participação no período estudado, bem como efeito negativo dos salários na probabilidade de fecundidade e positivo na probabilidade de participação no mercado de trabalho. Além disso, outras variáveis de controle incluídas relacionadas às características pessoais, condição na família e local de residência também afetam a fecundidade e a inserção das mulheres. Ademais, verificou-se que, na cauda inferior da distribuição da renda domiciliar, o efeito dos salários na fecundidade é maior, mas, no caso do engajamento no mercado de trabalho, é menor.

Biografia do Autor

Marina Silva Cunha, Universidade Estadual de Maringá Departamento de Economia

Doutorado em Economia Aplicada pela ESALQ/USP

Pós-doutorado em Economia do trabalho na UNB

Marcos Roberto Vasconcelos, Universidade Estadual de Maringá, Departamento de economia

Doutorado em Economia pela UNICAMP.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-08-08

Como Citar

CUNHA, M. S.; VASCONCELOS, M. R. Fecundidade e participação no mercado de trabalho brasileiro. Nova Economia, [S. l.], v. 26, n. 1, 2016. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/2390. Acesso em: 19 abr. 2021.

Edição

Seção

Números Regulares

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)