Importação de celulose: demandas diferenciadas por local de origem

  • Antônio Donizette de Oliveira
  • Orlando Monteiro da Silva
  • José Luiz Pereira de Rezende

Resumo

Neste estudo utiliza-se o modelo de Annington (1969a, b), que distingue os produtos por local de origem, com o objetivo de estimar equações de demanda de importação para a celulose. Os países exportadores selecionados foram Canadá, Estados Unidos, Suécia, Brasil e Finlândia e os importadores Estados Unidos, Japão, Itália, Alemanha, Inglaterra, França e Bélgica. A agregação da celulose vinda dos diferentes países é modelada utilizando-se uma função CES. Os valores das elasticidades de substituição, obtidos para os países importadores de celulose, foram baixos (-0,341, na Itália, a -1,843, na França), indicando uma baixa substitutibilidade da celulose nos mercados considerados. A demanda total de importação de celulose apresentou-se preço-inelástica em todos os países, tendo variado de -0,099 nos Estados Unidos a -0,452 no Japão. As elasticidades parciais da demanda pela celulose vinda dos Estados Unidos, do Canadá, da Suécia, da Finlândia e do Brasil foram inelásticas, em relação ao próprio preço, na maioria dos mercados (Japão, Itália, Alemanha, Inglaterra e Bélgica). Nos Estados Unidos e na França, a demanda apresentou-se elástica.

Publicado
2013-12-12
Como Citar
DE OLIVEIRA, A. D.; DA SILVA, O. M.; DE REZENDE, J. L. P. Importação de celulose: demandas diferenciadas por local de origem. Nova Economia, v. 6, n. 1, 12 dez. 2013.
Seção
Números Regulares