Festa de Padroeiros: cenários de Turismo Religioso em Goiás

  • João Guilherme da Trindade Curado Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás. (SEDUCE/GO).
  • Maria Idelma Vieira D'Abadia Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (SEDUCE).
Palavras-chave: Festa de Padroeiro, Turismo Religioso, Goiás

Resumo

Definir um padroeiro para uma localidade era uma obrigação no período colonial e imperial que se estendeu como prática durante a República, mesmo que esta se definisse como laica. Em Goiás, ocupado com a mineração, perpetuou-se este preceito, tendo sempre uma igreja matriz destinada ao orago de um santo patrono, que em devoção também recebe, ainda hoje, festa anual promovida pelos devotos. Como objetivo propõe-se destacar a importância das festas de padroeiro como patrimônio cultural e ainda como possibilidade turística em alguns municípios goianos. Os trabalhos de campo durante as festividades foram indispensáveis, assim como os estudos das políticas públicas voltadas para o turismo religioso. Os cenários serão estudados a partir de duas categorias geográficas: a paisagem quando a abordagem pautar-se nos momentos festivos e o território quando entrar em cena a análise de políticas públicas voltadas para o turismo religioso. Três serão os momentos abordados em relação a Goiás: a origem da devoção, as manifestações devocionais e as políticas públicas voltadas para o turismo religioso. Convidamos o leitor para se tornar um turista a peregrinar por entre caminhos festivos de padroeiros por Goiás afora. 

Biografia do Autor

João Guilherme da Trindade Curado, Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás. (SEDUCE/GO).
Mestrado (2006) e Doutorado (2011) em Geografia pelo Instituto de Estudos Sócio Ambientais da Universidade Federal de Goiás (IESA/UFG). Graduação em História pela Faculdade de Filosofia Bernardo Sayão (1997). Atualmente é professor titular - Secretaria Estadual de Educação. Tem experiência na área de História, Geografia e Patrimônio, com ênfase em Festas Populares, atuando principalmente nos seguintes temas: festa, tradição e cultura.
Maria Idelma Vieira D'Abadia, Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (SEDUCE).
Pós-doutora em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (2015). Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (2010). Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Goiás (2002). Especialista em Geografia Agro Urbana pela Universidade Estadual de Goiás (1995). Graduada em Licenciatura Plena em Geografia pela Faculdade de Ciências Econômicas de Anápolis (1990). Atualmente é professora concursada da Secretaria Estadual de Educação e Cultura de Anápolis. Professora efetiva da Universidade Estadual de Goiás, Campus de Ciências Socioeconômicas e Humanas (CCSEH - Anápolis) e do Programa de Pesquisa e Pós-graduação Interdisciplinar Território e Expressões Culturais no Cerrado (TECCER), tendo atuado na coordenação do programa de Agosto de 2015 a Julho de 2017. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Cultural e Humana, Cultura popular e tradições, atuando principalmente nos seguintes temas: festas religiosas, turismo, cidade, espaço e estágio supervisionado em Geografia.
Publicado
2018-12-22
Seção
Artigos