Estudos do Discurso no Contexto do CCBB Brasília: A Materialização de um Símbolo Financeiro em um Símbolo Cultural

Palavras-chave: Turismo, Hospitalidade, Discurso.

Resumo

Por seu caráter interdisciplinar, a ciência do Turismo pode se beneficiar de inúmeras maneiras das mais diversas abordagens que recebe, bem como dos mais distintos campos de conhecimento com os quais se relaciona. No caso deste artigo, busca-se expor referenciais de uma reflexão sobre como o Centro
Cultural Banco do Brasil Brasília (CCBB DF) apresenta a si mesmo e se constitui como espaço de visitação e acolhimento, por meio do discurso propagado no site (www.bb.com.br/cultura) e na página da instituição no Facebook (www.facebook.com/ccbb.brasilia). O recorte é para textos que trazem uma descrição do local, que narram sua história. Tendo a análise de discurso como
metodologia, observa-se como o Banco do Brasil utiliza o interdiscurso para, enquanto espaço de visitação, construir e solidificar sua identidade cultural, reafirmando-se como grande promotor e difusor da arte. Ao mesmo tempo, o Centro interpela o visitante, disseminando sua memória institucionalizada e
constitutiva, tanto em seu sítio eletrônico quanto em seu espaço físico. De um lado, uma apresentação em discurso direto e objetivo, como determina o texto contemporâneo. De outro, a presença da estrutura ideológica, na medida em que as redes sociais reproduzem modos de fala. A penetração no espaço turístico se dá pela categoria hospitalidade. É onde laços de sociabilidade são reorganizados e o poder da porta é reforçado. Os resultados sugerem que, por detrás do convite para que o visitante seja o protagonista da experiência turística, a linguagem corporaliza o símbolo da instituição financeira dentro de outros universos, instituindo, assim, uma relação com o interlocutor-visitante.

Biografia do Autor

Adelaide Cristina Nascimento de Oliveira, Universidade de Brasília (UnB)
Adelaide Oliveira é Mestre em Turismo pela Universidade de Brasília, Bacharel em Comunicação - Jornalismo - pela  Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Belo Horizonte (Fafi-BH). Desde 2007 é funcionária do Banco do Brasil. Atuou, nos anos 1990 e 2000 como jornalista nas rádios Guarani e Alvorada, jornal Hoje em Dia e como assessora de imprensa e produtora cultural. Tem artigos sobre artes cênicas publicados em revistas e livro editados na Itália e Dinamarca/Grã-Bretanha.
Eloísa Pereira Barroso, Universidade de Brasília (UnB)
Possui graduação em Letras pela Universidade de Brasília (1997), mestrado em Sociologia pela Universidade de Brasília (2004), doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília (2008) e doutorado sanduíche em Sociologia pela Frei Universität Berlin- Alemanha (2007). Professora adjunta da Universidade de Brasília do Departamento de História e cadastrada ao programa de Mestrado Profissional em Turismo do CET/ UnB e ao Programa de Pós Graduação em História da UnB. Tem experiência na área de História, com ênfase em História, Literatura, Oralidade, Memória e Patrimônio, atuando principalmente nos seguintes temas: história, cultura, turismo, literatura e cidade. 
Publicado
2016-12-22
Seção
Artigos