A BELEZA COMPENSA: O CAPITAL ERÓTICO COMO FONTE DE PODER SIMBÓLICO NAS ORGANIZAÇÕES

  • Adriana de Paula Bomfim Alcantara UNA
  • Cristiana Trindade Ituassu UNA
  • Luiz Rodrigo Cunha Moura UNA
Palavras-chave: capital erótico, poder simbólico, mídia

Resumo

Esta pesquisa qualitativa, exploratório-descritiva objetivou identificar quais aspectos do CAPITAL ERÓTICO são mais importantes para o executivo brasileiro, conforme as revistas Você SA e EXAME. Para tanto, submeteram-se reportagens dessas publicações à análise de conteúdo. Pelos achados, beleza física, vestimenta, carisma e bom humor mostram-se os itens de maior relevância nesse universo. Peso e idade, ainda que não detalhados nessa literatura, também se apresentam como importantes. Os resultados evidenciam, ainda, que as reportagens se silenciam sobre a sexualidade. Possíveis causas e implicações disso são discutidas, ao fim do trabalho.

Referências

AMADO, R., 2013, 10 Conselhos para o homem seguir todas as manhãs. disponível em http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/10-conselhos-para-o-homem-seguir-todas-as-manhas. Acesso em dez/2015.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70, 2011.
BELLONI, L., 2015, Companhia Indiana proíbe tripulação acima do peso de voar. disponível em http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/companhia-indiana-proibe-tripulacao-acima-do-peso-de-voar
BOURDIEU, P. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002
BRULON, V. Transpondo Bourdieu para as Organizações: um Convite à Sociologia Reflexiva em Estudos Organizacionais.ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2013
CAPPELLE, M. C. A.et al. Uma análise da dinâmica do poder e das relações de gênero no espaço organizacional. RAE-eletrônica, v. 3, n. 2, p. 22, 2004.
CARRIERI, A., PAULA, A. P. P. D.;DAVEL, E. (2014). Identidade nas Organizações: múltipla? fluida? autônoma? Organizações&Sociedade, 15(45).
CAWLEY, J. The Impact of obesity on wages.The Journal of Human Resources, Vol. 39, No. 2. (Spring, 2004), pp. 451-474.
COLLIS, J.; HUSSEY, R.Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Porto Alegre: Bookman, 2005.
DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de janeiro: Contraponto, v. 102, p. 85-102, 1997.
ETCOFF, N. Survival of the prettiest: the science of beauty.Anchor, 2011.
FLORES-PEREIRA, M. T. Corpo, Pessoa e Organizações.Organizações& Sociedade, v. 17, n. 54, 2010.
GASPARINI, C. 2014, 5maneiras de usar o guarda roupa a seu favor no trabalho disponível em http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/5-maneiras-de-usar-o-guarda-roupa-a-seu-favor-no-trabalho. Acesso em dez/2015.
GODOY, A. S. Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas possibilidades.Revista de Administração de Empresas. São Paulo v. 35, n. 2, p. 57 - 63; n.3, p. 20 - 29; n.4, p. 65 - 71 mar/ag.1995.
GOULART, I. Estudos Exploratórios em Psicologia Organizacional e do Trabalho, UFMG 2013.
GREENFIELD, R. 2015, Mulheres sofrem discriminação por idade antes que homens disponível em http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/mulheres-sofrem-discriminacao-por-idade-antes-que-homens. Acesso em dez/2015.
GRISCI, C. L. I.; HOFMEISTER, P.; CIGERZA, G..Trabalho imaterial, controle e subjetividade na reestruturação produtiva bancária. Anais do XXVIII Encontro Nacional de Programas de Pós-Graduação em Administração, Curitiba, PR: Enanpad.[Links], 2004.
HAKIM, C. Capital Erótico. Rio de Janeiro: Best Business, 2012
HAMERMESH, D.; BIDDLE, J. Beauty and the Labor Market.AmericaEconomicalReview, 1994, 84(5), pp. 1174-94.
HELAL, D H. Flexibilização organizacional e empregabilidade individual: proposição de um modelo explicativo. Cadernos Ebape. BR 3.1 (2005): 01-15.
ITUASSU, C. T.; TONELLI, M. J. Notas sobre o conceito de sucesso.Revista de Administração Mackenzie, vol. 13, n. 6, nov/dez 2012, p. 197-224.
IVC BRASIL, 2014. Disponível em: www.http://ivcbrasil.org.br/default.asp?23984
Acesso em outubro/2015.
LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade. 2000.
MISOCZKY, M. C. A. Campo de poder e ação em Bourdieu: implicações de seu uso em estudos organizacionais. XXV ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (2001).
MORAES, R. (1999). Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre,22(37), 7-32.
NOVAES, J.V. O intolerável peso da feiúra: sobre as mulheres e seus corpos. Rio de Janeiro: Ed. PUC - Rio/Garamond, 2006.
PEREIRA, L. A. R.; SANTOS, G. E. dos. Capital erótico no ambiente organizacional: a sua influência no processo seletivo e na empregabilidade. Revista de Ciências Gerenciais, v. 17, n. 26, p. 21-34, 2013.
PUGLIA, C. R. Indicações para o tratamento operatório da obesidade mórbida. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 50, n. 2, p. 118-118, 2004.
ROMEO, R. 2012, Contratar vendedor pela aparência física é uma boa idéia .disponível em http://exame.abril.com.br/revista-exame-pme/edicoes/49/noticias/contratar-vendedor-pela-aparencia-fisica-e-uma-boa-ideia. Acesso em dez/2015.
RODRIGUES, J., 2013 disponível em Como causar uma boa impressão em seus clientesdisponivel em http://exame.abril.com.br/revista-exame-pme/edicoes/56/noticias/como-causar-uma-boa-primeira-impressao-em-seus-clientes. Acesso em nov/2015.
SCHLÖSSER, A.; CAMARGO, B.V.. Aspectos não explícitos das representações sociais da beleza física em relacionamentos amorosos. Psicologia e Saber Social, v. 4, n. 1, p. 89-107, 2015.
SENDIN, T.a, 2011, Aparência importa sim. disponível em http://exame.abril.com.br/revista-voce-rh/edicoes/16/noticias/aparencia-importa. Acesso em dez/2015.
SIQUEIRA, M. V. S.; FREITAS, M. E. de. O papel da mídia especializada em negócios na reprodução do discurso organizacional em recursos humanos no Brasil. ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, v. 30, 2006.
SULIANO, D. H.. O Valor da Beleza. Por que as Pessoas Atraentes têm mais Sucesso. Rio de Janeiro: Campus-Elsevier, 2012, 199 p. Estudos Econômicos (São Paulo), v. 44, n. 2, p. 435-440, 2014.
TEIXEIRA, S. A. Produção e consumo social da beleza. Horizontes Antropológicos, v. 7, n. 16, p. 189-220, 2001.
TEIXEIRA, A. D.; DIAZ, M. D. M. Obesidade e o sucesso no mercado de trabalho utilizando a POF 2008-2009. Revista Gestão & Políticas Públicas, v. 1, n. 2, 2012.
THOMPSON, J. B. (2012). A mídia e a modernidade. Editora Vozes Limitada.
TOZZI, E., 2012, Beleza física pode trazer vantagens para a carreira. disponível em http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/170/noticias/beleza-fisica-pode-trazer-vantagens-para-a-carreira. Acesso em nov/2015.
VIEIRA, M. M. F.; CALDAS, M. P. Teoria crítica e pós-modernismo: principais alternativas à hegemonia funcionalista. Revista de Administração de Empresas, v. 46, n. 1, p. 59-70, 2006.
WOOD JR, T.; PAULA, A. P. P. de. Pop-management: contos de paixão, lucro e poder. Organizações & Sociedade, v. 9, n. 24, 2014.
WOOD JR, T. Organizações de simbolismo intensivo. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 1, p. 20-28, 2000.
WOLF, N. O mito da beleza. Rocco, 1992.
Publicado
2019-05-27
Seção
Artigos