EXCESSO DE CONFIANÇA DO CEO E O RISCO DE RELATÓRIOS FINANCEIROS FRAUDULENTOS

EVIDÊNCIAS NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO

Autores

  • Caritsa Scartaty Moreira Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Alex Ferreira Lopes Universidade Federal da Paraíba
  • Wenner Glaucio Lopes Lucena Universidade Federal da Paraíba
  • Orleans Silva Martins Universidade Federal da Paraíba

Palavras-chave:

Informações Contábeis, Excesso de Confiança do CEO, Risco de Relatórios Financeiros Fraudulentos

Resumo

A qualidade e a quantidade de informações disponíveis em um mercado são reflexo do processo de elaboração das demonstrações contábeis das empresas, que podem sofrer impacto dos vieses comportamentais por parte de seus elaboradores, como o caso do excesso de confiança. Esses vieses podem ser uma explicação para a prática de possíveis comportamentos oportunistas quando da elaboração das informações contábeis. O presente estudo analisa a relação do excesso de confiança dos gestores com o Risco de Relatórios Financeiros Fraudulentos (RRFF) das empresas listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3) no período de 2010 a 2021. Para tanto, o M-Score foi utilizado como proxy para o RRFF. Além disso, foi construído um ranking por meio da metodologia TOPSIS (com auxílio da entropia) para formulação da variável independente que mensura o excesso de confiança. A amostra analisada contém 211 empresas que foram analisadas por meio de regressão linear. Os resultados revelam uma relação negativa entre o excesso de confiança dos gestores e o RRFF, fornecendo assim, evidências de que as características pessoais dos gestores, neste caso, o excesso de confiança, têm impacto na qualidade das demonstrações contábeis. Ademais, a utilização do M-score como proxy para o RRFF traz maior robustez para os resultados aqui alcançados, uma vez que se utiliza de parâmetros contemporâneos, isto é, atualizados de acordo com a amostra e o período objetos de estudo.

Biografia do Autor

Caritsa Scartaty Moreira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutora em Ciências Contábeis pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (PPGCC/UFPB), Professora substituta do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – Campus I, Jardim Cidade Universitária S/N – Castelo Branco, João Pessoa – PB, 58.051-900, caritsa_scarlaty@hotmail.com, +55 84 99116-1827.

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-1243-9216

Alex Ferreira Lopes, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Ciências Contábeis pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (PPGCC/UFPB), Professor substituto do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), Av. São Sebastião, 2819 – Nossa Sra. De Fátima, Parnaíba – PI, 64.202-020, alexferreiralopes12@gmail.com, +55 83 99309-6146.

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-0307-6177

Wenner Glaucio Lopes Lucena, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Ciências Contábeis pelo Programa Multi-Institucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis UnB/UFPB/UFRN (PMIPCC – UnB/UFPB/UFRN), Professor do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – Campus I, Jardim Cidade Universitária S/N – Castelo Branco, João Pessoa – PB, 58.051-900, wenner.lucena@academico.ufpb.br, +55 83 3216-7459.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2476-7383

Orleans Silva Martins, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Ciências Contábeis pelo Programa Multi-Institucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis UnB/UFPB/UFRN (PMIPCC – UnB/UFPB/UFRN), Professor do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) – Campus I, Jardim Cidade Universitária S/N – Castelo Branco, João Pessoa – PB, 58.051-900, orleansmartins@yahoo.com.br, +55 83 3216-7459.

ORCID: https://orcid.org/0000-0002-4966-0347

Referências

A qualidade e a quantidade de informações disponíveis em um mercado são reflexo do processo de elaboração das demonstrações contábeis das empresas, que podem sofrer impacto dos vieses comportamentais por parte de seus elaboradores, como o caso do excesso de confiança. Esses vieses podem ser uma explicação para a prática de possíveis comportamentos oportunistas quando da elaboração das informações contábeis. O presente estudo analisa a relação do excesso de confiança dos gestores com o Risco de Relatórios Financeiros Fraudulentos (RRFF) das empresas listadas na Brasil, Bolsa e Balcão (B3) no período de 2010 a 2021. Para tanto, o M-Score foi utilizado como proxy para o RRFF. Além disso, foi construído um ranking por meio da metodologia TOPSIS (com auxílio da entropia) para formulação da variável independente que mensura o excesso de confiança. A amostra analisada contém 211 empresas que foram analisadas por meio de regressão linear. Os resultados revelam uma relação negativa entre o excesso de confiança dos gestores e o RRFF, fornecendo assim, evidências de que as características pessoais dos gestores, neste caso, o excesso de confiança, têm impacto na qualidade das demonstrações contábeis. Ademais, a utilização do M-score como proxy para o RRFF traz maior robustez para os resultados aqui alcançados, uma vez que se utiliza de parâmetros contemporâneos, isto é, atualizados de acordo com a amostra e o período objetos de estudo.

Publicado

2023-12-24

Como Citar

MOREIRA, C. S.; LOPES, A. F.; LUCENA, W. G. L.; MARTINS, O. S. EXCESSO DE CONFIANÇA DO CEO E O RISCO DE RELATÓRIOS FINANCEIROS FRAUDULENTOS: EVIDÊNCIAS NO MERCADO DE CAPITAIS BRASILEIRO. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 34, n. 3, p. 25–55, 2023. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/7412. Acesso em: 2 mar. 2024.