CONCEITOS DE CONTABILIDADE PRECONIZADOS PELOS PROFESSORES E SUAS RELAÇÕES COM O DESEMPENHO DISCENTE

Autores

  • Edilei Rodrigues de Lames UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo
  • Gilberto José Miranda Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v33i2.7211

Palavras-chave:

Accounting Concepts, Conceptual Structure, Student Income, CFC Sufficiency Exam, Accounting as a Representation of Reality

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar se a compreensão dos conceitos de contabilidade, pelo docente, está associada ao rendimento dos alunos, medido pela performance destes nos Exames de Suficiência do CFC. O estudo é exploratório-descritivo, com abordagem quantitativa e faz uso de um questionário aplicado a 433 docentes em Ciências Contábeis no Brasil, além da base de dados do Exame de Suficiência do CFC. Para a análise dos dados utilizou-se da estatística descritiva e inferencial (Análise de Correlação e Regressão Beta). Os resultados indicam que os docentes com publicações em revistas de alto impacto, que possuem o doutorado há mais tempo e atuam há menos tempo na docência, sãos os que melhor contribuem para a aprovação no Exame de Suficiência. Observa-se que há correlação estatisticamente significativa com o rendimento discente no Exame de Suficiência em quatro dos seis conceitos de contabilidade analisados. Os conceitos de Ciência, Ciência Social Aplicada e Arte evidenciam implicações negativas no rendimento discente, enquanto os resultados para o conceito de Contabilidade como Representação da Realidade sugerem que o docente que aceita este conceito tende a melhor capacitar os alunos para o exercício da profissão, pelo maior percentual de aprovação no Exame de Suficiência do CFC, apesar de não terem sido sustentados pela regressão beta. Conclui-se que a compreensão que os docentes têm dos conceitos de contabilidade e sobretudo das limitações desta no processo decisório, tem interferido no rendimento discente.

Biografia do Autor

Edilei Rodrigues de Lames, UNASP - Centro Universitário Adventista de São Paulo

Doctor in Accounting Sciences from the Federal University of Uberlândia – FACIC/UFU. Professor of Accounting and Administration Courses at Adventist University of Sao Paulo - UNASP. Address: Estrada Municipal Pastor Walter Boger s/n – Lagoa Bonita, CEP 13165-000 - Engenheiro Coelho – SP, Brazil. Phone: +55 (019) 3858 9000. E-mail: edilei.lames@unasp.edu.br

https://orcid.org/0000-0002-5044-166X

Gilberto José Miranda, Universidade Federal de Uberlândia

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo - FEA/USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Uberlândia – UFU.

Referências

Alves, E. M., Yoshitake, F. M., & Salles, J. A. A. (2015). Relationship Between the National Survey of Development of Students (ENADE) and Testing of Sufficiency Federal Council of Accounting (FCA). Procedia-Social and Behavioral Sciences, 174, 2967-2974. doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.01.1036

American accounting Association (1966). A Statement of Basic Accounting Theory. American Accounting Association.

American Institute of Certified Public Accountants (1953). Committee on Accounting Terminology. Accounting Terminology Bulletin, (1).

American Institute of Certified Public Accountants. Accounting Principles Board, Statement n. 4. Basic Concepts and Accounting Principles Underlying Financial Statements of Business Enterprises. New York: AICPA, 1970.

Annisette, M. (2000). Imperialism and the professions: the education and certification of accountants in Trinidad and Tobago. Accounting, Organizations and Society, 25, 631–59. doi.org/10.1016/S0361-3682(99)00061-6

Araujo, A. M. P., & Assaf Neto, A. (2010) Aprendendo contabilidade. Ribeirão Preto: Inside Books.

Arantes, D. A., & Da Silva, D. M. (2020). Análise do nível cognitivo do Exame de Suficiência na perspectiva da Taxonomia de Bloom. Contabilidade Vista & Revista, 31(2). doi.org/10.22561/cvr.v31i2.5314

Brasil (1996). Lei n. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 248, dez. 1996, p. 27.833-27.841. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil (2004). Resolução CNE/CES n. 10, de 16 de dezembro de 2004. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. Recuperado de: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces10_04.

Brasil (2019) Ministério da Educação, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plataforma Sucupira. Cursos Avaliados e Reconhecidos. Recuperado de: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/listaPrograma.jsf

Carnegie, G., Parker, L., & Tsahuridu, E. (2020). It’s 2020: What is Accounting Today? Australian Accounting Review, 0(0), 1-9. doi.org/10.1111/auar.12325

Chambers, R. J. (1995). An Accounting Thesaurus: 500 Years of Accounting. (5th ed.). Trowbridge: Pergamon.

Chetty, R., Friedman, J. N., & Rockoff, J. E. (2011). The long-term impacts of teachers: Teacher value-added and student outcomes in adulthood. National Bureau of Economic Research. Retrieved: https://www.nber.org/papers/w17699.pdf.

Conselho Federal de Contabilidade (2021). Apuração de Resultado por Exame. Recuperado de https://cfc.org.br/registro/exame-de-suficiencia/relatorios-estatisticos-do-exame-de-suficiencia/.

Conselho Federal de Contabilidade (1994). Resolução 774/1994. Apêndice à resolução sobre os princípios fundamentais da contabilidade. 1994. Recuperado de: http://www1.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=1994/000774.

Davis, S. W., Menon, K., & Morgan, G. (1982). The images that have shaped accounting theory. Accounting, Organizations and Society, 7(4), 307-318. doi.org/10.1016/0361-3682(82)90007-1

Franco, I. (2000). Contabilidade Geral. (24a ed.). São Paulo: Atlas.

Ferrari, S., & Cribari-Neto, F. (2004). Beta regression for modelling rates and proportions. Journal of applied statistics, 31(7), 799-815. doi.org/10.1080/0266476042000214501

Flescher, D. L., & Flescher, T. K. (1980). Accounting Principles for midmanagement. EUA: Delmar Publichers.

García, C. M. (1995). A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: Nóvoa, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 51-71.

García, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

Goyal, V. K., & Goyal, R. (2012). Financial Accounting. (4a ed.). New Delphi: PHI Learning.

Graham, C. (2013). Teaching accounting as a language. Critical Perspectives on Accounting, 24, 120-126. doi.org/10.1016/j.cpa.2012.01.006

Herrmann, F, Jr. (1978). Contabilidade Superior: teoria econômica da contabilidade. (10a ed.). São Paulo: Atlas.

Hines, R. D. (1991). The FASB's conceptual framework, financial accounting and the maintenance of the social world, Accounting, Organizations and Society, Elsevier, vol. 16(4), 313-331. doi.org/10.1016/0361-3682(91)90025-A

Horngren, C. T., Harrison, W. T., & Robinson, M. A. (1996). Accounting. New Jersey: Prentice-Hall.

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) (2009). Cálculo do Conceito ENADE. Brasília: Inep, 2009. Recuperado de: http://download.inep.gov.br/download/enade/2009/Nota_Tecnica_Conceito_Enade.pdf.

Iudícibus, S. (Coord). (2007). Contabilidade Introdutória. (10a ed.). São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S. (Coord). (2010). Contabilidade introdutória. (11a ed.). São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S., & Martins, E. A. (2015). Estudando e pesquisando teoria: o futuro chegou? Revista Universo Contábil, 11(1), 06-24. doi.org/10.4270/ruc.2015101

Iudícibus, S., Martins, E., & Gelbcke, E. R. (2008). Manual de contabilidade das sociedades por ações: aplicável também às demais sociedades. (8a. ed.). São Paulo: Atlas.

Lames, E. R., & Miranda, G. J. (2018). Contabilidade como Representação da Realidade: coerência com The Conceptual Framework for Financial Reporting. QRCA - Qualitative Research and Critical Accounting. Critical Perpectives on Accounting. Recuperado de: https://drive.google.com/file/d/1zoza8Nyhq0tvpO8nX9INqvQJXV8zwK1x/view.

Lames, E. R. (2018). Contabilidade como Representação da Realidade: uma análise das limitações mediante aplicação da Técnica Delphi. PDW – Paper Development Workshop. Revista Brasileira de Gestão de Negócios.

Leftwick, R. (1980). Market failure fallacies and accounting information. Journal of Accounting and Economics, 2(3), 193-211. doi.org/10.1016/0165-4101(80)90002-6

Lemos, K. C. S., & Miranda, G. J. (2015). Alto e Baixo Desempenho no ENADE: que variáveis explicam? Revista Ambiente Contábil, 7(2), 101-118. doi.org/10.4270/ruc.2019102

Lima, R. N, Filho & Bruni, A. L. (2012). Percepção dos graduandos em Ciências Contábeis de Salvador (BA) sobre os conceitos relevantes da Teoria da Contabilidade. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 6(2). Recuperado de http://www.repec.org.br/repec/article/view/176/609.

Martins, E. (2005). Análise crítica de balanços: problemas na análise da estrutura dos balanços no Brasil. Boletim IOB. Temática Contábil e Balanços. Manual de Procedimentos, São Paulo, Boletim 49.

Martins, E. (2014). Inversão de papéis. Revista de Contabilidade & Finanças, São Paulo, 25(65), p. 105-107. doi.org/10.1590/S1519-70772014000200002.

Martins, E.; Diniz, J. A., & Miranda, G. J. (2020). Análise avançada das demonstrações contábeis: uma abordagem crítica. (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, E.; Miranda, G. J., & Diniz, J. A. (2020). Análise didática das demonstrações contábeis. (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, G. A. (2006). Sobre confiabilidade e validade. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, v. 8, n. 20, 1-12. Recovered from https://rbgn.fecap.br/RBGN/article/download/51/272.

Manassian, A. (2009). Look who's talking: a postcolonial critique of the discourse on international accounting. J. for International Business and Entrepreneurship Development, 4(3), 207. doi.org/10.1504/JIBED.2009.029013

Mattessich, R. (2003). Accounting representation and the onion model of reality: a comparison with Baudrillard's orders of simulacra and his hyperreality. Accounting, Organizations and Society, 28(5), 443-470. doi.org/10.1016/S0361-3682(02)00024-7

Meigs, R. F., Meigs, W. B., & Meigs, M. A. (1995). Financial Accounting. (8th ed.). New York: Macgraw-Hill.

Miranda, G. J., Casa Nova, S. P. C., & Cornacchione, E. B., Jr. (2013). Ao mestre com carinho: relações entre as qualificações docentes e desempenho discente de contabilidade. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 15(48), 462-480. doi.org/10.7819/rbgn.v15i48.1351

Miranda, G. J., Lemes, S., Lima, F. D. C., & Junior, V. B. (2014). Relações entre desempenho acadêmico e acesso aos programas de Mestrado em Ciências Contábeis. Revista Ambiente Contábil, 6(1), 141-162. Recovered from: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/4482

Miranda, G. J., Lemos, K. C. S., Oliveira, A. S., & Ferreira, M. A. (2015). Determinantes do desempenho acadêmico na área de negócios. Revista Meta: Avaliação, 7(20), 175-209. doi.org/10.22347/2175-2753v7i20.264

Mukherjee, A., & Hanif, M. (2015). Financial Accounting. New Delphi: Tata MacGraw-Hill.

Needles, B. E., Anderson, H. R., & Caldwell, J. C. (1984). Principles of Accounting. Boston: Hougnton Mifflin.

Oakes, H., & Berry, A. (2009). Accounting colonization: Three case studies in further education. Critical Perspectives on Accounting, 20(3), 343–378. doi.org/10.1016/j.cpa.2007.06.006

OECD (2018). Rethinking Quality Assurance for Higher Education in Brazil, Reviews of National Policies for Education, OECD Publishing, Paris. doi.org/10.1787/9789264309050-en

Oliveira-Formosinho, J. Desenvolvimento profissional dos professores. In: Oliveira-Formosinho, J. (Coord.). Formação de professores: aprendizagem profissional e acção docente. Portugal: Porto Editora, 2009. p. 221-284.

Piccoli, M. R., Chiarello, T. C., & Klann, R. C. A. (2015). A percepção dos acadêmicos sobre conceitos abordados na disciplina de teoria da contabilidade. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 5(1), 40-57. doi.org/10.18028/rgfc.v5i1.735

Rangel, J. R., & Miranda, G. J. (2016). Desempenho acadêmico e o uso de redes sociais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 11(2), 139-154. doi.org/10.21446/scg_ufrj.v11i2.13383

Riahi-Belkaoui, A. (2004). Accounting Theory. NY: Thomson Learning.

Rodrigues, D. S., Santos, N. A., Santana, M. S., & Lemes, A. P. M. (2017). Diferenças entre gênero, etnia e perfil socioeconômico no exame nacional de desempenho do estudante do curso de ciências contábeis. Revista Contemporânea De Contabilidade, 14(33), 101-117. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2017v14n33p101

San-Juan, D. A. (2007). Fundamentals of Accounting. Bloomington: AuthorHouse.

Smirnov, I.; &Thurner, S. (2017). Formation of homophily in academic performance: students change their friends rather than performance. Plos One, 12(8), 1-16. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0189564

San-Juan, D. A. (2007). Fundamentals of Accounting. Bloomington: AuthorHouse.

Souza, F. F., & Vicente, E. F. R. (2017). Compreensão dos Graduandos dos Cursos de Ciências Contábeis Quanto aos Conceitos Relevantes Ensinados na Disciplina de Teoria da Contabilidade em IES da Grande Florianópolis. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC), 11(1), 110-126. doi.org/10.17524/repec.v11i1.1450

Sterling, R. R. (1975). Toward a Science of Accounting. Financial Analysts Journal, 31(5), 28-36. doi.org/10.2469/faj.v31.n5.28

Szuster, M., Cardoso, R. L., Szuster, F. R., Szuster, F. R., & Szuster, F. R. (2007). Contabilidade Geral. São Paulo: Atlas.

Tibúrcio Silva, C. A., & Tristão, G. (2008). Contabilidade Básica. (3a. ed.). São Paulo, Atlas.

Tulsian, P. C. (2009). Financial Accounting. (4th ed.). India: Pearson.

Vasconcelos, A. F. Cavalcanti, P. R. N.; & Monte, P. A. (2012). Fatores que influenciam as competências em docentes de Ciências Contábeis. Veredas Favip - Revista Eletrônica de Ciências, 5(1), 86-101. Recovered from: http://veredas.favip.edu.br/ojs/index.php/veredas1/article/view/8/168.

Warren, C. S., & Jones, P. J. (2017). Corporate Financial Accounting. (15th ed.). Boston: Cengage.

Zonatto, V. C. S., Dallabona, L. F., Moura, G. D., Domingues, M. J. C, & Raush, R. B. (2013). Evidências da relação entre Qualificação Docente e Desempenho Acadêmico: uma análise à luz da Teoria do Capital Humano. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(1), 6-25. doi.org/10.21446/scg_ufrj.v8i1.13280.

Publicado

2022-09-13

Como Citar

RODRIGUES DE LAMES, E.; JOSÉ MIRANDA, G. CONCEITOS DE CONTABILIDADE PRECONIZADOS PELOS PROFESSORES E SUAS RELAÇÕES COM O DESEMPENHO DISCENTE. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 33, n. 2, p. 232-256, 2022. DOI: 10.22561/cvr.v33i2.7211. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/7211. Acesso em: 30 set. 2022.