OTIMIZAÇÃO DO GASTO PÚBLICO NOS MUNICÍPIOS

Autores

  • André Luiz Marques Serrano Universidade de Brasília
  • Layane Gonçalves Furtado Universidade de Brasília
  • Lucas Oliveira Gomes Ferreira Universidade de Brasilia

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v32i2.6125

Palavras-chave:

Realocação, Gasto Público, Crescimento Econômico, Municípios

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar a influência da composição dos gastos públicos municipais na promoção do crescimento econômico, pois a classificação da função dos gastos permite avaliar o perfil do município frente ao crescimento econômico. Para tanto, o estudo analisa 5.533 municípios brasileiros no período de 2001 a 2016. Com o intuito de examinar a produtividade (ou improdutividade) dos gastos públicos por função municipal em relação ao crescimento econômico, os modelos empíricos se fundamentam no modelo teórico de Devarajan, Swaroop e Zou (1996). Todos os modelos foram estimados pelo modelo de efeitos fixos. Os resultados indicam que, nos municípios desenvolvidos, foram produtivos os gastos com habitação e urbanismo e com energia, e foram improdutivos os gastos com a função legislativa. Nos municípios não desenvolvidos, os gastos com transportes foram produtivos, enquanto os gastos com as funções judiciária e saúde foram improdutivos. Como análise adicional, examinou-se uma relação teórica não-linear dos gastos públicos com o crescimento econômico. Nos municípios não desenvolvidos, inferiu-se uma relação não linear dos gastos com as funções judiciária e educação e cultura. Nos desenvolvidos, inferiu-se uma relação não linear dos gastos com as funções legislativa e saúde e saneamento. Os resultados desta pesquisa corroboram as evidências apontadas no modelo teórico fundamentado. Diante desses resultados, sugere-se realocação na composição dos gastos públicos municipais brasileiros com o objetivo de alcançar uma maximização da contribuição de cada gasto no crescimento econômico.

Biografia do Autor

André Luiz Marques Serrano, Universidade de Brasília

Doutor em Economia pela Universidade de Brasília – UnB. Professor Associado do Departamento de Engenharia de Produção da UnB.

Layane Gonçalves Furtado, Universidade de Brasília

Mestre em Ciências Contábeis pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade de Brasília.

Lucas Oliveira Gomes Ferreira, Universidade de Brasilia

Doutorando em Ciências Contábeis pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade de Brasília – UnB. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da UnB.

Referências

Araújo, Jair Andrade de, Monteiro, Vitor Broges & Cavalcante, Cristina Aragão. (2010). A Influência dos gastos públicos no crescimento econômico dos Municípios do Ceará. Instituto de Pesquisa e Estratégia do Ceará - IPECE, Fortaleza.

Arraes, Ronaldo. A. & Teles, Vladimir. K. (2001). Política fiscal e crescimento econômico: aspectos teóricos e evidências empíricas para as regiões brasileiras. Revista Econômica do Nordeste, 32, n. Especial.

Aschauer, David Alan. (1989). Is public expenditure productive? Journal of monetary economics, v. 23, n. 2, p. 177-200. http://dx.doi.org/10.1016/0304-3932(89)90047-0

Barro, Robert J. (1991). Economic growth in a cross section of countries. The quarterly journal of economics, 106(2), 407-443. http://dx.doi.org/10.2307/2937943

Barro, Robert J. (1990). Government spending in a simple model of endogeneous growth. Journal of political economy, 98(5), Part 2, S103-S125. http://dx.doi.org/10.1086/261726

Baynaktar, Nihal & Moreno-Dodson, Blanca. (2010). How can public spending help you grow? An empirical analysis for developing countries. The World Bank. http://dx.doi.org/10.1596/1813-9450-5367

Bleaney, Michael, Gemmell, Norman & Kneller, Richard. (2001). Testing the endogenous growth model: public expenditure, taxation, and growth over the long run. Canadian Journal of Economics/Revue canadienne d'économique, 34(1), 36-57. http://dx.doi.org/10.1111/0008-4085.00061

Bogoni, Nadia Mar, Hein, Nelson & Beuren, Ilse Maria. (2011). Análise da relação entre crescimento econômico e gastos públicos nas maiores cidades da região Sul do Brasil. Revista de administração pública, 45(1), 159-179. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-76122011000100008

Bose, Niloy, Haque, M. Emranul & Osborn, Denise R. (2007). Public expenditure and economic growth: A disaggregated analysis for developing countries. The Manchester School, 75(5), 533-556. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-9957.2007.01028.x

Campo, Jacobo & Mendoza, Henry. (2018). Gasto público y crecimiento económico: un análisis regional para Colombia, 1984-2012. Lecturas de Economía, 88, 77-108. http://www.scielo.org.co/pdf/le/n88/0120-2596-le-88-00077.pdf

Cândido Júnior, José O. (2001). Os gastos públicos no Brasil são produtivos? Brasília: IPEA, fev. (Texto para discussão n. 781). http://ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/TDs/td_0781.pdf

Carboni, Oliviero A. & Medda, Giuseppe. (2011). Size and composition of public spending in a neoclassical growth model. Metroeconomica, 62(1), 150-170. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-999X.2010.04093.x

Cardoso, Vanessa R. dos Santos, Pansani, Daniel A., Serrano, André Luiz M. & Wilbert Marcelo D. (2018). Sustentabilidade da dívida pública: uma análise de curto e longo prazo aplicada aos municípios agregados. Revista Universo Contábil, 14(3), 07-27, jul./set. http://dx.doi.org/10.4270/RUC.2018317

Cashin, P. (1995). Government Spending, Taxes and Economic Growth. IMF Staff Papers, 42(2), 237-269.

Cavallo, Eduardo & Daude, Christian. (2008). Public investment in developing countries: A blessing or a curse? Journal of Comparative Economics, 39(1), p. 65-81. http://dx.doi.org/ 10.2139/ssrn.1820935

Degenhart, Larissa et al. (2016). Relação entre crescimento econômico e gastos públicos dos municípios da região norte do Brasil. Revista Eletrônica de Administração e Turismo-ReAT, 9(5), 1050-1072. http://dx.doi.org/10.15210/REAT.V9I5.7487

Devarajan, Shantayan, Swarrop, Vinaya & Zou, Heng-fu. (1996). The composition of public expenditure and economic growth. Journal of Monetary Economics, 37(2), 313-344. http://dx.doi.org/10.1016/S0304-3932(96)90039-2

Divino, José Angelo & Silva Junior, Rogério Lúcio Soares da. (2012). Composição dos gastos públicos e crescimento econômico dos municípios brasileiros. Revista Economia, 13(2). http://www.anpec.org.br/revista/vol13/vol13n3ap507_528.pdf

Domar, E. (1946). Capital Expansion, Rate of Growth, and Employment. Econometrica, 14(2), 137-147. http://dx.doi.org/10.2307/1905364

Farrel, M. J. (1957). A measurement of productive efficiency. Journal of The Royal Statistical Society, 120, 254-290. http://dx.doi.org/10.2307/2343100

Fernandes, José Lúcio Tozetti. (2016). Maldição dos recursos naturais e produtividade do gasto público nos municípios brasileiros. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Programa Multi-institucional e Inter-Regional de Pós- Graduação em Ciências Contábeis UnB/UFPB/UFRN, Universidade de Brasília, Brasília. https://repositorio.unb.br/handle/10482/20170

Fournier, Jean-Marc & Johansson, Åsa. (2016). The effect of the size and the mix of public spending on growth and inequality. OECD Publishing, 1344. http://dx.doi.org/10.1787/f99f6b36-en

Ghosh, Sugata & Gregoriou, Andros. (2008). The composition of government spending and growth: is current or capital spending better? Oxford Economic Papers, 60(3), 484-516. http://dx.doi.org/10.1093/oep/gpn005

Giambiagi, Fabio & Sidone, Otávio José Guerci. (2018). A reforma previdenciária e o teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Giuberti, Ana Carolina & Rocha, Fabiana. (2015). Composição ótima do gasto público para o crescimento econômico. In: Boueri, Rogério; Rocha, Fabiana; Rodopoulos, Fabiana (Organizadores). Avaliação da qualidade do gasto público e mensuração da eficiência. Brasília: Secretaria do Tesouro Nacional.

Gramlich, Edward M. (1994). Infrastructure investment: A review essay. Journal of economic literature, 32(3), 1176-1196.

Harrod, R. (1972). An Essay in Dynamic Theory. In: Economic Essays. Palgrave Macmillan, London.

Herrera, Santiago & Blanco, Fernando. (2004). The quality of fiscal adjustment and the long run growth impact of fiscal policy in Brazil. Draft paper, World Bank. http://hdl.handle.net/10986/9299

Heintz, James. (2010). The impact of public capital on the US private economy: new evidence and analysis. International Review of Applied Economics, 24(5), 619-632. http://dx.doi.org/10.1080/02692170903426104

Johansson, Åsa. (2016). Public Finance, Economic Growth and Inequality. OECD Economic Department Working Papers. OECD Publishing, 1346. https://www.oecd.org/economy/public-finance/Public-finance-economic-growth-and-inequality-a-survey-of-the-evidence.pdf

Kneller, Richard, Bleaney, Michael F. & Gemmell, Norman. (1999). Fiscal policy and growth: evidence from OECD countries. Journal of Public Economics, 74(2), 171-190. http://dx.doi.org/10.1016/S0047-2727(99)00022-5

Kneller, Richard & Misch, Florian. (2014). The effects of public spending composition on firm productivity. Economic Inquiry, 52(4), 1525-1542. http://dx.doi.org/10.1111/ecin.12092

Lovell, C. A. K. (1993). Production frontiers and productive efficiency. In: The measurement of productive efficiency: techniques and applications. New York: Oxford University Press, 3-67.

Lupu, D., Petrisor, M. B., Bercu, A. & Tofan, M. (2018). The Impact of Public Expenditures on Economic Growth: A Case Study of Central and Eastern European Countries. Emerging Markets Finance and trade, 54(3), 552-570. http://dx.doi.org/10.1080/1540496X.2017.1419127

Macedo, J. J. & Corbari, E. C. (2009). Efeitos da Lei de Responsabilidade Fiscal no endividamento dos municípios brasileiros: uma análise de dados em painéis. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), 44-60, set./dez. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772009000300004

Maciel, A. P. B.; Alarcon, A. O. & Gimenes, É. R. (2018). Partidos políticos e espectro ideológico: Parlamentares, especialistas, esquerda e direita no Brasil. Revista Eletrônica de Ciência Política, 8(3), 72-88. http://dx.doi.org/10.5380/recp.v8i3.54834

Makuyana, Garikai & Odhiambo, Nicholas M. (2017). Public and private investment and economic growth in Zimbabwe: An empirical test. Business and Economic Horizons, 13(1), 60-76. http://dx.doi.org/10.22004/ag.econ.264626

Miller, Stephen M. & Russek, Frank S. (1997). Fiscal structures and economic growth: international evidence. Economic Inquiry, 35(3), 603-613. http://dx.doi.org/10.1111/j.1465-7295.1997.tb02036.x

Moreno-Dodson, Blanca. (2008). Assessing the Impact of Public Spending on Growth: An Empirical Analysis for Seven Fast Growing Countries. Policy Research Working Paper, 4663. http://hdl.handle.net/10986/6850

Moreno-Dodson, Blanca & Baynaktar, Nihal. (2011). How Public Spending Can Help You Grow: An Empirical Analysis for Developing Countries. World Bank-Economic Premise, 48, 1-4. http://hdl.handle.net/10986/10107

Neduziak, Luiz Carlos Ribeiro & Correia, Fernando Motta. (2017). Alocação dos gastos públicos e crescimento econômico: um estudo em painel para os estados brasileiros. Revista de Administração Pública, 51(4), 616-632. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7612155177

Ntembe, Augustin, Amin, Aloysius Ajab & Tawah, Regina. (2017). Analysis of public investments and economic growth in Cameroon. Journal of Economics and Finance, 42(3), 591-614. http://dx.doi.org/10.1007/s12197-017-9411-0

Ogundipe, Adeyemi A. & Oluwatobi, Stephen. (2013). Government spending and economic growth in Nigeria: Evidence from disaggregated analysis. Journal of Business Management and Applied Economics, 2(4), 1-10. http://dx.doi.org/10.9734/air/2019/v19i430128

Piccoli, Marcio Roberto, Baronchello, Débora & Nardi, Janini. (2017). A importância do gasto público no crescimento econômico municipal. Revista de Administração e Contabilidade-RAC (CNEC), 16(32). https://core.ac.uk/reader/229768530

Ram, Rami. (1986). Government size and economic growth: a new framework and some evidence from cross-section and time-series data. The American Economic Review, 76(1), 191-203. http://dx.doi.org/10.1007/BF00204946

Rezende, Fernando. (2010). Finanças públicas. São Paulo: Atlas.

Rocha, F. & Giuberti, A. C. (2007). Composição do gasto público e crescimento econômico: uma avaliação macroeconômica da qualidade dos gastos dos estados brasileiros. Economia Aplicada, 11(4), 463-485. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-80502007000400001

Rodrigues, Rodrigo Vilela & Teixeira, Erly Cardoso. (2010). Gasto público e crescimento econômico no Brasil: uma análise comparativa dos gastos das esferas de governo. Revista Brasileira de Economia, 64(4), 423-438. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71402010000400005

Santos, João Almeida. (2002). História do transporte rodoviário. Revista Ibero – Americana de Estratégia, 1(1), 27-32. http://www.spell.org.br/documentos/ver/26647/historia-do-transporte-rodoviario/i/pt-br

Schumpeter, Joseph A. (1961). The Theory of Economic Development. Oxford: Oxford University Press, 1961.

Silva, Gabriela Aguiar da & Mourão, Gustavo Nunes. (2019). Concentração no mercado de transporte aéreo de passageiros no brasil: uma avaliação do período 2000-2017. Caderno PAIC, 20(1), 97-116. https://cadernopaic.fae.edu/cadernopaic/article/view/346

Silva, Guilherme Jonas Costa & Santolin, Roberto Salvador. (2012). Gastos públicos e crescimento econômico recente dos estados brasileiros. Revista Economia & Tecnologia, 8(3). http://dx.doi.org/10.5380/ret.v8i3.29870

Sousa, Rossana Guerra & Paulo, Edilson. (2016). Produtividade dos Gastos Públicos dos Estados Brasileiros. Um Estudo Empírico no Período de 1995 a 2010. Desenvolvimento em Questão, 14(36). http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2016.36.187-219

Souza, G. S. de. (2007). Política fiscal e crescimento econômico: evidências para o caso brasileiro. Dissertação (Mestrado em Economia) – Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEA-RP/USP), Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. http://dx.doi.org/10.11606/D.96.2007.tde-25072007-083907

Souza, G. S. de., Kannebley JR., S. & Diniz, E. M. (2010). Política fiscal e crescimento de longo prazo no Brasil: evidências para dados do orçamento função. Pesquisa e Planejamento Econômico, 40(1), 41-84, abr. http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/5103

Tarouco, G. da S. & Madeira, R. M. (2013). Partidos, programas e o debate sobre esquerda e direita no Brasil. Revista de Sociologia e Política, 21(45), 149-165. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782013000100011

Yilmaz, G. (2018). Composition of public investment and economic growth: evidence from Turkish provinces, 1975-2001. Public Sector Economics, 42(2), 187-214. http://dx.doi.org/10.3326/pse.42.2.10

Publicado

2021-07-29

Como Citar

SERRANO, A. L. M.; FURTADO, L. G.; FERREIRA, L. O. G. OTIMIZAÇÃO DO GASTO PÚBLICO NOS MUNICÍPIOS . Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 32, n. 2, p. 152-183, 2021. DOI: 10.22561/cvr.v32i2.6125. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/6125. Acesso em: 17 set. 2021.