EVIDENCIAÇÃO DAS AÇÕES DIANTE DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS RELATÓRIOS DAS EMPRESAS PARTICIPANTES DO CARBON DISCLOSURE PROJECT (CDP) BRASIL

Autores

  • Juliano Almeida de Faria Universidade Federal de Sergipe http://orcid.org/0000-0002-0143-9790
  • José Célio Silveira Andrade Universidade Federal da Bahia
  • Sônia Maria da Silva Gomes Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v31i2.5276

Palavras-chave:

Evidenciação, Mudanças Climáticas, Determinantes, Carbon Disclosure Project

Resumo

O objetivo deste trabalho foi propor um modelo para a mensuração do nível de evidenciação das ações de enfrentamento às mudanças climáticas a partir de fatores determinantes identificados na literatura (Faria, Andrade e Gomes, 2018B), a saber: prevenção da poluição, volume de emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE), gestão de ativos ambientais, prevenção de perdas, estratégica de mudança climática, sistema de gestão ambiental, ramo de atividade, estratégia empresarial, nível de regulação e tamanho da empresa. Com base nisso, foi possível identificar a correlação entre os fatores para a construção do Índice de Evidenciação das Ações diante das Mudanças Climáticas das empresas do CDP, Brasil (IEAMC-CDP). O IEAMC-CDP representa um mecanismo capaz de classificar o nível de evidenciação das ações diante das mudanças climáticas para as empresas do CDP Brasil, sendo composto por fatores que representaram 71,52% de todas as referências utilizadas nos relatórios anuais publicados no período estudado. O resultado da aplicação do IEAMC-CDP apresenta a empresa ALL (Transportes) como destaque no período, seguida pela B2W (e-commerce) e a CESP (Energia) em terceiro lugar. A evidenciação das ações de enfrentamento às mudanças climáticas por meio dos fatores determinantes mais evidenciados e captados pelo IEAMC-CDP é útil para as empresas na criação de estratégias de divulgação aos stakeholders com vistas à manutenção do contrato social (Teoria da Legitimidade), em especial para as empresas com menor pontuação na hierarquização de evidenciação apresentada nesta pesquisa. Além disso, sua estrutura permite a aplicação em empresas de diversos portes além das que fazem parte do CDP-Brasil.

Biografia do Autor

Juliano Almeida de Faria, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Engenharia Industrial e Mestre em Contabilidade.

Professor do Departamento de Ciências Contábeis de Itabaiana-SE - Universidade Federal de Sergipe.

José Célio Silveira Andrade, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Administração pela Universidade Federal da Bahia - UFBA Salvador, (Brasil).

Professor da Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia

Sônia Maria da Silva Gomes, Universidade Federal da Bahia

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, (Brasil).

Professora na Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia

Referências

Akbaş, H. E., & Canikli, S. (2018). Determinants of Voluntary Greenhouse Gas Emission Disclosure: An Empirical Investigation on Turkish Firms. Sustainability, 11(1), 1-24.DOI: https://doi.org/10.3390/su11010107

Amran, A., Periasamy, V., & Zulkafli, A. H. (2014). Determinants of climate change disclosure by developed and emerging countries in Asia Pacific. Sustainable Development, 22(3), 188-204. DOI: https://doi.org/10.1002/sd.539

Antal, M., & Van den Bergh, J. C. (2013). Macroeconomics, financial crisis and the environment: Strategies for a sustainability transition. Environmental Innovation and Societal Transitions, 6, 47-66. DOI: https://doi.org/10.1016/j.eist.2013.01.002

Barakat, S. R., Freitas, L. P., Boaventura, J. M. G., & MacLennan, M. L. F. (2016). Legitimidade: uma análise da evolução do conceito na teoria dos stakeholders. Ciencias da Administraçao, 18(44), 66-80. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8077.2016v18n44p66

Barros, C. L. M., & da Silva Monteiro, S. M. (2012). Determinant factors of mandatory environmental reporting: the case of Portuguese primary metal and steel industry. In Soft Computing in Management and Business Economics (pp. 123-147). Springer, Berlin, Heidelberg. DOI: https://doi.org/10.1007/978-3-642-30457-6_9

Begum, R. A., & Pereira, J. J. (2015). The awareness, perception and motivational analysis of climate change and business perspectives in Malaysia. Mitigation and Adaptation Strategies for Global Change, 20(3), 361-370. DOI: https://doi.org/10.1007/s11027-013-9495-6

Birnik, A. (2013). Developing climate change strategy: A framework for managers. Thunderbird International Business Review, 55(6), 699-717. DOI: https://doi.org/10.1002/tie.21585

Braam, G. J., de Weerd, L. U., Hauck, M., & Huijbregts, M. A. (2016). Determinants of corporate environmental reporting: The importance of environmental performance and assurance. Journal of cleaner production, 129, 724-734. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.03.039

Burgwal, D. V. D., & Vieira, R. J. O. (2014). Determinantes da divulgação ambiental em companhias abertas holandesas. Revista Contabilidade & Finanças, 25(64), 60-78. DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772014000100006

Cdp. (2014). CARBON DISCLOSURE PROJECT. Brasil. Disponível em:. Acesso em: 10 mai. 2014

Conceição, S. H., Dourado, G. B., & Silva, S. F. (2012). Global Reporting Initiative (GRI)-um estudo exploratório da prática de evidenciação em sustentabilidade empresarial na américa latina. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 2(3), 17-38.

Correa, J. C., Gonçalves, M. N., & de Oliveira Moraes, R. (2015). Disclosure ambiental das companhias do setor de petróleo, gás e biocombustíveis listadas na BM&FBovespa: uma análise à luz da Teoria da Legitimidade. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 4(3), 139-154. DOI: 10.5585/geas.v4i3.254

Cotter, J., & Najah, M. M. (2012). Institutional investor influence on global climate change disclosure practices. Australian journal of management, 37(2), 169-187. DOI: https://doi.org/10.1177/0312896211423945

Deegan, C. (2002). The legitimising effect of social and environmental disclosures–a theoretical foundation. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 15(3), 282-311. DOI: https://doi.org/10.1108/09513570210435852

Deegan, C., & Rankin, M. (1996). Do Australian companies report environmental news objectively?. Accounting, auditing & accountability journal, 9(2): p. 50-67. DOI: https://doi.org/10.1108/09513579610116358

Deegan, C. (2017). Twenty five years of social and environmental accounting research within Critical Perspectives of Accounting: Hits, misses and ways forward. Critical Perspectives on Accounting, 43, 65-87. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cpa.2016.06.005

Dias Filho, J. M. (2013). A Pesquisa Qualitativa sob a Perspectiva da Teoria da Legitimidade: uma alternativa para explicar e predizer políticas de evidenciação contábil. Interface, v. 9, n. 1, p. 72-86.

Doná, A. L., Marques, K. C. M., Moribe, A. M., & Junior, J. B. H. (2015). Fatores determinantes do conteúdo divulgado no relatório de administração de empresas brasileiras. Revista Universo Contábil, 11(4), 82-106. DOI: 10.4270/ruc.2015433

Dwyer, R., Lamond, D., Prado‐Lorenzo, J. M., Rodríguez‐Domínguez, L., Gallego‐Álvarez, I., & García‐Sánchez, I. M. (2009). Factors influencing the disclosure of greenhouse gas emissions in companies world‐wide. Management Decision. DOI: https://doi.org/10.1108/00251740910978340

Garcia, S., Cintra, Y. C., de Souza Ribeiro, M., & Dibbern, B. R. S. (2015). Qualidade da divulgação socioambiental: um estudo sobre a acurácia das informações contábeis nos relatórios de sustentabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(25), 67-94. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2175-8069.2015v12n25p95

Engau, C., & Hoffmann, V. H. (2011). Strategizing in an unpredictable climate: exploring corporate strategies to cope with regulatory uncertainty. Long Range Planning, 44(1), 42-63. DOI: https://doi.org/10.1016/j.lrp.2010.11.003

Eugenio, T. P. (2010). Avanços na divulgação de informação social e ambiental pelas empresas e a teoria da legitimidade. Revista Universo Contábil, 6(1), 102-118. DOI: http://dx.doi.org/10.4270/ruc.20106

Eugénio, T. P., Lourenco, I. C., & Morais, A. I. (2013). Sustainability strategies of the company TimorL: extending the applicability of legitimacy theory. Management of Environmental Quality: An International Journal. v. 24, n. 5, p. 570-582. DOI: https://doi.org/10.1108/MEQ-03-2011-0017

Faria, J. A., Andrade, J. C. S., & da Silva Gomes, S. M. (2018A). Fatores Determinantes da Evidenciação das Mudanças Climáticas nas Empresas Brasileiras Participantes do Carbon Disclosure Project [CDP]. Revista de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 7(1), 162-184.

Faria, J. A., Andrade, J. C. S., & da Silva Gomes, S. M. (2018B). The determinants mostly disclosed by companies that are members of the Carbon Disclosure Project. Mitigation and Adaptation Strategies for Global Change, 23(7), 995-1018. DOI: https://doi.org/10.1007/s11027-018-9785-0

Farias, K. T. R. (2009). A relação entre divulgação ambiental, desempenho ambiental e desempenho econômico nas empresas brasileiras de capital aberto: uma pesquisa utilizando equações simultâneas (Doctoral dissertation, Universidade de São Paulo). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo - Ribeirão Preto.

Farias, L. D. G. Q., Andrade, J. C. S., & Gomes, S. M. S. (2017). Estratégias de legitimidade de Suchman evidenciadas pelas empresas brasileiras destinatárias do pedido do Carbon Disclosure Project. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 10(5), 854-869.

Fernandes, S. M. (2012). Nível do disclosure ambiental das empresas brasileiras listadas na BM&FBovespa: uma análise do período de 2006 a 2010. Revista de Gestão Social e Ambiental, 6(2), 106-120.

Field, A. (2009). Descobrindo a Estatística Usando o SPSS-5. 2ª edição. Penso Editora.

Gallego-Álvarez, I., Lozano, M. B., & Rodríguez-Rosa, M. (2018). An analysis of the environmental information in international companies according to the new GRI standards. Journal of cleaner production, 182, 57-66. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2018.01.240

GRI, (2017). www.globalreporting.org. Global Reporting Initiative, Amsterdam.

Guia Nvivo. (2017) Manual Nvivo versão 11.4. QSR International. Disponível em: http://www.qsrinternational.com/nvivo-portuguese Acesso em: 21 de março de 2017.

Guia, L. D., Junior, C. B. M., Serrano, A. L. M., & Franco, V. R. (2017). O Impacto de Disclosure sobre o Desempenho das Empresas Brasileiras Listadas na NYSE. Revista Reuna, 22(3), 74-91.

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (1999). Teoria da contabilidade; tradução de Antonio Zoratto Sanvicente. São Paulo: Atlas, 277-297.

Hengst, I. A., Jarzabkowski, P., Hoegl, M., & Muethel, M. (2020). Toward a process theory of making sustainability strategies legitimate in action. Academy of Management Journal, 63(1), 246-271. DOI: https://doi.org/10.5465/amj.2016.0960

Hoffman, A. J., & Woody, J. G. (2008). Climate change: what's your business strategy?. Harvard Business Press, Cambridge, MA.

Iatridis, G. E. (2013). Environmental disclosure quality: Evidence on environmental performance, corporate governance and value relevance. Emerging Markets Review, 14, 55-75. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ememar.2012.11.003

Ihlen, Ø., & Roper, J. (2014). Corporate reports on sustainability and sustainable development:‘We have arrived’. Sustainable development, 22(1), 42-51. DOI: https://doi.org/10.1002/sd.524

Kos, S. R., Espejo, M. M. D. S. B., & Raifur, L. (2014). O conteúdo informacional do Relatório da Administração e o desempenho das empresas brasileiras do Ibovespa. Revista Universo Contábil, 10(2), 43-62. DOI: https://doi.org/10.4270/ruc.2014211

Lee, S. Y., Park, Y. S., & Klassen, R. D. (2015). Market responses to firms' voluntary climate change information disclosure and carbon communication. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 22(1), 1-12. DOI: https://doi.org/10.1002/csr.1321

Linehan, C., Solicitors, W. F., House, F., & Place, W. (2010). Financial and corporate disclosure of climate change risk- its role and recent developments. Environmental Law & Management, 22(2), 57-71.

Lopes, A. C., De Luca, M. M. M., Góis, A. D., & de Vasconcelos, A. C. (2017). Disclosure socioambiental, reputação corporativa e criação de valor nas empresas listadas na bm&fbovespa. Revista Ambiente Contábil, 9(1), 364-382.

Macêdo, F. F. R. R., de Moura, G. D., Gollo, V., & Klann, R. C. (2014). Evidenciação ambiental voluntária de companhias listadas no índice carbono eficiente da BM&FBovespa. Race: revista de administração, contabilidade e economia, 13(1), 329-352.

Machado, D. P., & Ott, E. (2015). Estratégias de legitimação social empregadas na evidenciação ambiental: Um estudo a luz da Teoria da legitimidade. Revista Universo Contábil, 11(1), 136-156. DOI: https://doi.org/10.4270/RUC.2015107

Mousa, G., & Hassan, N. T. (2015). Legitimacy theory and environmental practices: Short notes. International Journal of Business and Statistical Analysis, 2(01), p. 41-53.

Murcia, F. D. R., Rover, S., Lima, I., Fávero, L. P., & Lima, G. (2009). ‘Disclosure Verde’nas demonstrações contábeis: características da informação ambiental e possíveis explicações para a divulgação voluntária. Journal of Accounting, Management and Governance, 11(1-2).

O’donovan, G. (2002). Environmental disclosures in the annual report. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 15, n. 3, p. 344-371. DOI: https://doi.org/10.1108/09513570210435870

Pereira, A. G., Bruni, A. L., & Dias Filho, J. (2010). Legitimidade Corporativa EM Empresas Pertencentes a Indústrias Ambientalmente Sensíveis: Um Estudo Empírico com Empresas que Negociam Ações na Bovespa (Corporate Legitimacy in Companies Belonging to Environmentally Sensitive Industries: An Empirical Study with Companies that Trade Stocks on the Bovespa). Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, 5(2).

Pires, C. B., & da Silva Silveira, F. C. (2008). A evolução da evidenciação das informações ambientais de empresas do setor de celulose e papel: uma análise de conteúdo das notas explicativas e relatórios de administração. ConTexto, 8(13).

Reid, E. M., & Toffel, M. W. (2009). Responding to public and private politics: Corporate disclosure of climate change strategies. Strategic Management Journal, 30(11), 1157-1178. DOI: https://doi.org/10.1002/smj.796

Ribeiro, V. P. L., Guzmán, C. A., da Silva Monteiro, S. M., & Guzmán, B. A. (2012). Determining factors of environmental management practices in Portuguese local entities. Management of Environmental Quality: An International Journal. DOI: https://doi.org/10.1108/14777831211255079

Rossoni, L. (2016). O que é legitimidade organizacional?. Organizações & Sociedade, 23(76), 110-129. DOI: https://doi.org/10.1590/1984-9230766

Rover, S., Tomazzia, E. C., Murcia, F. D. R., & Borba, J. A. (2012). Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração, 47(2), 217-230. DOI: https://doi.org/10.5700/rausp1035

Silva, M. N. D., Lima, J. A. S. D. O., Freitas, M. A. L. D., & Lagioia, U. C. T. (2015). Determinantes do disclosure ambiental nos relatórios de empresas listadas na Bovespa. Revista Ambiente Contábil-Universidade Federal do Rio Grande do Norte-ISSN 2176-9036, 7(2), 1-15.

Silva, M. N., Rodrigues, R. N., & Lagioia, U. C. T. (2019). É financeiramente viável ser verde? A relação entre as práticas de divulgação e a performance financeira de empresas brasileiras de alto impacto ambiental. Cuadernos de Contabilidad, 20(49), 9. DOI: https://doi.org/10.11144/Javeriana.cc20-49.ffgr

Sprengel, D. C., & Busch, T. (2011). Stakeholder engagement and environmental strategy–the case of climate change. Business Strategy and the Environment, 20(6), 351-364. DOI: https://doi.org/10.1002/bse.684

Suchman, M. C. (1995). Managing legitimacy: Strategic and institutional approaches. Academy of management review, 20(3), 571-610. DOI: https://doi.org/10.5465/amr.1995.9508080331

Sullivan, R., & Gouldson, A. (2012). Does voluntary carbon reporting meet investors’ needs?. Journal of Cleaner Production, 36, 60-67. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2012.02.020

Zhang, Y. J., & Liu, J. Y. (2020). Overview of research on carbon information disclosure. Frontiers of Engineering Management, 1-16. DOI: https://doi.org/10.1007/s42524-019-0089-1

Downloads

Publicado

2020-07-12

Como Citar

DE FARIA, J. A.; ANDRADE, J. C. S.; GOMES, S. M. da S. EVIDENCIAÇÃO DAS AÇÕES DIANTE DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NOS RELATÓRIOS DAS EMPRESAS PARTICIPANTES DO CARBON DISCLOSURE PROJECT (CDP) BRASIL. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 31, n. 2, 2020. DOI: 10.22561/cvr.v31i2.5276. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/5276. Acesso em: 23 nov. 2020.