OS IMPACTOS DOS INVESTIMENTOS EM ATIVOS REAIS NO DESEMPENHO DE EMPRESAS BRASILEIRAS

Autores

  • João Daniel Maciel de Souza Faculdades IBMEC-RJ
  • Roberto Marcos da Silva Montezano Professor de Finanças - Faculdades Ibmec RJ
  • Valdir de Jesus Lameira Professor de Finanças - Faculdades Ibmec RJ

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v31i2.4868

Palavras-chave:

Decisões de investimentos, Capex, Desempenho, Valor de mercado

Resumo

Este estudo teve por objetivo verificar os impactos dos investimentos em ativos reais no desempenho contábil e no valor de mercado das empresas brasileiras. Trata-se de uma pesquisa de natureza descritiva, documental e quantitativa. Foram adotadas duas proxies para medir desempenho: ROA e q de Tobin. Para cada variável dependente, foram construídos cinco modelos de regressão com dados em painel não balanceado, com efeitos aleatórios. A amostra foi composta por 260 empresas não financeiras, com ações negociadas na BM&FBovespa, no período de 1996 a 2015. Os dados foram coletados na base da Economática com periodicidade trimestral. Os resultados das regressões apontaram relação positiva e significativa entre os investimentos e o q de Tobin, sugerindo que o mercado de capitais precifica positivamente novos investimentos, se antecipando aos seus efeitos esperados. Foram encontradas evidências fracas do relacionamento entre o ROA e os investimentos em t-1 e t-2, indicando uma hipótese a ser investigada de que o impacto no resultado contábil pode demorar alguns anos até ser verificado. Os resultados da pesquisa sugerem que o q de Tobin, como medida de mercado, é mais rapidamente afetado pelas decisões de investimento e pela performance esperada das empresas. Ademais, foram encontradas outras relações de interesse entre algumas variáveis explicativas e as proxies de desempenho adotadas.

Biografia do Autor

João Daniel Maciel de Souza, Faculdades IBMEC-RJ

Mestre em Administração pelo Centro Universitário Ibmec RJ.

Roberto Marcos da Silva Montezano, Professor de Finanças - Faculdades Ibmec RJ

Doutor em Economia pela EPGE/FGV. Professor da graduação e do mestrado profissional de Administração. Faculdade de Economia e Finanças do Centro Universitário Ibmec RJ.

Valdir de Jesus Lameira, Professor de Finanças - Faculdades Ibmec RJ

Pós-Doutor em Economia de Energia pelo INESC Coimbra-Portugal; Doutor em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2007). Professor de Finanças Corporativas e Valuation no Centro Universitário Ibmec RJ.

Referências

Antunes, M. A., Procianoy, J. L. (2003). Os efeitos das decisões de investimento das empresas sobre os preços de suas ações. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 38(1), 5-14.

Arcas, M. J., Bachiller, P. (2008). Performance and capital structure of privatized firms in Europe. Global Economic Review, 37(1), 107-123. DOI: 10.1080/12265080801911980

Bhasa, M. P. (2015). Ownership structure and performance of listed state-owned enterprises vis-à-vis comparable private enterprises: evidence from India. IUP Journal of Corporate Governance, 14(3), 7-24.

Brealey, R. A., Myers, S. C., Allen, F. (2013). Princípios de finanças corporativas. Porto Alegre: AMGH.

Brito, R. D. O., Pimentel, G. G. (2006). Sobre o custo do capital e o retorno do investimento corporativo no Brasil. Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação e Pesquisa Em Administração, 30, Salvador, 2006.

Chan, S. H., Gau, G. W., Wang, K. (1995). Stock market reaction to capital investment decisions: evidence from business relocations. Journal of Financial and Quantitative Analysis, 30(1), 81-100. DOI : 10.2307/2331254

Chan, B. L., Silva, F. L., Martins, G. A. (2007). Destinação de Riqueza aos Acionistas e aos Empregados: Comparação entre Empresas Estatais e Privadas. Revista de Administração Contemporânea, 11(4), 199-218. DOI: 10.1590/S1415-65552007000400010

Costa Filho, A. E. (2014). Incerteza e Atividade Econômica. Economia Aplicada, 18(3), 421-453. DOI: 10.1590/1413-8050/ea607

Fama, E. F., French, K. R. (1999). The corporate cost of capital and the return on corporate investment. The Journal of Finance, 54(6), 91-102. DOI : 10.1111/0022-1082.00178

Fama, E. F., French, K. R. (2006). Profitability, investment and average returns. Journal of Financial Economics, 82(3), 491–518. DOI : 10.1016/j.jfineco.2005.09.009

Famá, R., Barros, L. A. B. C (2000). Q de Tobin e seu uso em finanças: aspectos metodológicos e conceituais. Caderno de Pesquisas em Administração, 7(4), 26-43.

Fortunato, G., Funchal, B., Motta, A. P. (2012). Impacto dos Investimentos no desempenho das empresas brasileiras. Revista de Administração Mackenzie, 13(4), 75-98.

Goldeng, E., Grünfeld, L., Benito, G. R. G. (2008). The performance differential between private and state owned enterprises: the roles of ownership, management and market structure. Journal of Management Studies, 45(7), 1244-1273. DOI : 10.1111/j.1467-6486.2008.00790.x

Jiang, C., Chen, H., Huang, Y. (2006). Capital Expenditures and corporate earnings: evidence from Taiwan Stock Exchange. Managerial Finance, 32(11), 853-861. DOI: 10.1108/03074350610703812

Kayo, E. K., Kimura, H., Martin, D. M. L., Nakamura, W. T. (2006). Ativos Intangíveis, Ciclo de Vida e Criação de Valor. Revista de Administração Contemporânea, 10(3), 73-90. DOI : 10.1590/S1415-65552006000300005

Lindenberg, E. B., Ross, S. A. (1981). Tobin’s q ratio and industrial organization. Journal of Business, 54(1), 1-32.

Lucchesi, E. P., Famá, R. (2007). O impacto das decisões de investimento das empresas no valor de das ações negociadas na Bovespa no período de 1996 a 2003. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 42(2), 249-260. DOI: 10.1590/S0080-21072007000200012

Mendonça, H. F., Lima, T. R. V. S. (2011). Macroeconomic determinants of investment under inflation targeting: empirical evidence from the Brazilian economy. Latin American Business Review, 12(1), 25-38. DOI: 10.1080/10978526.2011.565697

Navarro, A. C., Silva, A. F., Parisi, C., Robles Junior, A. (2013). Decisões de investimento e rentabilidade futura: estudo empírico com companhias abertas não financeiras. Contabilidade, Gestão e Governança, 16(1), 19-34.

Rigolon, F. J. Z. (1999). Opções reais, análise de projetos e financiamentos de longo prazo. Revista do BNDES, 11, 137-166.

Sanvicente, A. Z., Minardi, A. M. A. F. (1998). Identificação de indicadores contábeis significativos para a previsão de concordata de empresas. Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, 1968, 1–12.

Silva, E. S., Queirós, M. (2013). Análise de Investimentos em Ativos Reais: Volume 1 – Abordagem convencional. Porto: Vida Económica.

Silva, R. B. (2015). Ensaios sobre a relação entre o investimento em inovação e o desempenho das empresas e risco no Brasil. Tese (Doutorado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro, 2015.

Silveira, A. D. M. (2004). Governança Corporativa e estrutura de propriedade: determinantes e relação com o desempenho das empresas brasileiras. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

Titman, S., Wei, K. C. J., Xie, F. (2004). Capital investments and stock returns. Journal of Financial and Quantitative Analysis, 39(4), 677-700. DOI: 10.3386/w9951

Tran, T. L. (2014). Uncertainty and Investment: Evidence from Australian Firm Panel Data. Economic Record, 90, 87-101. DOI: 10.1111/1475-4932.12133

Downloads

Publicado

2020-12-05

Como Citar

MACIEL DE SOUZA, J. D.; DA SILVA MONTEZANO, R. M.; DE JESUS LAMEIRA, V. OS IMPACTOS DOS INVESTIMENTOS EM ATIVOS REAIS NO DESEMPENHO DE EMPRESAS BRASILEIRAS. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 31, n. 3, p. 6-25, 2020. DOI: 10.22561/cvr.v31i2.4868. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/4868. Acesso em: 19 jan. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)