VALUE RELEVANCE DA PERDA POR REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DO GOODWILL: EVIDÊNCIAS DAS EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA

Autores

  • Géssica Cappellesso Universidade de Brasília
  • Leila Conceição Novais Rocha Universidade de Brasília
  • José Alves Dantas Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v29i3.4276

Palavras-chave:

Value relevance, Impairment, Goodwill, Mercado de Capitais.

Resumo

Este estudo tem por objetivo analisar o value relevance da perda por impairment do goodwill no mercado de capitais brasileiro. Para tanto, foram utilizados dados anuais de empresas não financeiras listadas na BM&FBovespa que tiveram goodwill reconhecido entre 2009 e 2015. Para a realização dos testes foi empregado um modelo adaptado de Ohlson (1995), a fim de analisar a relevância dessa informação para os investidores. Os resultados demonstraram uma associação positiva e significante entre o valor de mercado e o patrimônio líquido, o lucro líquido e o goodwill. Assim, as evidências indicam que os investidores reagem positivamente a essas informações e que elas são relevantes para o mercado de capitais brasileiro. Por outro lado, a perda por impairment do goodwill não apresentou significância para explicar o valor de mercado, não corroborando a hipótese do estudo. Ao concluir que a perda por impairment do goodwill não é uma informação relevante para o mercado de capitais brasileiro, uma vez que esse não reage ao seu reconhecimento, o estudo gera questionamentos sobre uma eventual necessidade de alteração nas normas ou no comportamento dos gestores, quando da preparação das demonstrações.

Downloads

Publicado

2019-03-14

Como Citar

CAPPELLESSO, G.; ROCHA, L. C. N.; DANTAS, J. A. VALUE RELEVANCE DA PERDA POR REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DO GOODWILL: EVIDÊNCIAS DAS EMPRESAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 29, n. 3, p. 102-120, 2019. DOI: 10.22561/cvr.v29i3.4276. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/4276. Acesso em: 24 jan. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)