GESTÃO SOCIOAMBIENTAL EM INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS NO BRASIL: UMA ANÁLISE A LUZ DOS RELATÓRIOS ANUAIS DE SUSTENTABILIDADE

  • Flávio José de Melo Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Daniele Cristina Bernd Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Marcos Wagner da Fonseca Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Jorge Eduardo Scarpin Universidade Federal do Paraná - UFPR
Palavras-chave: Gestão Ambiental, Indicadores, Sustentabilidade

Resumo

No ambiente empresarial, a reflexão sobre o tema sustentabilidade demonstra uma tendência crescente entre as instituições financeiras em incorporar o seu significado no desenvolvimento de suas atividades. Essa pesquisa teve como objetivo verificar os principais indicadores de sustentabilidade apresentados pelas instituições financeiras bancárias que evidenciam seu compromisso com a sociedade, bem como os temas e políticas sustentáveis priorizados nos relatórios anuais de sustentabilidade. O delineamento metodológico do estudo em questão foi de caráter qualitativo e quantitativo, por meio das análises de conteúdo e correspondência - ANACOR. Para o tratamento dos dados qualitativos referentes as inferências dos relatórios anuais de sustentabilidade das instituições financeiras, no período de 2007 a 2013, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo, com o auxílio do software NVIVO. Para o tratamento estatístico quantitativo utilizou-se o software SPSS 20. Pode-se concluir que os principais indicadores direcionadores das ações sustentáveis são: o subgrupo emissões de efluentes e resíduos, seguidas pelo indicador energia. Os principais programas socioambientais realizados para mitigar impactos socioambientais foram a gestão das emissões e as compensações voluntárias. As instituições financeiras bancárias, de um modo geral, demonstram um panorama das principais iniciativas para mitigar impactos sob a ótica econômica, social e ambiental.

Biografia do Autor

Flávio José de Melo, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná - UFPR
Daniele Cristina Bernd, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná - UFPR
Marcos Wagner da Fonseca, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Doutor em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Federal do Paraná - UFPR
Jorge Eduardo Scarpin, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo - USP
Publicado
2017-05-04