Carteiras Formadas por Meio de Direcionadores de Valor são Eficientes?

Autores

  • Francisco Roberto Farias Guimarães Júnior Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal da Paraíba
  • Charles Ulises De Montreuil Carmona Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco
  • Luciana Gondim de Almeida Guimarães Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar

Palavras-chave:

Eficiência de Carteiras, Direcionadores de Valor, Teste de Wald

Resumo

Há mais de 50 anos, pesquisadores estudam a influência de indicadores financeiros, práticas contábeis e direcionadores de valor nos preços e nos retornos das ações.  A finalidade desses estudos foi desenvolver métodos que auxiliem a seleção de bons ativos. Essa pesquisa tem como objetivo verificar se carteiras formadas por meio de direcionadores de valor estão próximas da fronteira eficiente. Utilizaram-se os dados disponíveis no banco de dados Economática das bolsas de valores da Argentina; do Brasil; do Chile; e do México. O modelo utilizado para formar carteiras por meio de direcionadores de valo foi baseado na matriz de ponderação de fatores e foram utilizadas as seguintes variáveis: Q de Tobin, Beta, Alavancagem Financeira, Índice P/L e Índice Preço / Vendas e a eficiência foi analisada pelo Teste de Wald. Os resultados apresentaram que: (i) a quantidade de ativos nas carteiras variou de 4 a 15; e (ii) em 24 de 60 valores (40%), o módulo do valor do Teste de Wald ficou dentro do intervalo de 5% (0 < |W| ? 0,05) e que em 16 situações o módulo do valor do Teste de Wald ficou dentro do intervalo de 10% (0,05 < |W| ? 0,10). Sumarizando, em 40 de 60 observações (66,67%), os valores do Teste de Wald ficaram dentro de uma variação de até 10%, indicando uma boa proximidade da fronteira eficiente. Para estudos futuros sugere-se: usar modelos lineares generalizados para o cálculo dos pesos dos ativos; utilizar outros direcionadores de valor; replicar este estudo em outras bolsas.

Biografia do Autor

Francisco Roberto Farias Guimarães Júnior, Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Administração pelo PROPAD-UFPE (2013), Mestre em Logística e Pesquisa Operacional (Engenharia de Produção) pela Universidade Federal do Ceará (2009), Mestre em Administração pela Universidade Estadual do Ceará (2007) e Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (2000). Atualmente sou Professor Adjunto do Departamento de Administração da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Contabilidade e Finanças da mesma Universidade. Tenho experiência nas áreas de Administração e Engenharia, com ênfase em Finanças, Administração da Produção, Logística, Pesquisa Operacional e Métodos Quantitativos Aplicados.

Charles Ulises De Montreuil Carmona, Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco

Atualmente é Professor Associado do Departamento de Ciências Administrativas, do Programa de Pós-graduação em Administração (PROPAD) e do Mestrado Profissional em Gestão Pública (MGP) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Realizou estudos de Pós-Doutorado na University of Illinois at Urbana-Champaign, USA. Possui Doutorado e Mestrado em Engenharia de Produção, com ênfase em Finanças e Análise de Investimentos, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio); e graduação em Engenharia Industrial pela Universidade de Lima, Perú. Também coordena o Núcleo de Estudos em Finanças e Investimentos (NEFI/UFPE) e integra o grupo de pesquisa Complexidade & Organizações (UFPB). Tem realizado supervisões a nível pós-doutoral. Tem experiência na área de Finanças, com ênfase principalmente nos seguintes temas: Gerenciamento de Risco, Microfinanças e Mercado de Capitais.

Luciana Gondim de Almeida Guimarães, Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar

Doutora em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco (2014). Mestra em Logística e Pesquisa Operacional pela Universidade Federal do Ceará (2008), Especialista em Processos Educacionais pela Faculdade Católica Stella Maris (2006) e Graduada em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (2004). Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Potiguar.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2015-08-24

Como Citar

GUIMARÃES JÚNIOR, F. R. F.; CARMONA, C. U. D. M.; GUIMARÃES, L. G. de A. Carteiras Formadas por Meio de Direcionadores de Valor são Eficientes?. Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 26, n. 2, p. 65-89, 2015. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/2404. Acesso em: 27 out. 2021.