Pensando em sistemas abertos: aprendizados, eficiência adaptativa e incertezas em Douglass North

Autores

  • Guilherme de Queiroz-Stein Institute für Politikwissenchaft, Westfälische Wilhelms-Universität Münster, Münster, Germany. Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5970-7962

Resumo

Resumo

Neste artigo, é proposta uma reflexão a respeito da relação entre o campo de estudos institucionalista e o pluralismo em Ciências Econômicas, explorando algumas das contribuições de Douglass North. Para tanto, discute-se como as categorias de aprendizado e eficiência adaptativa são mobilizadas para dar conta das relações entre mudança institucional e econômica, incorporando a intencionalidade dos agentes. Ainda, são debatidos os desafios epistemológicos de assumir a incerteza ubíqua como pressuposto da análise econômica institucional. Considera-se que a principal contribuição deste trabalho é demonstrar de que forma o pensamento de Douglass North se aproxima da caracterização dos sistemas econômicos enquanto sistemas abertos, no sentido proposto por Sheila Dow em seu conceito de pluralismo estruturado.

Palavras-chave: sistemas abertos, instituições, incerteza, aprendizados, eficiência adaptativa

Códigos JEL: B25, B4, B52

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

QUEIROZ-STEIN, G. de. Pensando em sistemas abertos: aprendizados, eficiência adaptativa e incertezas em Douglass North. Nova Economia, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 105-129, 2021. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/6218. Acesso em: 4 dez. 2021.

Edição

Seção

Números Regulares