Fábula de Cláudio Manuel da Costa: mineração e poesia em situação colonial

Resumo

Com o poema lírico “Fábula do ribeirão do Carmo”, Cláudio Manuel da Costa imagina uma origem mítica para a Capitania das Minas Gerais e a principal atividade econômica que estimulou o povoamento luso-brasileiro da região. A narrativa trata do surgimento do rio que banha a cidade natal do poeta, Mariana. Por seguir o modelo clássico das Metamorfoses, de Ovídio, o poeta incorpora Minas Gerais e sua bacia hidrográfica ao tesouro mitológico da Antiguidade, que irrigava toda a tradição literária do Ocidente. Ao mesmo tempo, frisa o caráter especificamente colonial dessa incorporação, com uma história marcada pelo desterro e a violência.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
ALCIDES, S. Fábula de Cláudio Manuel da Costa: mineração e poesia em situação colonial. Nova Economia, v. 29, n. Especial, p. 1389-1407, 31 dez. 2019.