A reestruturação do sistema creditício doméstico e a recuperação precoce da economia brasileira na década de 1930

Autores

Resumo

Resumo

Ao final de 1928, a economia brasileira começou a experimentar desaceleração econômica, puxada pela retração do crédito doméstico, devido ao aumento do entesouramento dos bancos aliado a uma já fraca entrada de capitais externos. Com a crise de 1929 a situação do crédito doméstico piorou substantivamente, em razão da piora dos termos de troca e da célere fuga de capitais. Dada a operacionalidade do padrão ouro-libra, a perda de reservas à qual foi submetida a economia brasileira resultou em retração da base monetária, com efeitos associados sobre os meios de pagamento e os empréstimos bancários. O presente artigo analisa a importância da restruturação do sistema financeiro à época, tendo em vista seus efeitos sobre a recuperação do crédito doméstico e da atividade econômica. A hipótese é de que essa restruturação é uma face fundamental do processo de recuperação precoce da economia brasileira, ao permitir a adoção de uma política monetária anticíclica e a expansão do crédito pelas instituições bancárias.

 

Palavras-chave: Política monetária; crédito bancário; recuperação econômica no Brasil pós-1930; Grande Depressão; multiplicador monetário nos anos de 1930 no Brasil.

 

Códigos JEL: N16, O14, E51

Biografia do Autor

Márcio Alvarenga Jr., Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Economista pela UFRJ. Mestre em Economia pela UFF. Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do Grupo de Economia do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (GEMA-UFRJ).

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

ALVARENGA JR., M. .; MATTOS, F. A. M. de. A reestruturação do sistema creditício doméstico e a recuperação precoce da economia brasileira na década de 1930. Nova Economia, [S. l.], v. 31, n. 2, p. 637-665, 2021. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/6091. Acesso em: 19 ago. 2022.

Edição

Seção

Números Regulares