Sobre a China e o “socialismo de mercado” como uma nova formação econômico-social

Autores

Resumo

O objetivo deste artigo é demonstrar que o crescimento do setor estatal na economia chinesa, acelerado desde 2009, abre condições para a possibilidade de o “modelo chinês” se tratar de algo que vai se distanciando – historicamente – de um modelo típico de “capitalismo de Estado”, e mais longe ainda de ser um “capitalismo liberal”. Diante de uma gama de evidências afirmamos que o “socialismo de mercado” já pode ser classificado como uma nova formação econômico-social (NFES) que tem na complexidade seu principal atributo, pois implica tratar-se de uma formação marcada pela convivência de diferentes modos de produção. Por não se tratar de uma formação social no auge de seu desenvolvimento o “socialismo de mercado” deve ser abordado como um fenômeno regido por combinações entre diferentes modos e relações de produção. Classificar e expor as lógicas que regem o desenvolvimento do “socialismo de mercado” será objeto de análise neste trabalho.

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

JABBOUR, E. M. K.; DANTAS, A. . Sobre a China e o “socialismo de mercado” como uma nova formação econômico-social. Nova Economia, [S. l.], v. 30, n. 3, p. 1029-1051, 2021. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/5544. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Números Regulares