O desenvolvimento como processo de mudança cultural: as conexões entre excedente e estruturas sociais na visão de Celso Furtado

Autores

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar a visão de Furtado sobre excedente e estrutura social, sugerindo que uma releitura atenta a esses dois elementos permite melhor compreensão de sua obra. Para Furtado, o excedente é o ponto de partida para uma apreensão mais ampla do desenvolvimento, uma vez que possibilita escolha por parte da comunidade e processos de transformação social. Seus primeiros trabalhos sobre desenvolvimento e subdesenvolvimento já insistem na interconexão entre excedente e estrutura social na definição dos modos de vida e do processo de acumulação. Sua abordagem das relações entre excedente e estruturas sociais ganha novos contornos nos anos 1970, levando em conta as transformações na economia internacional e a industrialização periférica. A interação entre pensamento econômico, cultural e político dá novos contornos à noção de excedente. O artigo se detém nos usos e significado da noção de excedente no pensamento de Furtado em seus diversos momentos.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

BIANCONI, R.; COUTINHO, M. C. O desenvolvimento como processo de mudança cultural: as conexões entre excedente e estruturas sociais na visão de Celso Furtado. Nova Economia, [S. l.], v. 29, n. Especial, p. 1141-1169, 2019. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/5340. Acesso em: 19 abr. 2021.