Avaliando a insegurança alimentar no Brasil: a questão dos efeitos não simétricos

Autores

Resumo

Este artigo possui como objetivo principal verificar como um grupo de características sociodemográficas afeta a probabilidade de ocorrência de diferentes níveis de insegurança alimentar no Brasil, levando em conta a complexidade informacional oferecida pela Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA). A hipótese que avaliamos, através da proposta de aplicação de um modelo logístico ordenado generalizado, é a de que se observam efeitos assimétricos das variáveis explicativas em relação às diferentes categorias de insegurança alimentar da EBIA. Os resultados confirmam essa hipótese, alertando para a importância de se considerar a complexidade desse fenômeno na elaboração de políticas públicas nessa área.

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

MATTOS, E. J. de; BIANCHI, L. L.; TOIGO, C. H. Avaliando a insegurança alimentar no Brasil: a questão dos efeitos não simétricos. Nova Economia, [S. l.], v. 30, n. 3, p. 969-998, 2021. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/5239. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Números Regulares