Possibilidades da economia popular e solidária no Brasil contemporâneo: apontamentos

Resumo

Este artigo discute o caráter contemporâneo da economia popular e solidária (EPS) no Brasil. O argumento principal é que as condições para um fortalecimento da EPS frente à economia do setor público e à economia empresarial são mais favoráveis na atualidade, em função de três movimentos que reúnem os países centrais e periféricos em torno do debate por formas de produção distintas: a) a maior articulação das formas econômicas populares às cadeias produtivas globais; b) o processo de politização que se verifica
com a expansão do tecido urbano a todo o território; c) a crítica crescente aos rumos da sociedade de mercado e o avanço dos contra movimentos em resposta. No entanto, a elevação da EPS, de componente precário das redes globais a peça fundamental de uma economia plural, não se dará sem transformações profundas nos mecanismos de regulação que regem as relações cotidianas e as políticas públicas.

 


Palavras-chave: economia popular, economia solidária, precarização do trabalho, economia plural.

Biografia do Autor

Sibelle Cornélio Diniz, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Professora adjunta. Departamento de Ciências Econômicas da UFMG

Publicado
2019-12-31
Como Citar
DINIZ, S. C. Possibilidades da economia popular e solidária no Brasil contemporâneo: apontamentos. Nova Economia, v. 29, n. 3, p. 963-985, 31 dez. 2019.
Seção
Números Regulares