O império luso-brasileiro e a questão da dependência inglesa - um estudo de caso: a política mercantilista durante a Época Pombalina e a sombra do Tratado de Methuen

Autores

  • Francisco José Calazans Falcon

Palavras-chave:

mercantilismo, pombalismo,

Resumo

O autor analisa no presente artigo as relações entre Portugal e Inglaterra no século XVIII, com ênfase no período correspondente ao reinado de D. José I, durante o qual afirmou se o poder de seu Secretário de Estado, Sebastião José de Carvalho e Melo (depois Conde de Oeiras e Marquês de Pombal). Tendo o Tratado de Methuen (1703) como pano de fundo, o texto enfoca, ao longo de sucessivos períodos, as questões que marcaram as tensões e conflitos no âmbito das relações econômicas e diplomáticas anglo-lusitanas com especial atenção ao exame de documentos de época existentes na Biblioteca Nacional de Lisboa e na Academia de Ciências de Lisboa. Ao contrário do que nos ensina uma tradição já um tanto cristalizada, as relações anglo-lusitanas à época de Pombal se revelam bastante ambíguas, oscilando entre a dependência de Portugal em relação aos interesses econômicos e o apoio político britânico e a defesa dos interessesmercantis,manufatureiros e agrícolas do reino luso e de seu império ultramarino.

Downloads

Publicado

2009-06-03

Como Citar

FALCON, F. J. C. O império luso-brasileiro e a questão da dependência inglesa - um estudo de caso: a política mercantilista durante a Época Pombalina e a sombra do Tratado de Methuen. Nova Economia, [S. l.], v. 15, n. 2, 2009. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/449. Acesso em: 24 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares