Índices de sustentabilidade municipal: o desafio de mensurar

Autores

  • Tânia Moreira Braga
  • Ana Paula Gonçalves de Freitas
  • Gabriela de Souza Duarte
  • Júlio Carepa-Sousa

Palavras-chave:

índices e indicadores, desenvolvimento sustentável, qualidade de vida, qualidade ambiental, capacidade político-institucional.

Resumo

Este artigo apresenta metodologia de construção de índices de sustentabilidade local e a aplica para os municípios da região da bacia do rio Piracicaba (MG). A proposta metodológica apresentada combina medidas de qualidade do sistema ambiental microrregional; qualidade de vida no espaço urbano; pressão exercida pelas atividades antrópicas sobre as bases de reprodução no espaço e sobre o sistema ambiental microrregional; capacidade política e institucional de intervenção local. O rio e sua bacia hidrográfica são tomados como parâmetro principal de espacialização, integração e compatibilização de indicadores construídos com base em metodologias e visões disciplinares distintas. Localizada na bacia do Médio Rio Doce, a bacia do Piracicaba encontra-se na área de influência do Parque Estadual do Rio Doce. Possui um conjunto expressivo de atividades econômicas (siderurgia, celulose e mineração de ferro) com alto grau de impactos antrópicos, expressiva concentração urbana e massivos reflorestamentos por monocultura de eucaliptos (carvão vegetal e celulose).

Downloads

Publicado

2009-06-02

Como Citar

BRAGA, T. M.; FREITAS, A. P. G. de; DUARTE, G. de S.; CAREPA-SOUSA, J. Índices de sustentabilidade municipal: o desafio de mensurar. Nova Economia, [S. l.], v. 14, n. 3, 2009. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/435. Acesso em: 27 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares