As elasticidades setoriais das exportações brasileiras

uma análise empírica para o período 1999-2013

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar o desempenho das exportações brasileiras de produtos básicos e manufaturados para os blocos de países da Ásia, do NAFTA (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio),da União Europeia e do Mercosul (Mercado Comum do Sul) entre os anos de 1999 e 2013. A partir do Modelo de Substitutos Imperfeitos de Goldstein e Khan (1978), foi utilizado o Modelo de Correção de Erros (ECM) para a determinação das elasticidades de curto e de longo prazo. Os resultados obtidos apontam que no comércio com esses blocos de países os produtos básicos são mais sensíveis à renda externa do que para as outras variáveis consideradas. Quanto aos produtos manufaturados, os resultados apontam maior sensibilização à variável renda, exceto para o bloco de países da Ásia, onde a variável preço relativo parece ser o determinante mais importante e que as suas exportações são mais sensíveis a mudanças na taxa de câmbio do que as exportações de produtos básicos.

Biografia do Autor

Dieison Lenon Casagrande, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil

Doutorando PIMES/UFPE e Mestre pelo  PPGE&D/UFSM

Paulo Ricardo Feistel, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Professor do Programa de Pós-Graduação em Economia e Desenvolvimento - PPGE&D  e do Departamento de Economia da Universidade Federal de Santa Maria -UFSM

Álvaro Barrantes Hidalgo, Universidade Federal de Pernambuco e Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Recife, Pernambuco, Brasil

Doutor em Economia pela Universidade de São Paulo. Professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Economia (PIMES) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

André Filipe Azevedo, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Professor do Mestrado em Economia e do Mestrado Profissional em Gestão e Negócios/ Unisinos e Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Publicado
2019-05-10
Como Citar
CASAGRANDE, D. L.; FEISTEL, P. R.; HIDALGO, ÁLVARO B.; AZEVEDO, A. F. As elasticidades setoriais das exportações brasileiras. Nova Economia, v. 29, n. 1, p. 193-222, 10 maio 2019.
Seção
Números Regulares