Eficiência do setor bancário brasileiro no período de 2006 a 2013: bancos domésticos x bancos estrangeiros

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Matheus da Costa Gomes
Sonia Valle Walter Borges de Oliveira
Alberto Borges Matias

Resumo

A partir da implantação do Plano Real em 1994, o setor bancário brasileiro passou por profundas mudanças estruturais, no qual a eficiência produtiva e a presença de bancos estrangeiros na economia ganharam maior importância. O debate em torno da presença de bancos estrangeiros em economias domésticas e sua consequência na eficiência do setor bancário é tema de muita discussão. O presente trabalho pretende testar no mercado brasileiro se os bancos estrangeiros foram mais eficientes do que os domésticos entre 2006 e 2013, por meio da Análise Envoltória de Dados (DEA). Depois de calculadas as medidas de eficiência operacional e obtidas as fronteiras eficientes, os resultados encontrados apontaram para um setor bancário brasileiro dominado por bancos domésticos e que, no período de 2006 a 2013, estes foram mais eficientes do que seus concorrentes estrangeiros, enquanto que a eficiência geral do setor, em média, deteriorou-se.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Matheus da Costa Gomes, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) - Universidade de São Paulo (USP)

Bacharel em Economia Empresarial e Controladoria, Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP). Bacharelado com ênfases em Finanças e Políticas Públicas.

Sonia Valle Walter Borges de Oliveira, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) - Universidade de São Paulo (USP)

Doutora em Administração, Universidade de São Paulo (USP) . Professora associada – Departamento de Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP).

Alberto Borges Matias, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) - Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Administração de Empresas, Universidade de São Paulo (USP). Professor titular – Departamento de Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP).