O sistema brasileiro de instituições financeiras subnacionais para o desenvolvimento: um panorama

Autores

  • Victor Leonardo de Araujo
  • Murilo José de Souza Pires
  • Márcio Francisco da Silva
  • Diego Afonso de Castro

Palavras-chave:

bancos estaduais de desenvolvimento, agências de fomento, financiamento do desenvolvimento

Resumo

O objetivo deste trabalho é oferecer um panorama sobre a experiência brasileira recente com o sistema composto das instituições financeiras públicas que chamaremos de “subnacionais”, voltadas para o financiamento do desenvolvimento: um banco regional de desenvolvimento, três bancos estaduais de desenvolvimento e 13 agências estaduais de fomento. Em geral, esse sistema é débil, possui fontes de funding pouco diversificadas e depende do BNDES e dos governos estaduais. As operações de crédito oriundas das instituições financeiras subnacionais para o desenvolvimento (IFDs-SN) são qualitativamente distintas das dos bancos públicos federais brasileiros. Salvo o setor comercial, em todos os demais as operações de crédito cresceram a taxas inferiores à média do Sistema Financeiro Nacional (SFN) ou mesmo dos bancos públicos, à exceção do ano de 2009, revelando que as IFDs-SN contribuíram para a ação anticíclica implementada pelos bancos públicos brasileiros após a crise financeira internacional.

Downloads

Publicado

2014-05-29

Como Citar

DE ARAUJO, V. L.; PIRES, M. J. de S.; DA SILVA, M. F.; DE CASTRO, D. A. O sistema brasileiro de instituições financeiras subnacionais para o desenvolvimento: um panorama. Nova Economia, [S. l.], v. 23, n. 3, 2014. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/2475. Acesso em: 24 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares