Abertura comercial brasileira e instabilidade da demanda de importações

Autores

  • André Filipe Zago Zago de Azevedo
  • Marcelo Savino Portugal

Resumo

Este artigo analisa a política brasileira de importações dos anos 80 e 90, com ênfase nas medidas adotadas a partir do processo de liberalização comercial e seus efeitos sobre o valor das importações. Também é apresentado um modelo econométrico para a estimação da demanda de importações no período entre 1980 e 1995, baseado no método de correção de erros de Engle-Granger. Nele percebe-se a existência de uma ruptura da estabilidade dos parâmetros associados às variáveis renda e capacidade instalada no primeiro trimestre de 1990. As medidas restritivas às importações, tarifárias e não-tarifárias adotadas nos anos 80, ao mesmo tempo que eliminou o poder explicativo da renda sobre a variação das importações, tornou o desempenho da capacidade instalada extremamente relevante para determinar o seu comportamento. Quando o processo de liberalização comercial avança, a elasticidade-renda de longo prazo se torna significativamente elástica, enquanto a capacidade instalada perde considerável parcela de seu poder explicativo.

Downloads

Publicado

2013-12-09

Como Citar

DE AZEVEDO, A. F. Z. Z.; PORTUGAL, M. S. Abertura comercial brasileira e instabilidade da demanda de importações. Nova Economia, [S. l.], v. 8, n. 1, 2013. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/2234. Acesso em: 29 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares