Restrição financeira e financiamento público à inovação no Brasil: uma análise com base em microdados da PINTEC

Autores

  • Sérgio Kannebley Júnior Professor de Economia da FEA-RP/USP
  • Diogo de Prince Doutorando em Economia - FGV-SP

Palavras-chave:

restrição financeira, financiamento à inovação

Resumo

Com a motivação de avaliar os avanços da política de inovação no Brasil, este artigo propõe caracterizar as firmas com obstáculos financeiros para inovar. As características das firmas restritas financeiramente serão comparadas entre os triênios pré e pós-implementação dos principais instrumentos de financiamento à inovação no Brasil. O presente trabalho averigua se as firmas que obtêm financiamento público à inovação sofrem de restrição financeira. É feita uma avaliação do critério de concessão de financiamento público à inovação. Assim, informações das edições de 2005 e 2008 da PINTEC são utilizadas para estimações de modelos log-log complementar e de variáveis instrumentais.

Biografia do Autor

Sérgio Kannebley Júnior, Professor de Economia da FEA-RP/USP

Professor de Economia da FEA-RP/USP.

Diogo de Prince, Doutorando em Economia - FGV-SP

Graduado em Economia - Unesp/Araraquara.

Mestrado em Economia pela FEA-RP/USP.

Doutorando em Economia pela FGV-SP.

Downloads

Publicado

2016-03-07

Como Citar

KANNEBLEY JÚNIOR, S.; PRINCE, D. de. Restrição financeira e financiamento público à inovação no Brasil: uma análise com base em microdados da PINTEC. Nova Economia, [S. l.], v. 25, n. 3, 2016. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/2078. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares