Migração familiar, trabalho infantil e ciclo intergeracional da pobreza no estado de São Paulo

Autores

  • Natalia Ferreira-Batista
  • Maria Cristina Cacciamali

Palavras-chave:

trabalho infantil, migração familiar, probit bivariado, decomposição de Oaxaca

Resumo

Este trabalho analisa o impacto da condição de migração dos pais sobre a probabilidade de trabalhar/estudar dos filhos entre 10 e 14 anos no estado de São Paulo. Com base em uma tipologia familiar estabelecida de acordo com as combinações da condição de migração de pais e mães, estimamos um probit bivariado para meninos e meninas. As diferenças das probabilidades encontradas e decompostas através do método de Oaxaca mostram que os filhos de casais migrantes recentes possuem maior probabilidade de trabalhar, graças à desvantagem de seus pais no mercado de trabalho. No caso das crianças de famílias monoparentais, os filhos de mães migrantes têm maiores chances de trabalhar que os filhos de mães não migrantes.

Downloads

Publicado

2013-05-13

Como Citar

FERREIRA-BATISTA, N.; CACCIAMALI, M. C. Migração familiar, trabalho infantil e ciclo intergeracional da pobreza no estado de São Paulo. Nova Economia, [S. l.], v. 22, n. 3, 2013. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/2022. Acesso em: 27 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares