Mercado de ações brasileiro: uma investigação empírica sobre suas relações de longo prazo e de precedência temporal pré-crise de 2008

Autores

  • Roseli Silva FEARP/USP
  • Mario Bertella FCLAR/UNESP
  • Renan Pereira Bradesco

Palavras-chave:

Ibovespa, indicadores macroeconômicos, cointegração, causalidade

Resumo

Este estudo investiga empiricamente se variáveis macroeconômicas nacionais (produção industrial, inflção, taxa de juros real, risco de crédito doméstico e câmbio real) e internacionais (índice da bolsa de valores americana, a taxa de juros americana e o preço de petróleo) podem explicar o comportamento de longo e/ou de curto prazo do índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) no período de 1995 a 2007, dados de frequência mensal. Aplicou-se metodologia econométrica de modelos de correção de erro resultando em evidências de relação de longo prazo positiva com o Ibovespa para a bolsa americana e o preço do petróleo e negativa para a taxa de juros americana e o risco de crédito. Do ponto de vista dinâmico, identificou-se o Ibovespa como única variável de ajuste para desvios da relação de longo prazo e precedência temporal significativa para a maior parte das variáveis, indicando a possibilidade de avaliação antecedente do comportamento futuro do indicador da bolsa brasileira.


Biografia do Autor

Roseli Silva, FEARP/USP

Departamento de Economia

Mario Bertella, FCLAR/UNESP

Departamento de Economia

Downloads

Publicado

2014-09-29

Como Citar

SILVA, R.; BERTELLA, M.; PEREIRA, R. Mercado de ações brasileiro: uma investigação empírica sobre suas relações de longo prazo e de precedência temporal pré-crise de 2008. Nova Economia, [S. l.], v. 24, n. 2, 2014. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/1411. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares