Metalistas x Papelistas: origens teóricas e antecedentes do debate entre monetaristas e desenvolvimentistas

Autores

  • Pedro Cezar Fonseca UFRGS
  • Maria de Lourdes Mollo UnB

Palavras-chave:

economia brasileira, pensamento econômico latino-americano, desenvolvimento econômico, bulionismo, controvérsias monetárias

Resumo

O artigo analisa o debate entre metalismo e papelismo, ocorrido no Brasil, na segunda metade do século XIX, e defende que esta última foi uma das correntes que contribuíram para a gênese do desenvolvimentismo. Para tanto, retoma as controvérsias monetárias da Inglaterra, desde o início daquele século, e nelas identifica as origens teóricas do debate brasileiro, com destaque especial à questão referente à neutralidade ou não da moeda. A seguir, mostra como esse foi adaptado às peculiaridades da economia brasileira, com ênfase à opção dos papelistas pelo crescimento, rompendo com a ortodoxia da época. A influência no desenvolvimentismo nascente é trabalhada empiricamente por meio de manifestações assumidas por Getúlio Vargas, já que esse foi o personagem central do Estado desenvolvimentista, que marcou a experiência histórica brasileira após 1930.

Biografia do Autor

Pedro Cezar Fonseca, UFRGS

Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Maria de Lourdes Mollo, UnB

Professora Titular do Departamento de Economia da Universidade Nacional de Brasília

Downloads

Publicado

2012-11-23

Como Citar

FONSECA, P. C.; MOLLO, M. de L. Metalistas x Papelistas: origens teóricas e antecedentes do debate entre monetaristas e desenvolvimentistas. Nova Economia, [S. l.], v. 22, n. 2, 2012. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/novaeconomia/article/view/1174. Acesso em: 23 nov. 2020.

Edição

Seção

Números Regulares