Concepções de paisagem em estudos de imagem de destinos

uma revisão desde a Geografia Humanista-Cultural

Autores

  • Jaciel Gustavo Kunz FURG e UFRGS
  • Antonio Carlos Castrogiovanni UFRGS e PUC-RS

DOI:

https://doi.org/10.29149/mtr.v5i1.5715

Palavras-chave:

Turismo, Geografia Humanista-Cultural, Imagem de destinos, Paisagem, Conceitos.

Resumo

O objetivo geral deste trabalho é analisar as concepções geográficas subjacentes ao tratamento da paisagem como construto para estudos da imagem de destinos turísticos em periódicos brasileiros de Turismo. Como base teórico-conceitual, retoma geógrafos humanistas e culturais. Na condição de revisão de literatura, recorre aos 14 artigos, publicados no site Publicações de Turismo (2008-2019), que atendem ao recorte temático proposto, a partir de interpretação qualitativa. A partir de categorização de Meinig (1979), este trabalho aponta que a concepção de paisagem operacionalizada pelos estudiosos da imagem de destinos, em periódicos brasileiros, corresponde largamente àquela da natureza. Persistem ideias e matrizes do Romantismo. Em menor medida, aparece a paisagem como problema (desafio), como estética, e como artefato.  Algumas concepções relevantes, tais como paisagem-lugar e paisagem-habitat, são negligenciadas.

Referências

Añaña, E. da S., Anjos, F. A. dos, & Pereira, M. de L. (2016). Imagem de destinos turísticos: avaliação à luz da teoria da experiência na economia baseada em serviços. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo - RBTur, 10(2), 309-329.

Boyer, M. (2003). História do turismo de massa. Bauru: Edusc.

Brook, I. (2014). Aesthetic appreciation of landscape. In Howard, P., Thompson, I., & Waterton, E. (Eds). The Routledge Companion to Landscape Studies (pp. 108-118). London: Routledge.

Castro, F. M. de M. & Spinola, C. de A. (2017). Promoção Digital e Turismo: A Experiência do Destino Salvador com o Facebook. Rosa dos Ventos, 9(4), 623-641.

Cauquelin, A. (2007). A invenção da paisagem. São Paulo: Martins Fontes.

Chagas, M. M. das, Marques Jr., S. & Duarte, A. C. F. (2013). Análise do processo de formação da imagem de destinos turísticos de sol e praia: um estudo em Canoa Quebrada/CE. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo - RBTur, 7(3), 456-475.

Chagas, M. M. das, Sampaio, L. M. B., & Santos, K. E. B. (2013). Análise da influência da imagem de destinos na satisfação e fidelidade a destinações de turismo de sol e praia: um estudo em Natal/RN. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo - RBTur, 7(2), 296-316.

Claval, P. (2014). Epistemologia da Geografia. 2a ed. Florianópolis: Editora UFSC.

Corrêa, R. L. (2011). Denis Cosgrove – a paisagem e as imagens. Espaço e Cultura, 29(1), 7-21.

Cosgrove, D. (1984). Social formation and symbolic landscape. Madison: The University of Wiscosin Press.

Cosgrove, D. (2002). Landscape and the European Sense of Sight – Eyeing the Nature. In Anderson, K. et al. (Eds). Handbook of Cultural Geography (pp. 249-268). London: Sage.

Cosgrove, D. (2008). Geography and Vision: Seeing, Imagining and Representing the World. London/New York: IB Auris.

Cullen, G. (1983). Paisagem urbana. São Paulo: Martins Fontes.

Dantas, A. V. S. & Chagas, M. M. das. (2009). A imagem do Brasil como destino turístico nos websites das operadoras de turismo européias. Revista Acadêmica do Observatório de Inovação do Turismo, 4(2), pp. 1-19.

Eringa, K. & Zhou, S. (2015). Uma análise visual de um destino turístico cultural. Hospitalidade, 12, 241-261.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. (3a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Gastal, S. (2013). Imagem, paisagem e turismo: a construção do olhar romântico. Pasos, 11(3), 123-133.

Gunn, C. A. (1988). Vacationscape: designing tourist regions. New York: Van Nostrand.

Josias, A. F. & Moesch, M. M. (2017). A imagem da gestão da imagem: conceitos e preconceitos sobre marketing e comunicação no turismo. Cenário, 5(9), 42-61.

Hall, M. C. & Valentin, A. (2005). Content analysis. In Ritchie, B. M., Burns, P. & Palmer, C. Tourism research methods: integrating theory with practice (pp. 191-210). Oxfordshire: CABI Publishing,

Klos, R. C., Miskalo-Cruz, M., & Moraes, L. (2016). Espaço e Cicloturismo: a representação urbano-turística de Curitiba/PR em fotografias postadas no Tripadvisor. Tourism & Marketing Review, 1(2), 1-30.

Knudsen, D. C., Metro-Roland, M. M., & Rickly-Boyd, J. M. (2014). Landscape studies and tourism research. In Howard, P., Thompson, I., & Waterton, E. (Eds). The Routledge Companion to Landscape Studies (pp. 269-285). London: Routledge.

Knudsen, D. C., Rickly-Boyd, J. M., & Metro-Roland, M. M. (2012). Landscape perspectives on tourism geographies. In Wilson, J. (Ed). The Routldege Companion to Tourism Geographies (pp. 201-207). London: Routledge.

Matless, D. (2002). Introduction. In Anderson, K. et al. (Ed). Handbook of Cultural Geography (p. 227-232). London: Sage.

Meining, D. W. (1979). The beholding eye: ten versions of the same scene. In Meinig, D. W. (Ed). The interpretation of ordinary landscapes: geographical essays (pp. 33-50). New York/Oxford: Oxford University Press.

Minca, C. (2008) El sujeto, el paisaje y el juego posmoderno. In Nogué, J. (Ed). El paisaje en la cultura contemporánea. Madrid: Biblioteca Nueva, pp. 209-232.

Minca, C. (2007). The tourist landscape paradox. Social & Cultural Geography, 8(3), 433-453.

Olwig, K. R. (1996) Recovering the substantive nature of landscape. Annals of the Association of American Geographers, 86(4), 630-653.

Picazo, P. & Moreno-Gil, S. (2019). Analysis of the projected image of tourism destinations on photographs: a literature review to prepare for the future. Journal of Vacation Marketing, 25(1), 3-24.

Pimentel, M. R. (2010). Cataratas do Iguaçu: experiências e registros de uma paisagem turística (Dissertação de Mestrado em Geografia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

Pimentel, M. R. & Castrogiovanni, A. C. (2015). Geografia e Turismo: em busca de uma interação Complexa. Rosa dos Ventos, 7(3), 440-458.

Pinto, E. da C. et al. O olhar do turista sobre os produtos e serviços da Cidade de Goiás, Goiás. Rosa dos Ventos, 11(3), 695-708.

Publicações de Turismo (2019). Busca de artigos. São Paulo: autor. Recuperado de http://www.each.usp.br/turismo/publicacoesdeturismo/, em 18 ago. 2019.

Saarinen, S. & Kylänen, M. (2011). Problematizing the concept of tourism destionation: an analysis of different theoretical approaches. Journal of Travel Research, 50(2), 133-143.

Santos, N. M. B. V., Flôres, L. C. da S. & Limberger, P. F. (2018). A imagem do destino turístico: o caso de Oeiras, Piauí, Brasil. Rosa dos Ventos, 10(2), 313-331.

Sauer, C. O. (1998). A morfologia da paisagem. In Corrêa, R. L, Rosendhal, Z. (Eds). Paisagem, Tempo e Cultura. Rio de Janeiro: EDUERJ.

Scalabrini, E. C. B., Remoaldo, P. C., & Lourenço, J. M. (2015). Imagem de destinos turísticos: um estudo sobre as publicações brasileiras. Turismo em Análise, 26(3), 541-557.

Silva, L. F. & Del Rio, M. (2016). Imagem de Marca de Destinos Turísticos: análise da imagem perceptual de duas cidades património mundial da humanidade da Unesco. Revista Anais Brasileiros de Estudos Turísticos - ABET, 6(3), 67-75.

Silva, M. E. M. da & Soriano-Sierra, E. S. Análise da percepção do visitante sobre a revitalização da orla marítima: o modelo do Parque Linear Calcadão, Itapema - Santa Catarina - Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo - RBTur, 9(1), 76-96.

Silva, R. dos S. et al. (2011). Turismo e Cinema: Promoção Turística a partir do filme Sete Anos no Tibete. Rosa dos Ventos, 3(3), 368-381.

Silveira, L. P. de O. & Baptista, M. M. (2018). Cartografias imaginativas nas brochuras turísticas portuguesas e espanholas, 2012-2013 e 2014-2015. Rosa dos Ventos, 10(2), 193-212.

Silveira, L. P. de O. & Baptista, M. M. (2019). Cartografias imaginativas do Brasil nas brochuras turísticas alemãs e francesas: da exotização à mercantilização turística. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo - RBTur, 13(2), 69-92.

Soica, S. (2016). Tourism as practice of making meaning. Annals of Tourism Research, 61(1), 96-110.

Souza, M. L. de. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial (3rd Ed). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2016.

Suertegaray, D. M. A. (2001). Espaço geográfico uno e múltiplo. Scripta Nova, (93), 1-12.

Tuan, Y-F. (2012). Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel.

Urry, J. (1996). O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Nobel, 1996.

Wylie, J. (2007). Landscape. London: Routledge.

Yázigi, E. (2002). Turismo e paisagem. São Paulo: Hucitec.

Yázigi, E., Carlos, A. F. A. & Cruz, R. de C. A. da. (1999). Turismo: espaço, paisagem e cultura. São Paulo: Hucitec.

Downloads

Publicado

2020-06-10

Como Citar

Kunz, J. G., & Castrogiovanni, A. C. (2020). Concepções de paisagem em estudos de imagem de destinos: uma revisão desde a Geografia Humanista-Cultural. Marketing & Tourism Review, 5(1). https://doi.org/10.29149/mtr.v5i1.5715

Edição

Seção

Artigos