UMA ANÁLISE DOS FATORES EXPLICATIVOS DA SITUAÇÃO FISCAL NOS MUNICÍPIOS DE MINAS GERAIS

Autores

  • Daiane Alves de Oliveira UFVJM
  • Elizete Aparecida de Magalhães Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri

DOI:

https://doi.org/10.22561/cvr.v33i1.7342

Palavras-chave:

Finanças públicas, Gestão fiscal municipal, Painel dinâmico

Resumo

A situação fiscal de um ente federado pode ser afetada por condições econômicas, fiscais, demográficas, políticas, entre outras. Este estudo teve como objetivo identificar os fatores municipais que influenciam a situação fiscal dos municípios de Minas Gerais, no período de 2013 a 2018. Para tanto, foi realizado um estudo com dados em painel dinâmico, cuja proxy de situação fiscal foi o Índice de Gestão Fiscal da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro quatro indicadores – Autonomia, Gastos com Pessoal, Liquidez e Investimentos. Os resultados apontam que, ao longo do período analisado, o Índice de Gestão Fiscal médio apresentou uma queda de 2,57% ao ano, ocasionada, principalmente, pelos indicadores de Gasto com Pessoal e Investimentos. A partir da estimação do modelo, constatou-se que a situação fiscal do período passado tende a contribuir para uma melhor gestão orçamentária futura, e que as variáveis Produto Interno Bruto per capita e taxa de urbanização são as que contribuem positivamente para explicar a gestão fiscal. Por outro lado, um maior esforço orçamentário em educação, aumento na proporção de idosos, bem como da população jovem, tendem a piorar a situação fiscal dos municípios analisados. Conclui-se que os fatores levados em consideração são relevantes na explicação da gestão das contas públicas, devendo ser considerados pelos agentes públicos nas decisões voltadas para o planejamento e execução orçamentária.

Biografia do Autor

Daiane Alves de Oliveira, UFVJM

Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Elizete Aparecida de Magalhães, Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri

Doutora em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Professora do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Referências

Afonso, A., & Jalles, J. T. (2019). Fiscal rules and government financing costs. Fiscal Studies, 40(1), 71-90. https://doi.org/10.1111/1475-5890.12182

Alcântara, F. H. C. (2011). As reformas legais e o processo de descentralização: aspectos jurídicos e políticos. Revista Sociologia Política, 19 (39), 197-210. Recuperado em 10 dezembro, 2021, de https://www.scielo.br/j/rsocp/a/DvCJWdVtjVpvgHBjRVhH7Vp/?lang=pt&format=pdf.

Alsharari, N. M., & Youssef, M. A. E. (2017). Management accounting change and the implementation of GFMIS: a Jordanian case study. Asian Review of Accounting, 25(2), 242-261. https://doi.org/10.1108/ARA-06-2016-0062

Andrade, N. de A. (2016). Contabilidade pública na gestão municipal: métodos com base nas Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBCASP) e nos padrões internacionais de contabilidade. (6a ed.). Rio de Janeiro: Atlas.

Arellano, M., & Bond, S. (1991). Some tests of specification for panel data: Monte Carlo evidence and an application to employment equations. Review of Economic Studies, 58(2), 277-297. https://doi.org/10.2307/2297968

Arellano, M., & Bover, O. (1995). Another look at the instrumental variable estimation of error-components models. Journal of Econometrics, 68 (1), 29-51. https://doi.org/10.1016/0304-4076(94)01642-D

Bartoluzzio, A. I. S. de S., & Anjos, L. C. M. dos. (2020). Ciclos Políticos e Gestão Fiscal nos Municípios Brasileiros. Revista de Administração Contemporânea, 24(2), 167-180. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2020190190

Bergman, M., Hutchison, M., & Jensen, S. (2013). Do sound public finances require fiscal rules or is market pressure enough? [Economic Paper, nº 489]. European Economic, European Union.

Blundell, R., & Bond, S. (1998). Initial conditions and moment restrictions in dynamic panel data models. Journal of Econometrics, 87, 115–143. https://doi.org/10.1016/S0304-4076(98)00009-8

Borkakati, S., & Singh, K. G. (2021). Fiscal responsibility law and subnational finance in India - An analysis of Assam’s fiscal scenario. Economic Horizons, 23 (1), 71-83. DOI:10.5937/ekonhor2101071B

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988). Recuperado em 20 setembro, 2020, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm

Covre, J., & Mattos, L. B. de. (2016, dezembro). A situação fiscal e os ciclos políticos nos municípios brasileiros: uma análise a partir de dados em painel dinâmico espacial. Anais do Encontro Nacional de Economia, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 44.

Cruz, C. F. da, Macedo, M. A. da S., & Sauerbronn, F. F. (2013). Responsabilidade fiscal de grandes municípios brasileiros: uma análise de suas características. Revista de Administração Pública, 47(6), 1375-1399. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-76122013000600003

Cruz, C. F. da, & Afonso, L. E. (2018). Gestão fiscal e pilares da Lei de Responsabilidade Fiscal: evidências em grandes municípios. Revista de Administração Pública, 52(1), 126-148. https://doi.org/10.1590/0034-7612165847

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. (2019a). Índice Firjan de Gestão Fiscal - Edição 2019. Metodologia. Rio de Janeiro. Recuperado em 19 abril, 2021, de https://www.firjan.com.br/data/files/88/94/7D/5D/33F0F61053918AE6A8A809C2/IFGF-2019_anexo-metodologico3.pdf

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. (2019b). Índice Firjan de Gestão Fiscal. Destaques. Rio de Janeiro. Recuperado em 26 março, 2021, de https://www.firjan.com.br/ifgf/destaques/brasil/ifgf-quase-duas-mil-cidades-nao-se-sustentam-revela-indice-de-gestao-fiscal-da-firjan.htm

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro. (2019c). Índice Firjan de Gestão Fiscal – Edição 2019. Panorama dos municípios de Minas Gerais e principais desafios. Rio de Janeiro. Recuperado em 09 abril, 2020, de https://www.firjan.com.br/data/files/1E/D1/57/7E/0574E610B71B21E6A8A809C2/IFGF-2019_analise-MG.pdf.

Fundação Getúlio Vargas. (2020). Indicadores de preços. Rio de Janeiro: FGV. Recuperado em 19 março, 2021, de http://portalibre.fgv.br/main.jsp?lumChannelId=402880811D8E34B9011D92AF56810C57

Fundação João Pinheiro. (2020). Índice Mineiro de Responsabilidade Social. Recuperado em 15 janeiro, 2021, de http://imrs.fjp.mg.gov.br/

Giacomoni, J. (2017). Orçamento público. (17a ed). Rio de Janeiro: Atlas.

Gujarati, D. N., & Porter, D. C. (2011). Econometria básica. (5a ed., D. Durante, M. Rosemberg, & M. L. G. L. Rosa, Trad.). Porto Alegre: Mc Graw Hill. (Obra original publicada em 2008).

Hansen, L. P. (1982). Large sample properties of generalized method of moments estimators. Econometrica, v. 50, n. 4, p. 1029-1054. https://doi.org/10.2307/1912775

Hansen, S. W., Houlberg, K., & Pedersen, L. H. (2014). Do municipal mergers improve fiscal outcomes? Scandinavian Political Studies, 37(2) 196-114. https://doi.org/10.1111/1467-9477.12020

Karruz, A. P., & Moraes, A. M. (2020). Gestão local e seu impacto no desempenho fiscal: análise dos municípios mineiros. Revista do Serviço Público, 71(1). https://doi.org/10.21874/rsp.v71i1.3777

Klein, F. A., & Sakurai, S. N. (2015). Term limits and political budget cycles at the local level: evidence from a young democracy. European Journal of Political Economy, 37, 21-36. https://doi.org/10.1016/j.ejpoleco.2014.10.008

Kohama, H. (2012). Contabilidade pública: teoria e prática. (12a ed.). São Paulo: Atlas.

Lei Complementar n. 101, de 04 de maio de 2000. (2000). Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF. Recuperado em 08 setembro, 2019, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LCP/Lcp101.htm

Leite, G. A. F., Colares, A. F. V., & Andrade, I. C. F. (2015). Transparência da Gestão Fiscal Pública: um estudo a partir dos portais eletrônicos dos maiores municípios do Estado de Minas Gerais. Contabilidade Vista & Revista, 26(2), 114-136. Recuperado de https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/2647

Louzano, J. P. de O., Abrantes, L. A., Ferreira, M. A. M., & Zuccolotto, R. (2019). Causalidade de Granger do índice de desenvolvimento socioeconômico na gestão fiscal dos municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, 53(3). https://doi.org/10.1590/0034-761220180139

Marconato, M., Parré, J. L., & Coelho, M. H. (2021). Dinâmica financeira dos municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, 55(2), 378–394. https://doi.org/10.1590/0034-761220200041

Magalhães, E. A. de, Mattos, L. B. de, & Wakim, V. R. (2019). Gestão fiscal nos municípios brasileiros: uma análise das diferenças regionais. Revista Econômica do Nordeste, 50(4), 9-29. Recuperado em 20 novembro, 2020, de https://www.bnb.gov.br/revista/index.php/ren/article/view/915/785

Melo, C. A. V. de, Souza, S. S. de, & Bonfim, W. L. de S. (2015). Federalismo e bons governos: uma análise política da gestão fiscal dos municípios. Opinião Pública, 21(3), 673-692. https://doi.org/10.1590/1807-01912015213673

Oliveira, A. C de M., Diniz, J. A., Bispo, J. de S., Lima, S. C de L., Santos, L. da C. (2017). Impactos da Descentralização na Economicidade de Compras Governamentais. Revista Contabilidade e Controladoria, 9(2), 44-58. http://dx.doi.org/10.5380/rcc.v9i2.50616

Oliveira, E. J. de, Barbosa, J. L., & França, M. (2013). A Reforma do estado brasileiro e a descentralização: implicações do federalismo fiscal nos estados e municípios. Revista Educação e Políticas em Debate, 2(2), 405-416. Recuperado em 15 dezembro, 2021, de https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/24785

Oliveira, N. G. de, Cruz, N. G. da, Barbosa, J. E., N., & Francisco, J. R. de S. (2019). Gestão Fiscal e Planejamento Orçamentário nos Municípios Mineiros. Anais do Seminário em Administração, São Paulo, SP, Brasil, 22. Recuperado em 19 março, 2021, de https://login.semead.com.br/22semead/anais/arquivos/1859.pdf.

Oto-Peralías, D., Romero-Ávila, D., & Usabiaga, C. (2013). Does fiscal decentralization mitigate the adverse effects of corruption on public deficits? European Journal of Political Economy, 32, 205-231. https://doi.org/10.1016/j.ejpoleco.2013.07.005

Quintela, M. C. de A. (2011). Gasto público social dos estados brasileiros: um estudo sob a ótica da eficiência técnica. (Tese de doutorado). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil. Recuperado de https://www.locus.ufv.br/handle/123456789/146

Ramos, I. da S., & Silva, T. L. da. (2016). Gestão fiscal dos municípios catarinenses: uma análise descritiva dos indicadores FIRJAN. Cad. Fin. Pública, (15), 175-196. Recuperado de https://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/3818/1/Cadernos%20de%20Finan%c3%a7as%20P%c3%bablicas%20n.%2016%20Dez%202016.pdf

Reis, A. de O., Almeida, F. M. de, & Miranda, M. S. (2018). Descentralização e qualidade da gestão fiscal nos municípios mineiros. Anais do Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Curitiba, PR, Brasil, 42. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/328201677_Descentralizacao_e_Qualidade_da_Gestao_Fiscal_nos_Municipios_Mineiros

Ribeiro, M. B. (2015). Avaliação do comportamento fiscal dos governos estaduais brasileiros no período posterior à Lei de Responsabilidade Fiscal (2002-2012). [Texto para Discussão, n. 2149]. Brasília, DF: IPEA.

Roodman, D. (2006). How to do xtabond2: an Introduction to Difference and System GMM in Stata. [Working Paper nº 103]. Center for Global Development. http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.982943

Rosenthal, M., & Wolfson, A. (2013). The Determinants of Government Budgetary Implementation: policy analysis of the Israeli Case. Journal of Comparative Policy Analysis: Research and Practice, 15(5), 432- 451. https://doi.org/10.1080/13876988.2013.848050

Sakurai, S. N. (2014). Superavit e déficit fiscal dos municípios brasileiros: uma aplicação do modelo de viés de seleção em painel. Nova Economia, 24(3), 517-540. https://doi.org/10.1590/0103-6351/1505

Sawhney, U. (2018). An Analysis of Fiscal Policy in an Emerging Economy: Innovative and Sustainable Fiscal Rules in India Upinder. Millennial Asia, 9(3), 295-317. DOI: 10.1177/0976399618805629

Schaltegger, C. A., & Torgler, B. (2007). Government accountability and fiscal discipline: a panel analysis using Swiss data. Journal of Public Economics, 91(1),117-140. Recuperado em 20 abril, 2021, de https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0047272706000855.

Silva, A. G. A. (2019). A relação entre transparência pública e gestão fiscal nos municípios brasileiros. (Dissertação de mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. Recuperado de https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/27641

Silva, M. C. da, Nascimento, J. C. H. B. do, & Silva, J. D. G. da. (2021). Fatores determinantes da política de execução orçamentária no Brasil (1980-2018). Contabilidade Vista & Revista, 32(1), 104-131. https://doi.org/10.22561/cvr.v32i1.5617

Silva, M. C. da, Souza, F. J. V. de, Martins, J. D. M., & Câmara, R. P. de B. (2020). Fatores explicativos da gestão fiscal em municípios brasileiros. Revista Contemporânea de Contabilidade, 17(42), 26-37. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2020v17n42p26

Sousa, K. M., & Monte, P. A. do. (2019). Efeitos da descentralização fiscal na composição do gasto público municipal: uma análise por regressão quantílica com dados longitudinais. Anais do Simpósio de Controladoria da UFRPE, 2019, Recife, PE, Brasil, 9. Recuperado de http://simpcont.ppgc.ufrpe.br/sites/simpcont.ppgc.ufrpe.br/files/Artigo%2009%20IV.pdf

Tribunal Superior Eleitoral (2020). Estatísticas Eleitorais. Recuperado em 09 fevereiro, 2021, de http://www.tse.jus.br/eleicoes/estatisticas/estatisticas-eleitorais

Veloso, J. F. A., Monasterio, L. M., Vieira, R. da S., & Miranda, R. B. (2011). Gestão Municipal no Brasil: um retrato das prefeituras. Brasília: IPEA. Recuperado em 03 abril, 2021, de https://ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=10200

Windmeijer, F. (2005). A finite sample correction for the variance of linear efficient two-step GMM estimators. Journal of Econometrics, 126 (1), 25–51. https://doi.org/10.1016/j.jeconom.2004.02.005

Publicado

2022-04-30

Como Citar

OLIVEIRA, D. A. de; MAGALHÃES, E. A. de. UMA ANÁLISE DOS FATORES EXPLICATIVOS DA SITUAÇÃO FISCAL NOS MUNICÍPIOS DE MINAS GERAIS . Contabilidade Vista & Revista, [S. l.], v. 33, n. 1, p. 218-243, 2022. DOI: 10.22561/cvr.v33i1.7342. Disponível em: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/contabilidadevistaerevista/article/view/7342. Acesso em: 3 jul. 2022.