Espaços da destituição e as políticas urbanas e regionais no Brasil: uma visão panorâmica

Carlos Antônio Brandão

Resumo


O objetivo deste artigo é realizar uma recuperação ampla e apresentar uma visão abrangente, de conjunto e de largo horizonte temporal, sobre a estrutura e a dinâmica do processo de urbanização no Brasil, procurando sintetizar as variadas rodadas de experimentação regulatória e as mudanças nas paisagens institucionais em que se desenrolaram tentativas de disciplinamento e regulação das forças e interesses patrimoniais-mercantis por meio de políticas urbanas e regionais e reescalonamentos estatais. Constata-se um processo de urbanização expansiva, precarizada e de baixa intensidade de regulação das forças sociopolíticas que o estrutura, que tem seu poder no controle da propriedade da terra. Variadas tentativas de disciplinar e regular esse controle e a acumulação urbana especulativa tiveram pouco êxito. Nas últimas décadas, os circuitos dessa acumulação se modernizaram, conglomeraram e financeirizaram. Durante todo o período analisado, lutas sociais de resistências e o ativismo dos movimentos sociais estiveram em ação e espera-se que devam se ampliar com os novos conflitos na cena urbana atual e futura.


Palavras-chave


Brasil; urbanização; experimentações regulatórias; políticas urbanas e regionais.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Patrocínio:

BDMG

 

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.