PRIVATIZAÇÕES: A DISTOPIA DO CAPITAL (2014), DE SILVIO TENDLER

  • Fábio Tozi Departamento de Geografia, Institutdo de Geociências (IGC), UFMG
Palavras-chave: Privatizações, neoliberalismo, desestatização, Silvio Tendler, Brasil.

Resumo

Esta resenha tem por objetivo apresentar e discutir o documentário “Privatizações: a distopia do capital”, de Silvio Tendler. Além de apresentar a obra, procura-se, também, discutir a sua importância como memória de eventos paradigmáticos da história recente do Brasil. Assim, alguns dos elementos trazidos por Tendler são aprofundados, buscando revelar como a alienação de bens públicos iniciada nos anos 1990 segue, com distintas formas e nomenclaturas, até os dias atuais. Dessa maneira, o que foi propagandeado como privatização de empresas em setores específicos tornou-se, na verdade, uma progressiva privatização da vida social coletiva e do próprio território. Por fim, buscando revelar a importância da obra e possíveis diálogos com outras formações socioespaciais, são trazidos ao debate documentários que retratam processos de privatização em outros países, especialmente Argentina, França e Estados Unidos da América. 

Biografia do Autor

Fábio Tozi, Departamento de Geografia, Institutdo de Geociências (IGC), UFMG

Professor Adjunto no Departamento de Geografia, Instituto de Geociências, UFMG. Possuo graduação em Bacharelado em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP, em 2002), graduação em Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas (2007), Mestrado em Geografia (2005) pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorado em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP, em 2013). Realizei aperfeiçoamento em Doutorado em Geografia (Estágio Doutoral - PDEE/CAPES) na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) de Paris (2011-2012) e Pós-Doutorado junto ao Departamento de Geografia da Universidade Estadual de Campinas (Programa de Pós-Doutorado Junior/CNPq). Possuo experiência na área de Geografia Humana, experiência profissional em planejamento urbano e territorial, como pesquisador e em docência no ensino superior. Integro o Laboratório de Planejamento Territorial e Investigações Geográficas (GEOPLAN/Unicamp), como membro do grupo de pesquisa coordenado pelo Prof. Dr. Márcio Cataia (IG/UNICAMP), desenvolvendo atividades de pesquisa, co-orientação e auxílio às atividades didáticas, bem como responsabilidades de apoio à coordenação do projeto 'Novos usos do território e renovação das materialidades na Baixada Santista (SP). Nexos político-institucionais entre os entes da federação e articulações econômicas entre os circuitos da economia local e o circuito global do petróleo', financiado pelo CNPq. Possuo fluência em francês (com certificado nível C1), inglês e leitura e compreensão fluentes em espanhol

Referências

Harvey, D. (2003). The new imperialism. New York: Oxford University Press.

MEMORIA del saqueo. Direção: Fernando Solanas. [Argentina, França, Suiça]: Cinesur, ADR Productions, Thelma Film AG. 1 DVD. (114 min.).

ENCONTRO com Milton Santos ou o mundo global visto do lado de cá. Uma proposta libertária para estes dias tumultuados. (2006). Direção Silvio Tendler. [Brasil]: Caliban. 1 DVD. (89 min.).

ORANGE Amère. (2011). Direção: Patricia Bodet e Bernard Debord. [França]: Mat Films, France Télévisions. 1 DVD. (52 min.)

Santos, M. (1996). A natureza do espaço. Técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: HUCITEC.

SICKO. (2007). Direção: Michael Moore. [Estados Unidos]: Dog Eat Dog Films. 1 DVD. (123 min.).

Souza, J. (2015). A tolice da inteligência brasileira: ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa.

Tozi, F. (2009). O território como recurso: a privatização das telecomunicações no Brasil. Do leilão dos fragmentos à totalidade do território. Geosul, 24(48), 47-66.

Publicado
2019-02-09
Seção
Resenhas